Economia

FMI desembolsou mais 2,73 milhões de dólares para STP

O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional, FMI, decidiu no final do mês de Fevereiro, pelo desembolso de 2,73 milhões de dólares a favor de São Tomé e Príncipe.

Segundo o comunicado do FMI, o donativo financeiro, visa suportar os gastos sociais e a recuperação pós-pandemia.

O FMI explica que o desembolso da ajuda financeira a favor de São Tomé e Príncipe, resulta da segunda revisão do acordo de facilidade de crédito alargado, assinado em Outubro do ano 2019.

O bom desempenho macroeconómico do governo santomense, mesmo em momento de pandemia da Covid-19 permitiu a revisão positiva do acordo.

O desembolso de 2,73 milhões de dólares para o ano 2021, eleva para 10,34 milhões de dólares, o valor total do financiamento já desbloqueado pelo FMI para São Tomé e Príncipe, a partir do ano 2019.

«O programa visa apoiar a reforma económica para restaurar a estabilidade macroeconómica, reduzir a vulnerabilidade da dívida, aliviar as pressões da balança de pagamentos, e criar as bases para um crescimento mais forte e inclusivo», refere o comunicado do Fundo Monetário Internacional.

Por outro lado, o conselho executivo do FMI, recorda que no mês de Abril do ano 2020, aprovou um financiamento de emergência a favor do arquipélago, no valor de 12 milhões de dólares.

Verba que segundo o FMI, teve a missão de atender as necessidades de financiamento externo  decorrentes da pandemia da Covid-19.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Matabala

    5 de Março de 2021 as 10:14

    Tela Non tem de esclarecer melhor o leitor pois quando escreve numa frase que é ” donativo financeiro” e na outra logo a seguir ” uma extensão do crédito já concedido” entra em clara contradição.
    Esta verba como a outra dos 12 milhões faz parte de um empréstimo. Emprestimo= divida ou seja teremos de pagar um dia.
    O que foi feito com a primeira trancha dos 12 milhões para benefício da economia? Inventaram uns cabazes que só eram entregues aos militantes (os outros passavam na porta sem parar), meteram cerca de 1000 dobras a disposição para cada um ir buscar (ainda que fossemos todos- crianca incluída daria 200mil dolares ainda sobrava muito), pagaram só durante 4 meses o equivalente a 30% do salario aos funcionários de empresas privadas afectadas pela pandemia (empresas ligadas ao turismo e outras como discotecas que se encontram paralizadas ha um ano) e o resto? O resto foi a comprar sabão (!!!!), a pagar rendas de casa milionarias e em projectos de faz de conta.
    O que o FMI acha que vai acontecer a esta segunda trancha?
    Enfim…estamos perdidos

  2. Fuba cu bixo

    5 de Março de 2021 as 12:56

    Desde que este governo tomou posse esse tipo de notícias tem sido recorrente este governo tem recebido muito dinheiro acho até que é governo que recebeu mais dinheiro,mas ninguém consegue explicar onde estes dinheiros tem entrado a verdade é que vida do povo de S.Tomé e Príncipe tem piorado a população clamam pelo socorro.
    As instituições como Tribunal de Contas estão todos feito com o governo e o dinheiro vão disaparecendo entre os camaradas o que nos vale são apoios internacionais apoio até do Príncipe não vejo a hora de este governo de Jorge bom Jesus sair.

  3. Zé de Neves

    5 de Março de 2021 as 13:20

    Não se trata de um donativo.

    O FMI não dá dinheiro. Empresta-o e cobra-se de juros que não são baixos.

    Sejam por favor mais rigorosos na informação.

  4. Lima

    5 de Março de 2021 as 15:37

    Pois é,estamos mal por toda vida,quer dizer de geracao em geracao esses dons-emprestimos -dividas vao nos colar nas maos,como nos pes para sempre.Nunca mesmo se, custuma-se dizer que,nao se deve dizer nunca ,iremos acabar com essas dividas.Elas sao tantas que salvo milagres essas dividas vao deixar de existir.Sao esses emprestimos que nao se pode liguidar e tem-se denovo que fazer outro emprestimo para pagar a divida e assim sucessivamente.Dizem que,mesmo na Europa um particular que nao tem dinheiro faz emprestimos com uma taxa que nunca conseguem pagar entao perdem casa, carro e tudos os bens que teem.O resultado é que ficam na rua,divorcio e tudo.O :deram-nos,deram-nos a gente esquece que nao sao dons mais dividas que teem que ser reembolsados.

  5. Bom só

    5 de Março de 2021 as 16:59

    Kkkk…dinheiro para campanha já chegou com ajuda de FMI…candidatos ligados nesta NM já podem dormi discansado.kkkk

  6. Jorge D'Alva

    5 de Março de 2021 as 17:00

    Parabéns Governo. Mais milhões para fazerem festas e banquetes. Senhor Delfim pode preparar de novo a renda das suas casas. Já caiu novos milhões.
    Hospital sem água, sem casas de banho, sem raios x, sem oxigénio, sem medicamentos.
    Mas existe dinheiro para compra de sabão azul de mais de 17 mil dólares, pagamento de renda a Delfim Neves de mais de 10 mil euros, de compras de carros novos para Diretor da Rádio Nacional etc. etc.
    Assim vai a gestão das verbas posta a disposição do povo pelos nossos parceiros

  7. Leandro

    29 de Março de 2021 as 23:07

    Um dia Eu serei o presidente desta pequena grande Nação e eu vos juro que ao meu Comando que isto vai mudar pois eu acredito que não a mal que dure para sempre..

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo