Política

Encontro empresarial China – CPLP em São Tomé

Está aberto o décimo quarto encontro empresarial para cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa. O evento inaugurado esta manhã em São Tomé, reuni várias dezenas de empresários da China e dos Países de Língua Portuguesa.

O evento que é o palco de dinamização das actividades do Fórum de Macau, coloca empresários da China e da CPLP, em contacto directo, na perspectiva de promover negócios e explorar novos mercados.

São Tomé e Príncipe que alberga o encontro empresarial, pretende transformar o evento numa rampa de lançamento, para transformação do arquipélago num centro estratégico de negócios e de prestação de serviços na região do Golfo da Guiné.

«Gostaria que o vosso faro clinicamente empresarial, descortina-se o leque de oportunidades que São Tomé e Príncipe, oferece, desde os projectos estruturantes, porto, aeroporto, estradas, e serviços nomeadamente as telecomunicações, zona franca, turismo, agro-industria, exploração petrolífera, sectores sociais como educação e saúde, etc, para transformação de São Tomé e Príncipe, numa plataforma estratégica e de suporte no golfo da Guiné», afirmou o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, na abertura do encontro empresarial.

O Chefe do Governo informou ao sector privado da China e da CPLP, que São Tomé e Príncipe vive um momento difícil e de decisões. Tem necessidade de maior intervenção do investimento privado estrangeiro, e ao mesmo tempo deve alargar a base fiscal para conter o deficit primário.

Jorge Bom Jesus, realçou outras acções inadiáveis, como o combate a exclusão, e a pobreza. Não se esqueceu de renovar para os empresários, a missão assumida de combater a corrupção no país.

A reforma da justiça, é um imperativo., e « inadiável para melhorar o ambiente de negócios em São Tomé e Príncipe», frisou.

Os empresários da China e da CPLP, exploram oportunidades de negócios no território de São-tomense, numa altura em que o país se prepara para assinalar 44 anos de independência.

O Governo convidou o sector privado dos dois blocos, a visitarem o país real. Um pais cheio de potencialidades, plantado no meio do mundo, e que produz o melhor chocolate do mundo, tem segundo o Primeiro Ministro, muito para oferecer aos homens de negócios. «Saibam que São Tomé e Príncipe, abre as suas portas e por via delas o espaço sub-regional do Golfo da Guiné, para investimento directo chinês», concluiu, Jorge Bom Jesus, tendo lançado o mesmo desafio, aos empresários da União Europeia e dos países de língua portuguesa.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Barão de Água Izé

    9 de Julho de 2019 as 9:54

    A montanha pariu um rato? A esmagadora maioria dos empresários de STP estão descapitalizados, quem se vai aliar a eles colocando dinheiro liquido em que as hipóteses de recuperação são praticamente nulas? A solução para STP sair da miséria, entre outras, é acabar com as nacionalizações, privatizando, fazer renascer a agro e a pecuária.

    • Joni de cá

      9 de Julho de 2019 as 17:33

      Completamente de acordo com a sua posição.

      Enquanto não saírem e livrarem se dos resultados da política comunista após Independência, a qual deixou as terras nas mãos dos políticos, as quais nada produzem, nada vai acontecer, nenhum empresário irá colocar dinheiro no País.

      Agora questiono, existem empresários Santomenses, digno do nome empresários, se calhar 1 ou 2. Será que têm capital de investimento ou será que existe mercado, para poderem atrair parcerias, duvido muito…. estamos a falar de um mercado de 200 mil habitantes, com um salário mínimo de 40€.

      Estes encontros são para encher chouriços!!!!

      Stp não tem viabilidade, pelas pessoas que o gerem há 44 anos.

    • Martelo da Justiça

      9 de Julho de 2019 as 20:19

      Quem é esse Barão de Água Izé que não conhece história de São Tomé e Príncipe??
      Que ignorância??

  2. manuel felipe

    10 de Julho de 2019 as 8:48

    Nenhum pais desenvolve com a bandalheira de falta de electricidade e combustível…logo agora que há esse fórum é que governo deixa falhar energia e combustível! Acham que esses empresários chineses são burros? Nenhum deles vai investir nesta bandalheira…salvo algumas lojinhas e restaurantes….Recordo que os Taiwaneses também trouxeram no passado empresários e pelo que sei nenhum ficou cá a investir….é preciso organizar a casa, planear resolver os problemas de fundo relacionados com as burocracias nas licenças e autorizações pelos quais as pessoas pagam muito mais do que deviam e ficam a espera uma eternidade..além disso as terras e maioria de imóveis estão na mão dos mesmos politicos que querem fazer negócio com estes empresários pondo em causa o interesse do País…não se pode colocar a carroça a frente do boi…aprendam com cabo verdianos…

  3. Smash

    10 de Julho de 2019 as 14:46

    Boa iniciativa… Pena a limitação da BIOS. Continuem a comer camiões de gelado com a testa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo