Economia

STP está a um passo de ver os produtos de exportação registados na União Europeia

Uma Masterclass em indicação geográfica para as culturas de exportação de São Tomé e Príncipe, abre portas ao registo dessas culturas, pela primeira vez, pela União Europeia. São Tomé e Príncipe passará a ser registado como indicação geográfica protegida com direito exclusivo de uso do nome para o cacau, pimenta e café.

 «Ao pesquisarmos o nome de S. Tomé quer no cacau, quer no café, quer na pimenta verificamos que tem força, tem procura e tem interesse. S. Tomé e Príncipe já é uma designação com valor, as marcas querem agarrar este nome. Importa, por conseguinte, que nos mobilizemos todos sobre liderança do Serviço Nacional  da Propriedade Intelectual (SENAPIQ) e do ministério que supervisiona para registarmos o nome de S. Tomé e Príncipe como indicação geográfica protegida para ter o direito exclusivo do uso deste nome para estes três produtos», disse Carolina Quina, administradora-executiva do Instituto Marquês de Vale Flor.

O que se pretende com o impulso do projeto de apoio às fileiras agrícolas de exportação, é a valorização dos produtos de S. Tomé e Príncipe no mercado internacional, contribuindo para o reforço da economia das ilhas.

«Estou certa que com a conclusão do processo de registo de indicação geográfica (IG) para os produtos de S. Tomé e Príncipe será mais uma etapa alcançada e com impacto futuro na economia nacional» vincou Cristina Moniz, embaixadora de Portugal em S.Tomé e Príncipe.

A diplomata portuguesa assegurou ainda que “não deixaremos de vos acompanhar no lóbi que é necessário ser feito em Bruxelas para que depois, o processo quando lá chegar, não fique parado e que possa ser concluído da forma mais célere possível”.

«O governo compromete-se em criar todas as condições para a materialização do processo inerente a indicação geográfica para as culturas de exportação de S. Tomé e Príncipe, especialmente, no que concerne a preservação do nome de S.Tomé e Príncipe», destacou por sua vez, Lindley de Jesus, director do gabinete de Estudos e Políticas Económicas do Ministério do Planeamento, Finanças e Economia Azul.

Com a indicação geográfica os produtos de exportação de S. Tomé e Príncipe ficarão protegidos de utilizações abusivas ou fraudulentas, o que irá contribuir para o aumento da competitividade e confiança dos consumidores em relação a sua verdadeira origem.

Este projeto de apoio às fileiras agrícolas de exportação (PAFAE) é financiado pela união europeia, co-financiado pelo Camões e implementado pelo Instituto Marquês de Vale Flor, em parceria com o Ministério santomense de Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural.

José Bouças

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top