Política

Governo corta nas viagens e impõe classe económica para os ministros

Pela primeira vez em São Tomé e Príncipe, os membros do Governo que viajam para o estrangeiro, vão sentar-se junto com o povo, na classe económica. O Governo de Jorge Bom Jesus, decidiu em conselho de ministros cortar o acesso dos ministros a classe executiva nos aviões.

Uma medida que segundo o Governo visa dar resposta «aos constrangimentos financeiros que o país atravessa».

Só o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, pode viajar regularmente na classe executiva. « com excepção do Primeiro-Ministro, todos os membros do governo passam a viajar em classe económica», frisa o conselho de ministros.

Os demais membros do Governo, só terão acesso a classe executiva, se «o bilhete de passagem for pago pelo Estado ou organismo internacional que faz o convite», reforça o governo.

Pelo mesmo motivo, constrangimentos financeiros, o executivo decidiu também «limitar as viagens de serviços dos funcionários públicos, ao estritamente necessário».

Em mais de dois meses de mandato como Primeiro Ministro de São Tomé e Príncipe, só uma vez o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, deixou São Tomé, a sua terra natal, rumo ao estrangeiro. Foi para participar na cimeira da União Africana em Adis Abeba.

Um comportamento contrário ao que se verificava em São Tomé e Príncipe nos últimos 4 anos, em que o edifício da Primatura são-tomense tinha-se transformado num ponto de escala, das semanais viagens do anterior Chefe do Governo para o mundo.

Abel Veiga

    19 comentários

19 comentários

  1. Pedro Costa

    21 de Fevereiro de 2019 as 23:02

    Ai é!
    Quer dizer que muitos andaram este tempo todo em classe executiva? Sinceramente, um país pobre e os governantes a exibirem luxo a custa do povo, dos cofres do estado. Apoio e há assuntos que se pode tratar via internet ou por telefone.
    Só aproveitam as viagens para encherem os seus bolsos, porque muitos que viajam não fazem mais nada, senão for, a verba que pedem para hotel, gastam-na em pensão; a verba destinada a refeição de gala, gastam-na numa tasca qualquer e nem isso fazem e vão comer em casas de amigos. No fim é o estado a pagar

  2. Jose Rocha

    21 de Fevereiro de 2019 as 23:03

    Quando é que irao baixar os salarios milionarios criados pelos fantoches do MLSTP/PCD? Assim fizerem isso serei o primeiro a aplaudir esse governo.

  3. WXYZ

    22 de Fevereiro de 2019 as 6:51

    Guadá! Êê sa cedo antauó.

  4. Paulo Jorge dos Reis

    22 de Fevereiro de 2019 as 8:00

    Falar não pode, este gajo de Patrice Trovoada, transfornou-se em Caixeiro Viajante, e só sentava no seu gabinete de vez em quando para traçar planos maquiavelicos e dizer ao Américo vê la se aranjas mais dinheiro porque tenho que ir ver estes gajos das arabias para ver se eles me envolvem no sistema( AL Arabiam Bisness)

  5. O Revolucionário

    22 de Fevereiro de 2019 as 8:19

    Uma medida que devia ser posta em prática dês de sempre, pois não se justifica a saída dos ministros ou qualquer um outro funcionário público para o exterior regulamente. Dinheiro público é do público para a prossecução dos interesses públicos e não dos ministros. Salve aqui de Portugal para Jorge Bom Jesus, um exemplo a seguir…

  6. ANCA

    22 de Fevereiro de 2019 as 8:31

    Sendo São Tomé e Príncipe um País(Território/População/Administração), pequeno, sem recurso, pobre, dependente de ajuda externa;

    O ditado é antigo, o exemplo vem de cima,

    O próprio primeiro ministro para dar exemplo, deve ser a primeira pessoa a promover tal pratica, viajar em classe económica, ou seja pôr-se a nível dos seus colegas, numa clara atitude de humildade, simplicidade na gestão da coisa pública.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

    • Manilson Lima

      23 de Fevereiro de 2019 as 22:21

      Um primeiro pode até dar exemplo, mas não pode esquecer que deve manter a boa imagem e reputação para outros ministros

    • Rapaz de reboque

      26 de Fevereiro de 2019 as 14:38

      Deus abençoe São Tomé, futuro bispo Macedo para desturquir dinheiro dos inocentes

  7. Carla

    22 de Fevereiro de 2019 as 8:32

    Boa iniciativa. E para quando o ajustamento salarial na função pública? Até quando o país vai conviver com esta excessiva diferença salarial que reina na função pública onde alguns técnicos superiores ganha 3 mil e outros 80 mil num país onde todos se conhecem e se cruzam diariamente?

  8. Eddy

    22 de Fevereiro de 2019 as 8:59

    Atè que enfim nos encontramos um verdadeiro primeiro ministro .povo vamos apoiar JBJ para o nosso bem esta de todos os Saotomenses .viva JBJ

  9. Alligator

    22 de Fevereiro de 2019 as 9:08

    Concordo plenamente,espero que seja a primeira de muitas medidas que têm que ser tomadas urgentemente em STP. Vicios acumulados pelos sucessivos governos, desde 1975.”Vamos em frente que a tras vem gente”!

  10. De Longe

    22 de Fevereiro de 2019 as 10:45

    Aplaudido.
    Há um indivíduo que acredita na construção da sociedade. Ele tem empresa e funcionários. Para espanto de todos, incentivou o seu filho a trabalhar nas férias numa quinta onde iria dormir em camaratas com várias pessoas desconhecidas e com princípios de educação e de higiene muito diversos. O filho entendeu que era preciso saber viver e aprender com todos. No fim, sentiu-se feliz com a experiência. Depois de contar o que aprendeu e o gozo de um convívio inesperado, o pai perguntou: “Tiveste humildade necessária para que eles tivessem o gosto de melhorar em algo contigo?”
    Fico à espera que as viagens em classe económica, em vez de serem uma maçada, venham a ser um verdadeiros momentos de prazer em formar informalmente os nossos cidadãos no âmbito de cidadania, proximidade união e prosperidade sem deixarem de se fazer respeitar.
    Fica também outra esperança: que esta iniciativa não sirva para perdoar a má gestão ou desvios de bens públicos praticados por copartidários.

    • De Longe

      22 de Fevereiro de 2019 as 11:16

      Em vez de “para perdoar” seja “para camuflar”

  11. Maria Gostado de Louvar e que não pare por aí...

    22 de Fevereiro de 2019 as 12:47

    Esta medida é boa demais. Aguardamos agora a efectivação formal do seguinte:

    1 -REMIS que vai contribuir para reduzir a extrema pobreza e a exclusão social dos menores, mães pobres,idosos desprotegidos e abandonados, através do calor humano e fraternal da solidariedade social. Esta medida é uma grande conquista deste governo e ficará na história de STP, como o primeiro governo que realmente pensou no sofriomento dos mais desprotegidos e excluidos da sociedade santomense…

    2- A regularização dos salarios na Função Publica + dos Institutos e Empresas públicas que a acontecer ficará na história como outra grande marca deste XVII Governo do Povo.

    3- O orçamento do cidadão deveria ser igualmente feito, nos lares de idosos, nas instituições públicas sobretudo onde se pagam salarios miseraveis….como no Ministerio de Agricultura, Ministerio do trabalho, Ministerio da Juventude, etc também na Radio Nacional e na TVS, Direcção de Florestas, etc, para que o Governo oiça a opinião destes funcionarios sobre o orçamento que deverá ser feito para que o sol ao nascer, não nasça e ilumine apenas os trabalhadores das enasas, emaes e enarpots etc, mas sim para todos os filhos da terra…. Pois todos somos santomensses e temos filhos para criar….

  12. Amar o o que é nosso

    22 de Fevereiro de 2019 as 15:51

    Muito bem. Que venham mais atitudes destas. Uma reforma salarial.. Responsabilidade sobre bem comum…auditorias sérias em todo o sistema público…

  13. Renato Cardodo

    24 de Fevereiro de 2019 as 7:08

    Hahaha
    Toda verba orçamentada para viagens ao exterior são utilizadas pelo Ministro e seus protegidos.
    O restante dos funcionários se viajarem as passagens dificilmente o Governo paga.Os subsídios jamais.Se derem 100 dólares é com muita sorte.
    Aliás a verba para deslocações são o triplo do salário anual do Ministro e ele não pode perder esse valor.
    Definitivamente a contenção dos gastos não é por aí…
    Enganem os ingênuos…

  14. TonyexMk

    25 de Fevereiro de 2019 as 11:07

    Será que têm as contas em dia com Stpairways e TAP??

  15. SAMPONHA

    25 de Fevereiro de 2019 as 12:05

    Meus senhores. Sigam com atenção a comunicação social e compreendereis que enquanto não sair o Orçamento Geral do Estado, o Governo tem pouca margem de manobra para resolver vários problemas do País Os salários são pagos com o duodécimo.

  16. Rapaz de reboque

    25 de Fevereiro de 2019 as 13:26

    Vao roubar da mesma é um pais que vai ser dificil tomar um rumo, enquanto, o povo não mudar de mentalidade,trabalhar mais, ter mais higiene, serem mais educados, pelo que eu vejo nesta terra, ninguém se entende, nem escrever correctamente a maioria nao sabem

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo