Economia

BM disponibiliza mais de 70 milhões de dólares para STP

Para os próximos 3 anos(2021à 2023), o Banco Mundial vai atribuir a São Tomé e Príncipe, um donativo financeiro que ultrapassa os 70 milhões de dólares.

Jean Claude Tchatchouang(na foto), administrador do Banco Mundial,  para São Tomé e Príncipe e outros 22 países africanos, reuniu-se na terça feira com o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, para anunciar o valor do programa financeiro para os próximos 3 anos, e também para conhecer as prioridades do Governo, para afectação do financiamento.

«Para os próximos 3 anos vamos colocar mais de 70 milhões de dólares aqui em São Tomé e Príncipe. Queríamos saber do senhor Primeiro Ministro, quais são as áreas em que podemos intervir? Quais as prioridades do Governo, e como podemos provocar o crescimento aqui em São Tomé e Príncipe e criar empregos para a juventude», declarou o administrador do Banco Mundial.

Dinamização do sector privado nacional, actualmente descapitalizado e paralisado, é uma das prioridades do Governo para criar postos de trabalho, e estimular o crescimento.

Para apoiar esta prioridade do Governo, o Banco Mundial prometeu colocar a sua filial designada, Sociedade Financeira Internacional, a trabalhar aqui em São Tomé e Príncipe, para apoiar o sector privado nacional.

«Queremos fazer muito mais…, em particular no sector privado. Temos uma filial que se chama sociedade financeira internacional, que investe no sector privado. Para já esta nossa filial não tem operações aqui em São Tomé e Príncipe. Mas vamos incentiva-la a vir desenvolver o sector privado aqui em São Tomé e Príncipe», assegurou Jean Claude Tchatchouang.

No entanto a reunião entre o administrador do Banco Mundial para África e o Primeiro-ministro, serviu para análise do programa de financiamento do período 2018-2020, que está em vias de terminar.

Segundo o Administrador do Banco Mundial, o programa em curso atingiu cerca de 100 milhões de dólares em donativos. «Temos projectos em curso de aproximadamente 100 milhões de dólares. São mais de 5 projectos em execução», confirmou Jean Claude Tchatchouang.

Reabilitação e construção de estradas, nomeadamente a estrada nacional número 1, é um dos projectos financiados pelo Banco Mundial. A Instituição financia também projectos de recuperação do sector de energia, e participa na luta contra a COVID-19 em São Tomé e Príncipe. Tendo alocado cerca de 3 milhões de dólares, para o reforço das capacidades do sistema nacional de saúde.

«Até o fim do ano vamos dar apoio directo ao orçamento geral do Estado, na ordem de 10 milhões de dólares», concluiu o administrador do Banco Mundial.

Banco Mundial, diz que a cooperação com São Tomé e Príncipe é excelente. A partir de 2021 pretende contribuir para o crescimento económico, e o combate ao desemprego no arquipélago.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Fuba cu bixo

    28 de Outubro de 2020 as 10:03

    BM disponibilizou 70 milhões que infelizmente vai directo para os governantes comprarem casa na Europa comprarem jeeps topo de gama e saberem de vida deles e família deles.
    Este é o Governo que mais recebeu dinheiro dos parceiros internacionais mais o povo Santomense continua na pocaria e miséria.

  2. profeta

    28 de Outubro de 2020 as 10:11

    não se esqueçam da área de saúde, sobretudo no que referi a criação e funcionamento de pelo menos uma unidade de dialise, no nosso sistema de saúde,…afim de aliviar o sofrimento dos nossos pais, irmão, filhos que sofrem em portugal por conta disso. .. obrigada

  3. Sem assunto

    28 de Outubro de 2020 as 10:55

    Conversa fiada, promessa para animar aqueles que recusam ver a realidade. Agora a cooperação é excelente, posteriormente voltarão e dirão que foram enganados e iludidos com relatórios falsos a semelhança do que aconteceu a quando da entrada no poder desta facção coligacional. Paradoxo, hoje dizem preocupados com desemprego jovem quando foram vocês que emitiram ordens para a não contratação de nenhum técnico, ordem está que esteve em vigor durante todo o ano de 2019,e parte de 2020.
    Sabe FMI, o povo Santomense na verdade jamais desenvolverá com as vossas interferências, creio que os senhores têm conhecimento deste fato, logo excusem se de virem cá dar show of.
    Por quem nos tomam?

  4. Sempre atento

    28 de Outubro de 2020 as 11:08

    O BM já é o parceiro financiador de STP há décadas. Certamente deve conhecer melhor o país ao nível de gestão dos recursos financeiros concedido ao país. Eu diria que a maior dívida financeira contraído foi com o BM. Não é mau contrair empréstimos porque todos o fazem, até mesmo os mais desenvolvidos, o problema é quando se ouve falar desses tais valores em que o povo na prática não vê os efeitos. Eu pergunto ; porquê que o BM não anuncia uma fiscalização e um controlo rigoroso na aplicação dessas verbas? A país vai pagar e muito caro.(se pagar). Eu não acredito que o nosso país tenha tanta despesas a fim de alguns empréstimos se tornarem insustentáveis. O nível tão alto de corrupção é que faz o país incapaz de viabilizar as suas despesas. É um trabalho em que a justiça deveria ter como prioridade em resolver. Mas infelizmente ela não funciona por estar influenciada e politarizada.
    Tirem-me desse filme.

  5. Sempre atento

    28 de Outubro de 2020 as 12:03

    O BM anuncia mais de 70 milhões de dólares nos próximos 3 anos. Não se atira o dinheiro assim a um país em que os governantes são medíocres em gerir, tem que haver prestação de contas. Daqui há 3 anos será o momento em que este governo estará de saída ou não. Neste momento ninguém presta contas e o povo vai estar nesta música e dança sem fim. E isto é um problema grave que se vem arrastando há muito tempo governo após governo e ninguém põe um travão nisto. Não tenho partido nenhum nem simpatizo por nenhum deles mas a verdade tem que ser dita. Fui contra o do Patrice Trovoada não pela sua governação porque se foi danosa mais também não foi pior que esta. Fui sim contra era o regime opressor que queria implementar no nosso país fazendo calar a força tudo e todos até a comunicação social. Porque a governação do Jorge B J também não está ao nível daquilo que muitos esparavam. São todos iguais.

  6. Fuba com bixo

    28 de Outubro de 2020 as 13:09

    Oh credoeee….mais dinheiro a vir para os bolsos de alguns…tem sido um fartar de cambalacho!!bendito Covid que vai engordar dirigente que nem porco de Natal. Tanto dinheiro que desce na grota milhões e milhões para abrir concursos e projectos para os amigos e sobrefacturar a vontade e povo ganha uma estrada que enche de buraco em menos de dois anos. Essas organizações não dão nada a ninguém.factura dessas doações vai vir para pagar mais tarde com contrapartidas em acordos economicos (como aquele do pescado com a União Europeia ) danosos para São Tomé e Príncipe…mas como aqui, aqui, aqui se pensa pequeno e sem visão é no que dá. ..

  7. Toni

    28 de Outubro de 2020 as 16:40

    Se calhar já podem construir um hospital digno desse nome….
    Se calhar já podem começar a colocar energia renovável
    Se calhar já podem dar condições no aeroporto internacional
    Se calhar já podem dar refeições nas escolas
    Se calhar já podem começar a criar condições de vida mínimas para o povo
    E mais haveria a indicar….

    Trata se de metade do OE, fora o que já foi dado, poderia chegar a quase 500 mil dólares por habitante, mas não se vê nada de concreto ou de política de desenvolvimento, é a história de Stp desde a Independência.

    Triste mas é assim!!!

    Obs: este valor é o preço de um jogador de futebol na Europa!!!

    Triste!

  8. Nada haver

    28 de Outubro de 2020 as 23:52

    O meu caro PM JBJ não si esqueça que os valores arrecadado ou os que vão arrecadando nessa terra natal a sua má gerencia ñ será só para os peixes pequenos os vossos netos e bisnetos também irão colher o que os seus vovó fizeram durante o seu mandato por isso pense bem antes de ir construir o império na Europa como outros que lá estão e que ñ voltam mas a terra só fica a mandar as bocas chamando-nos de nome que não merece.

  9. ONDE MESMO?

    29 de Outubro de 2020 as 9:34

    O problema deste e outros montantes que se vão dando nome de donativos não entram na totalidade para S. Tomé e Príncipe. Metade ou mais de metade fica nas mãos deles (os doadores) como salários dos expatriados, rendas de casa, compra de viatura, combustível, etc, etc. e apenas cerca de 30 ou 40% entra efetivamente para o projeto e destes ainda tiram uma fatia para o salários do diretor e funcionários pela parte santomense, sobrando assim uns míseros 20% para a real execução dos projetos e como tal fica tudo mal feito ou mesmo por fazer, sem contar ainda com a corrupção generalizada que tornou moda principalmente a partir da década de 90. A minha teoria é confirmada com a provável vinda para S. Tomé e Príncipe da sua filial (Banco Mundial) designada, Sociedade Financeira Internacional, a trabalhar aqui em São Tomé e Príncipe.

  10. Alligator

    29 de Outubro de 2020 as 10:42

    Pronto! Os políticos e dirigentes devem estar neste momento a esfregar as mãos de alegria, pois já está confirmado mais dinheiro para o “rega bofe” deles e da família, para viverem a grande e a Francesa, em detrimento deste povo que vem sofrendo há 45 anos, mas só lhes digo uma coisa,(aos políticos), “não há mal que sempre dure e nem bem que nunca acabe”.A vossa factura há de chegar aos poucos, quem viver verá.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo