Política

Ministro anunciou fim do ciclo dos geradores – Energias renováveis

A aquisição de novos grupos de geradores na ordem de 4,5 milhões de euros para estabilizar a produção de energia no país, fecha um longo ciclo de exploração de energia térmica a base de gasóleo em São Tomé e Príncipe.

Garantia dada ao país pelo ministro das Obras Públicas, Osvaldo Abreu. Na cerimónia, esta semana, de assinatura do contrato para aquisição dos novos grupos de geradores, o ministro apontou o passo a seguir. «O passo a seguir é a entrada de maior proporção de energia renovável».

Finalmente, as autoridades são-tomenses decidem apostar na produção de energia limpa. «Há trabalhos em curso nas mini-hídricas de Guégue e de Agostinho Neto», explicou o ministro.

As duas mini-hídricas citadas pelo ministro das obras públicas, foram construídas na era colonial. Desde a era colonial que fontes de energia limpa, foram exploradas em São Tomé e Príncipe para garantir electricidade, sobretudo nas zonas rurais.

Em quase todas as roças de São Tomé e Príncipe, existiam mini-hídricas que alimentavam as comunidades com energia produzida pelos cursos vários cursos de água que rasgam as ilhas de São Tomé e do Príncipe.

Infraestruturas que foram abandonadas, sobretudo depois de 1991. Agora podem ressuscitar no novo ciclo de produção de energia que o governo diz querer inaugurar.

«Os trabalhos já estão a ser feitos para a instalação das primeiras centrais fotovoltaicas no país», acrescentou o ministro.

Osvaldo Abreu anunciou também que o país está aberto para a entrada de produtores independentes no ramo da produção de energia renovável.

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. Manuel do Rosario

    23 de Agosto de 2019 as 20:46

    Para um bom pensador e para aquele q se preocupa com o desenvolvimento do país sabe realmente que energia termoelétrica é particularmente para além de ser a fonte de libertação de gás com efeito d estufa contribui significativamente para o empobrecimento do nosso país. Pois, ter-se-a q comprar o combustivel do exterior e São Tomé e Príncipe não está em condições para suportar equilibradamente esta despesa. Daí que se vier apostar na exploração da energia renovável já é um passo extremamente importante para engrandecimento deste país. Espero q esta iniciativa seja materializada a breve trecho.

  2. David Correia

    23 de Agosto de 2019 as 21:30

    Eu gosto muito STP vivi quase 5 anos Pérola do Atlântico bem haja ao vosso país

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo