Economia

Banco Central a ser remexido é epicentro da 1ª contenda institucional

O Banco Central de São Tomé e Príncipe, cujos administradores foram nos últimos anos alvos de várias críticas e denúncias de alegados actos de corrupção, acompanhas de queixas crimes introduzidas no ministério público, se transformou no final de Janeiro no epicentro da primeira grande tensão institucional, entre o novo Governo de Jorge Bom Jesus e o Presidente da República Evaristo Carvalho.

No dia 25 de Janeiro o Governo deu posse ao novo Governador do Banco Central, Américo Barros, e a respectiva equipa de novos administradores, em substituição do ex-governador Hélio Almeida e a sua equipa de administradores.

Menos de uma semana, o Presidente da República reagiu numa carta endereçada ao Primeiro Ministro. Na carta lida à imprensa pela sua assessora de imprensa Hélia Fernandes, o Chefe de Estado Evaristo Carvalho mandou cessar a resolução do Governo que exonerou o ex-governador e nomeou o novo governador. Uma violação da constituição política advertiu o Presidente da República.

O Primeiro Ministro Jorge Jorge Bom Jesus, respondeu rapidamente a carta do Presidente da República, e mostrou ao Chefe de Estado, que não houve violação da constituição política, e advertiu ao Presidente Evaristo de que não aceitará nunca, a interferência do Chefe de Estado nas competências exclusivas do Governo, como é o caso da nomeação e exoneração do Governador do Banco Central.

A opinião pública são-tomense questiona, sobre as razões que terão levado o Presidente da República a abrir a primeira tensão institucional com o Governo, por causa da nomeação do novo governador do Banco Central?

Um processo que desde o advento da democracia pluralista em 1991, ocorre de forma pacífica, no quadro das acções exclusivas dos sucessivos governos, sem causar polémica por parte dos sucessivos Presidentes da República.

Os dados recolhidos pelo Téla Nón indicam que a mudança da administração do Banco Central, pode levantar o véu sobre alegados casos de corrupção de grande envergadura praticados nos últimos 4 anos de governação do ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada.

O processo de reforma monetária operado pela anterior administração do Banco Central, que permitiu a introdução da nova dobra no dia 1 de Janeiro de 2018, foi alvo de contestação e de queixa crime interposta no Ministério Público, pela anterior força da oposição, actualmente partido no poder, o MLSTP.

Alguns dias após a tomada de posse, a nova administração do Banco Central, anunciou a abertura de inquérito, para averiguar todo o processo de mudança da velha dobra para a nova dobra. O inquérito aberto atinge também, as obras de construção do novo edifício do Banco Central.

Evaristo Carvalho, que pediu ao Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, para reconduzir a anterior administração do Banco Central, não se pronunciou sobre a recusa do Chefe do Governo em satisfazer a sua exigência. No meio da polémica o Presidente da República, publicou um decreto em que extingue a estrutura e o quadro de pessoal do seu gabinete, e anuncia a criação de uma nova estrutura, que será composta nos próximos tempos.

O Banco Central, tem nova direcção, e o Téla Nón apurou que os inquéritos em curso, indiciam a ocorrência de casos preocupantes de corrupção, nomeadamente no processo de realização das obras de construção do novo edifício do Banco Central. Obras lançadas em Fevereiro do ano 2013, no valor de 6 milhões de euros.

O Téla Nón apurou que a fase conclusiva relançada em 2018, e sem abertura de concurso público como obriga a lei, terá feito o valor da obra saltar para perto de 13  milhões de euros, e com o registo de várias transferências bancárias suspeitas.

O “palheiro” do Banco Central está a ser mexido e remexido, e parece não ter sido inocente, o encontro de terça feira 5 de Fevereiro entre o Governo através da Ministra da Justiça Ivete Lima e o Procurador Geral da República Kelve Carvalho.

A Ministra da Justiça pediu a colaboração do Procurador Geral da República, para ajudar a esclarecer os alegados casos de corrupção que se encontram em stand by, no Ministério Público, e outros que estão em fase de denúncia.

Ainda no caso da introdução da nova dobra, numa sessão plenária da Assembleia Nacional em Janeiro passado, a deputada Filomena Monteiro da bancada do MLSTP, denunciou a entrada da nova dobra no país a partir do estrangeiro, mais concretamente de Portugal. A deputada realçou o caso das notas de 200 dobras que não são vistas em circulação no país, mas que por sinal são cambiadas na Praça Portuguesa, por pessoas ainda não identificadas.

Também em Portugal o Téla Nón teve acesso a comentários de cidadãos são-tomenses, que se preparavam para visitar a sua terra natal, e que foram contactados para cambiar a nova dobra pelo Euro. Isto é, o cidadão são-tomense em Portugal, tem agora a possibilidade de fazer o cambio do Euro pela nova dobra, antes de viajar para a terra natal.

A casa de câmbio clandestina da nova dobra, parece estar espalhada pelos bairros da região de Lisboa, e segundo relatos dos cidadãos que trocam o Euro pela Nova Dobra em solo português, os cambistas que alegadamente actuam na região de Lisboa, conservam grande stock da nova moeda nacional, com destaque para as 200 dobras.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Madredeus.igreja

    6 de Fevereiro de 2019 as 21:18

    Remexem bem o saco, porque vai aparecer muitos ratos com fingui.

    O Evaristo, não é inocente. Sabe de tudo.

    Vou apanhar avião, senão vou preso, ajuda-me Pinta Cabra.

  2. Pumbú

    7 de Fevereiro de 2019 as 1:03

    O governo deveria recolher e anular o mais rapidamente possível as notas de 200 novas dobras.

  3. Grupo Me-Zedo

    7 de Fevereiro de 2019 as 8:41

    A resposta de Jorge Bom Jesus ao Assina Só foi mesmo na ponta da letra. Assim mesmo senhor Jorge Bom Jesus. O Homem andou la a engolir sapo cru de Patrice Trovoada e agora esta a sair de casca a dizer que aqui tem homem….qual homem qual quê?
    É bom senhor Assina So relembrar que nas suas campanhas ele prometeu trabalhar para a estabilidade. Mas ja que nao esta a trabalhar para nada, entao continua la no poleiro e deixa o governo trabalhar. Pelo menos agora o senhor ja viaja porque Jorge Bom Jesus nao impede o senhor de viajar.

  4. Homem Grande

    7 de Fevereiro de 2019 as 9:44

    Bem, só posso realçar que isso é gravíssimo… Merece uma investigação mais apurada e acima de tudo identificar e responsabilizar as pessoas envolvidas com a máxima precisão

  5. Metido a Besta

    7 de Fevereiro de 2019 as 14:48

    Num pais onde a reserva campiar para sua estabilidade situava em privisao de 6 mese e so tinha para 3 meses e com agravante de as receitas dos impostos nao chagavam para pagar salarios dos funcionarios publico e o governo recorria ao emprestimo bancario.

    Ninguem entenderia qual a preoridade de um governo nesta condicao de levar por diante alguma reforma cambiar com custo para governo ja em si mal financeiramente.

    Muito nemos e perante a situacao financeira de pais nao era aconseliavel levar por diante qualquer obra sem concurso publico e com o valor dobro de custo original.

    Esta claro que ha gato.

    Toda gente sabe que o p Trovoda age como um bandido desde contratos de pescas nao oficial ate a riqueza que ostenta cujo BBC fez a reportagem dizendo que ninguem sabe qual a fonte da sua riqueza.

    Falei com Espanhol que por me ao corrente de toda situacao de mafia que existe com o contrato de pesca em Sao Tome.

    Os barcos que foram capiturado e perseguido e depois afundou e outras situacao nao clara constituem evidencia da mafia que existe em sao Tome.

    O homem manda com o tempo enquanto que Deus estara para todo sempre.

    Respeito as Lei dos homens mas tenho A Lei Da Biblia Inscrito no meu coracao.

  6. Amar o o que é nosso

    12 de Fevereiro de 2019 as 19:24

    Grandes negócios. Santolas de uê Beto. Podem enriquecer o quanto quiserem. Mas no final todos vamos sofrer. Santomense sempre gostou de copiar o que não lhe serve, sotaque angolano, danças angolana,hábitos feios, bandidagem.. Pk não copiar coisas que realmente vão nos beneficiar? Copia exemplo de Cabo Verde, fala forro em vez de exibir que fala crioulo. Trabalha a a terra, em vez de roubar o pouco que outros cultivam. Podia dar um monte de exemplos. Antigamente ser São Tomense era ser humilde, limpo, educado. Hoje em dia é o que se vê.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo