Economia

Cartão VISA já é oficial no sistema de pagamento automático de STP

«Está aprovado oficialmente pela VISA, a aceitação do cartão VISA em S. Tomé e Príncipe». A garantia é dada pela administração da Sociedade Gestora do Sistema de Pagamentos Automáticos de São Tomé e Príncipe, a SPAUT.

Calixto Moniz, Administrador Executivo da SPAUT, confirmou que «o Sistema de Pagamentos Automáticos de S. Tomé e Príncipe já está a aceitar a utilização de cartão VISA nos terminais ATM e POS instalados em todo país e algumas pessoas já começaram a fazer as suas operações com o cartão VISA e com sucesso…

O serviço é oferecido pela primeira vez em São Tomé e Príncipe, pelo novo sistema de pagamentos automáticos que começaram a ser instalados desde Janeiro passado.

Em entrevista ao Téla Nón, o Administrador Executivo da SPAUT, explicou que a utilização do cartão VISA no país, vai ser um dos motivos da inauguração oficial da nova rede DOBRA 24.

«A partir do dia 28 este serviço estará oficialmente inaugurado, para que os homens de negócios, turistas e a diáspora santomense e também os cidadãos nacionais que transportam o cartão de pagamentos VISA, possam fazer seus levantamentos em moeda nacional, a dobra, nas nossas caixas automáticas dos bancos ligados a rede Dobra24. ….E poderão também realizar compras de bens e serviços no nosso mercado através dos terminais POS», precisou Calixto Moniz.

A aceitação dos cartões VISA é um marco significativo para São Tomé e Príncipe, como país que promove o turismo, tendo em conta que vai contribuir para o incremento do fluxo de turistas e garantir a colocação de São Tomé e Príncipe no mapa internacional de destinos turísticos.

Nas ruas da cidade de São Tomé, o Téla Nón registou comentários de populares a respeito das novas caixas automáticas instaladas para modernizar a rede dobra 24.

«Como cliente faço uma avaliação positiva, até porque tem mais serviços do que as máquinas anteriores, é moderna e funciona bem, é rápido.», afirmou a cidadã Nelsy Silva, após ter levantado dinheiro numa das caixas automáticas.

A cidadã que por sinal é directora de promoção e actividades turísticas, recordou e fez questão de destacar a possibilidade que as novas caixas automáticas dá ao utente de utilizar o cartão VISA.

«Tem visa e é muito bom para o nosso turismo. O Turista pode vir e utilizar o cartão VISA para fazer o seu levantamento. Assim o turista poderá gastar mais dinheiro durante a sua permanência em São Tomé e Principe..», frisou Nelsy Silva.

A cidadã teceu para o Téla Nón outros comentários sobre a experiência que tem da actividade turística no país, e o impacto positivo que o Cartão VISA, vai ter na economia nacional.

«Antes o turista teria que trazer consigo o dinheiro para gastar durante as férias. Da experiência que tenho do sector, muitas vezes o dinheiro acabava, e o turista ficava sem conseguir adquirir ou uma lembrança no final da sua estadia em São Tomé e Príncipe, ou mesmo adquirir outros serviço», pontuou.

O cartão VISA vai permitir que o turista gaste mais, e faça circular mais dinheiro no mercado nacional.

«Com VISA vai ajudar o sector do turismo e terá impacto positivo na nossa economia, o turista vai deixar mais dinheiro no país», concluiu Nelsy Silva.

O novo sistema de pagamentos automáticos abre caminho para a promoção do turismo em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Zochi

    26 de Abril de 2021 as 9:10

    Nao somente o turismo mas tambem tera vantagens para o cidadao comum. Por outro lado o governo tambem podera tirar partido disso exigindo alguns pagamentos atravez do cartao visa assim evitando desvio de fundo de estado por funcionarios, exigindo de mesma forma ao Taxistas etc para ter o mesmo cartao de modo a cobrar multas nas estradas, todos pagamentos de bens publico como BI, passaporte, registos etc, assim evitara que haver desvios de fundo de estado. Por outro lado fazer uma campanha de sensibilizacao para que as pessoas saibam usar o cartao evitando assim atos fradulentos. obrigado

  2. José paulo

    26 de Abril de 2021 as 10:24

    Agora fica a faltar a energia. Sem ela nada funciona.

    • Hélio Fernandes Bandeira Lima

      26 de Abril de 2021 as 21:01

      Nos últimos dias há cortes constante de energia em São Tomé e Príncipe (STP). Existe um financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) destinado ao Projeto de Transição Energética e Apoio Institucional. Foi lançado um concurso público destinado a contração de um Especialista em Gestão Financeira de Projeto financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento. Em termos de critérios de avaliação, realço a experiência geral com 20% e experiência específica com 30%. Comprovei que tenho 25 anos de experiências nas áreas financeira, de RH, contabilidade e administrativa. Por outro lado, durante 11 anos fui Especialista em Gestão Financeira de 5 diferentes projetos financiados pelo BAD. Estou registado na Ordem de Técnicos Oficiais de Conta e Auditores. Tenho nota de Louvor, vinte anos como professor universitário das disciplinas de Contabilidade Geral, Gestão Orçamental, Contabilidade Analítica entre outras disciplinas relacionadas a área de contabilidade. Na Licenciatura feita na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo eu tive nota máxima na disciplina de Contabilidade Geral e nota máxima na monografia. No mestrado feito na Universidade Politécnica de Madrid tive 90% da nota máxima na dissertação. No doutoramento na Universidade do Minho, terminei toda a parte curricular mas na defesa do projeto da tese tive uma nota que considero péssima, tive 15 valores, por isso, vou continuar quando estiver preparado para tirar no mínimo 18 etc ,etc. Segundo o TDR o Especialista em Gestão Financeira do Projeto do BAD deverá: implementar sistemas de contabilidade sólidos em conformidade com os requisitos e procedimentos de gestão financeira de projetos financiados pelo Banco Africano de Desenvolvimento e também dar formações ao staff do Projeto financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento. Para a minha surpresa uma pessoa que não tem experiência na área e que está, atualmente, a estagiar na Direção dos Impostos de São Tomé e Príncipe teve 17.20 na experiência geral e eu com toda a experiência tive 17,40. Ao nível de experiência específica a estagiária teve 23,2 e eu 26. Como é que o júri avalia a estagiária com uma pontuação quase idêntica a minha!? Como é que a estagiaria vai dar formação ao staff de um Projeto financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento se ela não sabe para ela os procedimentos de gestão financeira do Banco Africano de Desenvolvimento!? Tudo isso, é para demonstrar que enquanto não formos credível ninguém acreditará em nós.

  3. Mepoçom

    26 de Abril de 2021 as 15:46

    Naturalmente é BNSIP a liderar pode funcionar com sucesso. Desculpe, mas a verdade seja dita!! “Cuá colomba,cá pê opé nê ê cá tó melé” Valeu a pena convidar o BNSIP em substituição de BNU.

  4. Personalização dos serviços bancários.

    27 de Abril de 2021 as 9:20

    Que sistema financeiro é esse em que a tramitação de operações de transferência bancária entre alguns bancos, leva por vezes 15 dias. Os banqueiros, o banco central e o Tesouro têm de sentar-se numa reunião e resolver esta pouca vergonha…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo