Destaques

Pescadores e palaiês recebem ajuda para fomentar pequenos negócios

As associações de pescadores e vendedoras de peixe envolvidas em actividades geradoras de rendimento, receberam na terça – feira, ajuda da União Europeia canalizada por ONG ligadas a pesca, para promover pequenos negócios.

Equipamentos para captura, tratamento e conservação do pescado, como arcas frigoríficas e malas térmicas, assim como fios e anzóis. Também receberam 2 moto carrinhas para garantir o transporte do pescado das praias para os centros de tratamento ou para os mercados de venda.

moto carinhaA ajuda em materiais permite o desenvolvimento de pequenos negócios de pesca, para 14 associações de pescadores e palaiês(vendedoras d peixe).

Negócios que passam pela  venda de materiais de pesca, mas não só. O Financiamento da União Europeia em parceria com outros parceiros, cria as condições para o fomento de pequenos negócios de produção e venda de gelo para conservação do pescado, e o respectivo transporte para o mercado.

Os representantes das Associações que se reuniram na terç a– feira nas instalações da ONG MARAPA, prometeram tudo fazer para tirar o maior rendimento possível dos meios colocados a sua disposição.

O Governo, através do Director das Pescas, considerou o sector das pescas como estratégico para a economia nacional, e fundamental na luta contra a pobreza. «Cerca de 30% da população do país vive directa ou indirectamente deste sector. É o sector que tem abastecimento na totalidade o mercado nacional em pescado. Por isso não se pode falar da luta contra a pobreza e do crescimento económico do país, sem ter em conta esta classe sem o apoio a esta classe», declarou João Pessoa.

Associações de pescadores e vendedoras de peixe,  equipadas para aumentar o rendimento das famílias.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. JB

    4 de Junho de 2015 as 14:39

    O importante não é dar o peixe mas sim a forma como ensinar pescar, com isso quero dizer que não basta ter os meios porque este setor já foi muito beneficiado com meios, nos quais alguns que já foram foram doados estavam a ser vendidos fora do país concretamente em Angola e Gabão. O que interessa além dos meios é necessário a formação dos mesmos beneficiados principalmente na área de micro negócios(comercialização, conservação, técnicas de venda e pequeno balancete) e o respectivo acompanhamento para que no final do ano ou trimestre têm minimamente ideia saber que o seu negócio foi rentável ou não.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo