Política

Confiança renovada em JBJ para dissipar intoxicação política

A Assembleia Nacional renovou o voto de confiança ao Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, e ao seu Governo. Um acto político que acabou por ser um desafio lançado pelo p´roprio Chefe do Governo à Assembleia Nacional.

Jorge Bom Jesus que submeteu ao parlamento a proposta de Moção de Confiança ao seu governo, explicou as razões que o levaram a fazê-lo. « É extremamente complicado estar-se a governar com intoxicações. Todos os  dias. Não é possível governar São Tomé e Príncipe desta maneira. Por isso eu vim aqui, com esta moção de confiança», afirmou o Primeiro Ministro.

Jorge Bom Jesus considera que a moção de confiança, põe fim ao clima político nublado, que ameaça o seu governo. «Para dissipar esta atmosfera política. Para desanuviar, para dizer claramente a uns e outros que nós queremos continuar a contribuir também para que São Tomé e Príncipe saia do buraco», frisou.

O Chefe do Governo quer paz para continuar a trabalhar. O Téla Nón sabe que a pressão política, que visa retirar tapete ao Primeiro Ministro do XVII Governo constitucional, não vem só da oposição e de sectores de tendência extremista ou telecomandada por interesses, sobretudo económicos.  O Téla Nón apurou que mesmo no seio do seu partido o MLSTP, Jorge Bom Jesus, corre riscos de ser rasteirado, por certa ala que se rebelou recentemente em consequência do desfecho que teve o caso Rosema.

«Há muita gente que possivelmente gostaria que este governo fracassasse, e que nós entrássemos no eterno recomeço. Precisamos de tempo para plantar, para regar e depois o tempo para desfrutar, e em 6 meses não é possível», declarou o Primeiro Ministro no púlpito da Assembleia Nacional.

Antes mesmo da votação da moção de confiança, a coligação PCD-MDFM-UDD, declarou total apoio ao Primeiro Ministro, e garantiu a Jorge Bom Jesus, o voto de confiança do grupo parlamentar que tem 5 assentos no parlamento.

A votação comprovou que o actual governo tem confiança da maioria dos representantes do povo, para continuar em funções. A Moção de Confiança foi aprovada com 28 votos da maioria parlamentar. O maior partido da oposição, a ADI  registou 20 votos contra e uma abstenção. Levy Nazaré Vice Presidente da Assembleia Nacional e deputado da bancada da ADI foi quem se absteve.

O Movimento Caué, com 2 deputados manifestou-se com 1 voto contra da deputada Betriz Azevedo. O outro deputado do movimento ausentou-se da sessão plenária antes da votação.

Jorge Bom Jesus, tem confiança renovada, e já prometeu começar a fiscalizar o desempenho dos membros do seu elenco, assim como dos funcionários públicos, com destaque para os directores da administração central do Estado.

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Windows 11

    26 de Junho de 2019 as 0:19

    Que confiança renovada? Isto é uma confiança e paz podre.
    Se for tipo daquela votação como no janeiro da tomada de posse que os deputados tiveram todos que dormir no hotel do Delfim ou aquela coisa que vi depotados em um mini autocarro a serem contados como carneiros para irem ao parlamento eu nunca vi isto em lado nenhum.
    Por isso para mascarar esta podridão dentro do MLSTP prenderam dirigentes do ADI e passão vida a falar do Patrice para intreter e destrair o povo.

    • Vedé

      27 de Junho de 2019 as 8:24

      Olha Windows, falaram de ti? Se falaram do Patrício é porque houve coisas podres aue ele fez. Desvio de fundos de um país popre que vive essencialmente da ajuda externa, delapidação das finanças públicas, organizador e financiador dos golpes de estado ocorridos no país, criador de força estrangeira dentro de um estado democrático, etc, etc. Responda pra si e não pra outros.

  2. ANCA

    26 de Junho de 2019 as 1:45

    Um País, tem como componentes, ou se se quiser recursos, o Território(solo, subsolo, a vegetação, a biodiversidade animal vegetal, o ar, o espaço aéreo, bem como o Mar), a População(instituição famílias, cidadãos nacionais, saudáveis e instruídos, honestos, trabalhadores, organizados(mentalidade cultural preparada para tais factos desde tenra idade, aquilo a que chamamos cultura ) e a Administração, estes três é vão conferir o poder de uma Nação, um povo, uma comunidade, uma sociedade, quando bem organizados, desenvolvidos de modo sustentável.

    Hora para se administrar, governar um País(Território/População/Administração, necessário de torna ser primeiro ser organizado e ter conhecimento empírico destas três realidade regista-las e contabiliza-las, juntamente com conhecimento literário, literacia que vai dar forma ao conhecimento empírico, estrutura-lo organiza-lo.

    Como exemplo Imaginemos;

    O povo, ou uma determinada a comunidade do sul ou do norte, centro, ou da Ilha do Príncipe, gosta de pesca, ou têm apetência para pesca, ou para agricultura, ou pecuária, etc, etc…necessário se torna saber mais sobre a forma como estas comunidades levam a cabo estas actividades suas condições, os matérias que utilizam, os custos que têm, o seu modo de vida, descreve-los estuda-los e regista-los, contabiliza-los este séria o conhecimento empírico desta realidade social cultural, ambiental económica e financeira,…numa fase mais avançada através do conhecimento literário literacia, mediante a organização e planeamento é possível ou pelo menos seria desejável desenvolver estes conhecimento estrutura-los mediante acções de instituições fortes e capazes ou seja homens devidamente capacitados e muito bem instruídos levar a cabo aquilo que se chama de desenvolver este conhecimento empírico, aquela comunidade, aquele povo, aquilo que se chama de desenvolvimento sustentável para bem comum presente futuro de todos, sem deixar de descrever escrever, contabilizar tais evoluções destas comunidades com passar do tempo para memória futura colectiva ou deixar registos e exemplos…aquilo que se chama cultura do trabalho, saber, saber pensar, saber fazer…

    Quem diz da realidade ou objecto de estudo, social cultural económica financeira de uma comunidade diz do objecto de estudo da realidade social, cultural(a forma como se agem, como se comportam, e porquê) dentro das varias instituições famílias São-tomenses, com várias consequências sobre classes etárias, sexos dentro dos elementos da família, da qual conhecemos o conhecimento empírico, a realidade de fome , pobreza, miséria, que leva a violência e maus tratos sobre as crianças sobre as mulheres, a poligamia, a gravidez na adolescência, o abandono escolar, os meninos da rua, a prostituição, o consumo de estupefacientes, bebidas alcoólicas na juventude, etc etc…que deveria ser descrito escrito e contabilizado, para a melhor organização, evolução desenvolvimento cultural mental através do conhecimento literário literacia…e o seu devido acompanhamento futuro.

    A par este exemplo como várias vezes aqui referi, há que descrever e conhecer a realidade geográfica do território(solo subsolo, biodiversidade animal vegetal, do mar, do ar), o clima, os factores de clima, a maneira como nos influência, a localização, a insularidade, a vegetação.

    Pois assim sendo São Tomé e Príncipe é um pequeno estado insular, isolado, periférico, pobre, sofre com dupla insularidade, com poucos recurso naturais e humanos qualificados disponíveis, dependente da ajuda e benesses do exterior a 100%.

    Isso marca-nos de forma veementemente catastrófica, jamais tomar consciência desta realidade, em termos de vantagens desvantagens sociais, culturais, ambientais, desportivas, politicas, económicas e financeiras, é jamais sair do mesmo sitio, ou seja a pescadinha de rabo na boca,…por favor pesquisem na Internet sobre
    os desafios de pequenos estados insulares vejam a realidade de São Tomé e Príncipe, e percebam a politicas que têm sido seguidas, as mentiras das instituições partidárias sobre a realidade,…e nada alongo mais.

    Um País(Território/População/Administração), que tem o mar a separar o seu território comum jamais investe na economia de mar, do que é que se pode esperar da economia????Muito tempo erradamente pensava-se que era a monocultura do cacau a única solução para o problema de falta rendimento do País, mais hoje sabe-se que falta a diversificação económica, falta de instituições fortes, a começar pela família, passando pelo caótico sistema justiça, educação, saúde que se implementa no País.

    Como se se quer desenvolver duas Ilhas cercada de mar, sem portos e aeroportos em condições, sem energias, sem telecomunicações, ferramentas de informações e comunicações tecnológicas, sem sistema de transportes e estradas organizadas, sem preservação do ambiente, do solo subsolo, da biodiversidade, da agua, etc….????

    Enquanto jamais formos capazes de mudar a nossa cultura tenra,(o modo como apreendemos a conviver desde tenra idade, dentro da família, dentro da sociedade, o nosso modo de pensar, ser estar), jamais seremos capaz de mudar toda outra realidade, torna-se urgente mudar a mentalidade do São Tomense desde tenra idade, isso se consegue, de várias formas; leis, regras, rigor, condições, meios, organização, que ajudaram os pais encarregados de educação a mudar a realidade dentro de casa, assumindo suas responsabilidades, através do sistema da justiça, sistema de educação, sistema de Saúde, e instituições fortes, sociedade civil organizada e forte, associativismo comunitário…

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

  3. Manuel do Rosario

    26 de Junho de 2019 as 6:37

    Muitos fazem-se de políticos para salvarem os seus interesses pessoais sem refletirem num São Tomé e Príncipe mais atrativo e nos filhos desta terra mais deslumbrantes. Não tenho dúvidas que Dr JBJ depare com o clima de crispação na sua boa governação tanto no seio do seu próprio partido como na oposição. Pois particularmente a questão de Rosema, muitos dos seus colaboradores não estão a conseguir relançar a sua economia conforme esperavam caso o partido ascenda ao poder. Muitos queriam usar apenas a sua boa imagem para alavancar o partido e depois faze-lo de um corta-fitas. Mas o tiro saiu pela culatra. Tenha fé que esta mentalidade irá mudar e o senhor será o melhor governante deste país como foi quando era ministro da educação. Deus ajuda-lo-a a desafundar este pequeno navio que se encontra ao meio do mar. “Não é fácil governar São Tomé e Príncipe “

  4. luis santos

    26 de Junho de 2019 as 8:03

    Ó Jorge o problema não está na confiança do parlamento. Está sim no descontentamento da população em geral uma vez que sabes que o Governo não está a fazer quase nada….Disseste que ias combater a corrupção….nas pescas a Aida directora e um dos funcionários apropriaram de dinheiro de multa aplicada a um embarcação e não fizeste nada…alguns ministros como a de turismo….são uma nulidade e cada intervenção que fazem é uma vergonha para o País… os camaradas de partido como Geronimo de loja de papagaio andam a tirar areia em Micolo para vender….tu não fazes nada….Não somos cegos…..

  5. Nuno Menezes

    26 de Junho de 2019 as 9:20

    Com a “confiança renovada” ‘e agora tempo de “prosseguir o trabalho”

    Nuno Menezes
    Lincoln,Reino Unido

  6. Amar o o que é nosso

    26 de Junho de 2019 as 12:57

    O Óscar Sousa e Osvaldo Abreu deviam sair, pois o Bairro Saton caiu,. Vai nascer um pantanal naquele Vale. E os valentes ladrões de areia cujos militares têm medo, mais cedo ou mais tarde vão ganhar mais confiança e cometerao crimes piores e há de tocar a toda gente. Daqui a pouco uns é outros terão de andar com seguranças

  7. Sam Ponha de Ponta Mina

    26 de Junho de 2019 as 14:56

    O que Governo que dê de facto provas de capacidade e competencias.
    Felizmente foram anunciados o arranque de um conjunto de obras que vai garantir sem duvidas emprego a muita gente sobretudo a juventude. Mas é necessário que muitos dos membros do Governo têm que redobrar esforços e mostrar trabalho. Como eu ja referi a isto no passado, exceptuando os ministros das obras Publicas Osvaldo Abreu, da Educação Julieta Izidro, da Comunicação Social Adelino Lucas, e da Agricultura e Pescas Francisco Ramos, todos os outros precisam de facto de dar provas. O Ministro das finanças na minha opinião vai ao meio do caminho, pois entre coisas feitas e por fazer ele tem algum mérito. Merito maior vai no entanto para o proprio Chefe do Governo JBL que sem receio introdução a casa de mandato do povo a renovação da confiança do seu Governo. Perante esses factos, esta claro que ele proprio deverá exigir mais dos ministros preguiçosos. Também nao concordo com a proposta do ADI que pediu a demissão de dois ministros. ADI que fique tranquilo porque ainda agora saiu do poder e isto não é casa de mãe Joana em que só o ADI quer tomar conta. Aliás Levy Nazaré deixou entender que ele jamais estará de acordo que se faça de STP um país para se ficar rico a custa do povo-

  8. Ralph

    27 de Junho de 2019 as 2:52

    Lutar contra a corrupção é nada fácil. Põe-se à frente de interesses estabelecidos que gostaríam de continuar a fazer as coisas como sempre têm sido feitas representa um obstáculo a que muitos querem resistir. Seria muito mais fácil desistir em frente dos desejos de alguns de evitar fazer a coisa certa. Os interesses estabelecidos têm muito a perder com um político decidido a abalar uma situação que é confortável para aqueles. Porém, este homem parece ter os interesses do povo no seu coração, estando preparado a colocar a sua própria posição em questão para desafiar os opositores a aceitar a sua abordagem, uma abordagem que eventualmente porá o seu país ao caminho certo. Isso requer coragem e ele tem sido recompensado por ter mostrado as suas convicções. E mesmo que ele tenha ganho a primeira batalha, continuará a ser difícil lutar contra um flagelo como a corrupção, o que vai demorar muito para derrotar porque é sempre mais fácil obter lucros de forma illícita do que fazer a coisa certa.

  9. luis santos

    27 de Junho de 2019 as 9:10

    Ó jorge nós estamos muito atentos a evolução da situação da STP airways, se deixarem a EuroAtlantic sair e forçar negócio com Ceiba facilitando negócios obscuros de alguns ministros (como Osvaldo Abreu) e pessoas ligadas ao partido MLSTP não vamos aceitar. Não podemos toda hora ser considerados de palhaços pelos politicos. O senhor fez promessas grandes afirmando que ia fazer isso ou aquilo mas quando assumiu o poder a primeira coisa que fez foi despedir pessoas e criar mais ódio entre os sao tomenses. Veja declaração do conselho de estado e a posição manifestada por Pinto da Costa. Um País não pode ser gerido com participação de uns camaradas e exclusão de outros por não pertencerem as fileiras dos partidos que suportam o governo… a nossa cidade é um caos, o desemprego não para de aumentar…aqueles que estão no sector privado têm imensas barreiras para manter porquanto o próprio Estado tem um politica de aniquilação de empresários nacionais e estrangeiros com cobrança inaceitáveis e no fim toda a gente sabe que esse dinheiro é para suportar as viagens e mordomias de aqueles que menos trabalham para o País….o combate a corrupção deve começar dentre do governo e dos partidos que o suportam….vejam como é que em Angola João Lourenço fez a diferença…ao contrário Jorge tu estás condenado ao fracasso, descrédito e desilusão….o povo está cansado de sofrimento, mentiras e promessas que nunca são cumpridas…

  10. joao quaresma

    27 de Junho de 2019 as 10:29

    Reclama-se autoridade de Estado no Bairro Saton…O Governo ainda vai a tempo….quando a gravana terminar será pior…

  11. artur alberto

    27 de Junho de 2019 as 14:53

    Jorge não tenhas ilusão está confiança é apenas provisória escreva aquilo que vou dizer ….os teus próprios camaradas vão te derrubar um dia como tentaram fazer com Gabriel Costa. quando viram que os seus interesses estavam em causa..o cancro deste País está em alguns camaradas de MLSTP já identificados nunca vão aceitar imposição de regras porque sempre foram habituados a servir deste País para atingir seus objectivos pessoais e de grupos instalados….acham-se donos de tudo isto….

  12. Vanplega

    27 de Junho de 2019 as 19:07

    Depois de regressar de Itália, ele (1 ministro) entregou + alguma sobra as finanças( dinheiro do estado)

    Ou foi sol de pouca dura

  13. artur alberto

    28 de Junho de 2019 as 8:24

    Deve-se criar um movimento para salvar o bairro de saton, já que o governo recusa fazer alguma coisa.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo