Política

Ministério da Justiça criou serviço de piquete na PIC  

O Ministra da Justiça, Administração Pública e Direitos Humanos, Ilza Amado Vaz, inaugurou o primeiro serviço de piquetes da Polícia de Investigação Criminal.

O espaço modernizado melhora substancialmente o atendimento ao público, e traz novidades que garantem a independência do sistema de justiça.

Segundo a ministra da justiça, o serviço de piquete conta com 3 viaturas para diligências, e todos os custos, nomeadamente com os combustíveis são suportados pelo Estado.

Até a pouco tempo muitos cidadãos, pensavam mil vezes, antes de irem apresentar uma ocorrência na PIC. Em caso de um assalto na residência do cidadão, muitas vezes as diligências da polícia tinham que ser suportadas pelo próprio cidadão queixoso, com destaque para o pagamento dos combustíveis.

Noutros casos e por falta de viaturas na PIC, o cidadão assaltado tinha que colocar a sua viatura a disposição da polícia para realização das deligências.

Factores que deixavam a investigação criminal à partida inquinadas, e brigavam com a independência do sistema de justiça.

O serviço de piquete agora criado está enquadrado na nova estratégia do Ministério da Justiça de reforma profunda do sistema de justiça. Ilza Amado Vaz, disse na cerimónia de inauguração do serviço de piquete, que o novo serviço é uma das bases que vai suportar o nascimento da Polícia Judiciária são – tomense.

Portugal é parceiro de São Tomé e Príncipe no projecto de modernização da Polícia de Investigação Criminal, e da reforma do sistema de justiça. O embaixador de Portugal marcou presença e manifestou o empenho de Lisboa na cooperação com São Tomé no sector da justiça.

A mesma cerimónia serviu para encerrar o curso de formação administrado por um especialista da Polícia Judiciária de Portugal aos agentes da PIC.

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. aniceto costa

    6 de Dezembro de 2017 as 18:09

    Espero que muito brevemente o Augerio Amado Vaz seja o proximo convidado para este local msis para sair de lá algemado para tribunal para ser julgado sobre o processo da fábrica de cerveja ROSEMA em que ele foi o principal protagonista de todo o cambalacho e vicios nos processos que até hoje está trazendo problemas, muita corrupção e má imagem de S.Tomé e Príncipe.

  2. Andrade

    11 de Dezembro de 2017 as 20:03

    Sendo sincero, Gostei muito da ideia concretizada da Senhora Ministra da Justiça, Administração Pública e Direitos Humanos, Ilza Amado Vaz, mas, o que a mim importuna, é o facto de dependermos sempre de alguém para colocarmos as nossas ideias em andamento, uma vez que também somos capazes de as fazer.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo