Destaques

Pesca fonte de rendimento para mais de 25 mil são-tomenses

Num país de cerca de 180 mil habitantes, sendo muito mais de metade jovens, cerca de 14% da população ganha o pão de cada dia através da pesca.

O negócio de peixe é o despertador das comunidades do litoral. Os pescadores que passam a maior parte da noite no mar, regressam muito cedo da faina. As palaiês (vendedoras de peixe), amanhecem nas praias, recebem o pescado para iniciar a comercialização.

Em todo o país são cerca de 6 mil pessoas homens e mulheres, estão directamente envolvidos na pesca e na sua comercialização. 2991 são pescadores, e 2335 são as mulheres vendedoras(palaiês).

peixeUm negócio que anima a pequena economia são-tomense. A olho nu se verifica que a população cresce de forma celerada nas comunidades piscatórias. Os 6 mil adultos homens e mulheres que pescam e comercializam o peixe, garantem o sustento de milhares de outros são-tomenses.

Estudos feitos pela Direcção das Pescas indicam que a pesca sustenta directamente mais de 25 mil são-tomenses.

As palaiês (vendedoras de peixe), transportam o pescado em viaturas das comunidades até os mercados, logo o negócio de peixe, anima também o sector dos transportes. Apesar de ser uma actividade artesanal, a pesca mexe com a economia são-tomense. Poderia ser uma das forças motrizes para o desenvolvimento, caso evolui-se para um nível semi-industrial, ou mesmo industrial.

Pois, segundo dados da Direcção das Pescas, o mar da zona sul da ilha de São Tomé, é rico em pescado e a zona marítima da ilha do Príncipe tem o maior banco de peixe do país.

Mesmo por via artesanal, a pesca representa a maior fonte de proteína animal da população de São Tomé e Príncipe. Estudos feitos indicam que cada cidadãos são-tomense consome em média 26 quilos d peixe por ano.

A Direcção das Pescas diz que no país existem 2 mil e 300 embarcações de pesca. Quase todas pirogas de madeira. Só recentemente surgirem algumas canoas a base de fibra. Do total de embarcações que garantem peixe ao mercado nacional, apenas 529 usam motor.

Um parque artesanal de pesca, que no ano 2014 5 mil e 341 toneladas de peixe no mercado nacional.

Abel Veiga

    3 comentários

3 comentários

  1. pedro

    1 de Junho de 2015 as 14:13

    Então, o que falta para avançar ( de vez) para a pesca semi-indústrial?

    de tempos a tempos, aparecem financiadores internacionais que concedem linhas de crédito, fica tudo apalavrado e testemunhado pelos orgãos de comunicação social mas depois é uma mão
    ao cheia de nada
    ou porque mudam os Governos ou devido à burocracia 🙁

  2. Blaga Pena

    2 de Junho de 2015 as 11:22

    Na verdade este pais tem recebido muita ajuda externa para projetos no domínio da pesca, mas os governantes so sabem regar plantas colocadas em vasos de fundo roto.
    Acreditem que na verdade este pais precisa de um governo para governar e não de governos populistas como este agora do ADI.
    Basta ver que para populismo barato, o governo decidiu interditar circulaçao de viaturas do estado depois das horas normais de experienmtye e aos fins de semana, mas isso justamente piorou agora, basta ver as praias e as festas aos fins de semana e ate mesmo as compras quer no mercado quer nas roças.
    O governo disse que iria adotar políticas de contenção de despesas mas nunca os membros de governo gastaram tanto em comunicações como este agora, baste ter-se acesso as contas na cst e na unitel.
    Nunca, em toda a historia do pais se gastou tanto com compra de viaturas para membros do governo como nesses últimos seis meses.
    Nunca em seis meses, se gastou tanto com viagens e subsídios dos membros do governo em tão pouco espaço de tempo como agora. Que perguntem isso ao Americo Ramos que ele dirá.
    Como estes, poderão surgir vários outros exemplos de populismo barato, atitudes que apenas vao comprometer os verdadeiros projetos de desenvolvimento.
    Na verdade, a pesca pode ser uma saída para este pais, isto depois da agricultura, mas infelizmente a agricultura esta entregue a um ministro orelhudo que não mais faz senão destruir tinpanos das nossas crianças com um português de tão baixo nivel que, ele deveria mesmo era ir para a escola.

  3. luis

    2 de Junho de 2015 as 17:09

    uma das bandeiras eleitorais deste Governo, era o desenvolvimento da pasca semi indústrial, e como tem maioria absoluta….aguardemos
    – agora não há desculpa

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo