Política

MP investiga as dívidas ocultas e as notas de 200 dobras

Na próxima segunda feira o Ministério das Finanças e da Economia Azul, vai entregar ao Ministério Público, todo o dossier das dívidas ocultas que foram denunciadas pelo FMI.

A garantia foi dada pelo próprio Ministro das Finanças Osvaldo Vaz. Na conferência de imprensa conjunta com o Primeiro Ministro, Jorge Bom Jesus, no salão nobre do Palácio do Governo, o ministro das finanças, disse que «o ministério público solicitou as informações relacionadas com o processo das dívidas».

O ministro garantiu que « o mais tardar na segunda feira as informações solicitadas estarão no Ministério Público».

Interpelado pelo Téla Nón em finais do mês de Agosto último, o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, admitiu que o valor das dívidas ocultas, na altura em fase de avaliação pelos serviços competentes, ultrapassava os 70 milhões de dólares.

O Ministro das Finanças, Osvaldo Abreu, confirmou a cifra, na conferência de imprensa de 3 de Outubro. «Acredito que seja superior a 70 milhões de dólares».

O Ministro das Finanças recordou que foi a equipa técnica do FMI que em serviço com o novo Governo, para avaliação da situação macro-económica do país, acabou por descobrir as dívidas ocultas na administração pública.

Outra questão oculta no sistema financeiro nacional tem a ver com as notas de 200 dobras. O novo conselho de administração do Banco Central, liderado por Américo Barros, descobriu anormalidades nas notas que tinham sido emitidas e postas em circulação pelo anterior conselho de administração, em Janeiro do ano 2018.

O novo conselho de administração do Banco Central ordenou a recolha das notas de 200 dobras. O Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, anunciou segundo as suas palavras, que «as “famosas” notas de 200 dobras estão a ser investigadas em Londres».

Jorge Bom Jesus, disse ao país que neste momento o Procurador Geral da República Kelve Carvalho e o Governador do Banco Central Américo Barros, estão em Londres, para junto a empresa De La Rue, esclarecer o caso das notas de 200 dobras.

De La Rue é a empresa britânica que emitiu as novas notas da moeda nacional, a dobra. Recebeu pelo trabalho feito cerca de 2 milhões de euros. Um processo de reforma monetária que foi polémico porque alegadamente violar as competências das Assembleia Nacional na matéria. Continuou polémico tendo atingido o ponto alto no ano 2018 com a entrada das novas dobras em circulação.

Várias denúncias de corrupção foram feitas durante o processo. Até no processo de queima das notas velhas, terá havido corrupção financeira. O Ministério Público, já deduziu acusação contra os ex-administradores do Banco Central no âmbito do processo das notas de dobras.

« As famosas notas de 200 dobras vão ser refeitas, precisamente por causa do acumulado de incongruências. Não há outra solução, e este processo está neste momento em curso», afirmou o Primeiro Ministro.

Abel Veiga

 

    6 comentários

6 comentários

  1. Victormo Macy

    4 de Outubro de 2019 as 10:12

    É triste ver nacoinais santomenses de raiz com conhecimento com visão com meios para desenvolver seu país
    Mas é um ladrao disfarcado em membros de governo
    Com intencao de roubar de sao tome e comprar casas em portugal
    Todos estam com vontade roubar em Sao Tomé para guardar no banco de portugal
    Nao tem desejo de avançar seu país nem ama sua nação
    Mas fique como sao tome nao quero botalos na cadeia e tira los tudo como portugal fez ap Jose Socrates que ficou invergonhado e calado
    Deus tem olhos a ver todos esses ladores
    Quem trabalha com mao enganosa tarde ou cedo empobresse
    Ou morre mà morte
    É praga que eu lhes peço

  2. Vanplega

    4 de Outubro de 2019 as 11:42

    Vai dar no mesmo.

    Os colarinhos branch, safar-se sempre.

    Mais uma vez, estao a enganar povo piqueno

  3. Smash

    4 de Outubro de 2019 as 14:17

    Não percebo o porquê de tanta ladainha… Sempre o mesmo discurso ” Blá Blá Blá a vaca da leite… Blá Blá Blá e a vaca da leite” 10 meses depois (governação) a mesma ladainha.
    Criança já tem 10 mês de vida e os “pais ainda não sabem qual é o sexo da criança?” mudem de chipe.

  4. Verdade

    4 de Outubro de 2019 as 19:06

    Absurdo

  5. WXYZ

    7 de Outubro de 2019 as 7:18

    O que é que vocês estiveram a fazer quando eram oposição e que não descobriram isso? Teriam sido todos ocultados desse jeito até que tinha que ser FMI a vir aproveitar do vosso desespero e enfiar vos esse “barrete”. Dívidas ocultas UMA FIGA. Era próprio FMI que dava sempre notas positivas ao desempenho do anterior governo. E agora vêm inventar uma coisa dessa?

  6. jordão fernandes

    8 de Outubro de 2019 as 15:01

    Nenhum país com divida oculta como dizem pode beneficiar de ajudas do FMI. Vocês viram o que está a passar em Moçambique? Desde que se comprovou que havia dividas ocultas o FMI cortou toda a ajuda e até hoje não foi desbloqueado nenhum tostão.
    Este Governo de Bom jesus e do Ladrão Delfim Neves andam a procura de bode expiatório para lançar poeiras nos olhos da população.
    O que vocês têm é medo do Patrício Trovoada. Estão a procura de maneira para impedir que ele regresse à S.Tomé. Mas ponham a pau, pois no dia que isto acontecer vocês vão correr de tanga na rua.
    Porque é que não enviam para o Ministério público o assalto que o vosso conselheiro empresarial senhor Peter fez ao empresário chinês. Este ladrão gatuno roubou uma pobre senhora santomense que se encontra a desenrascar a sua vida no estrangeiro para comer o dinheiro a custa dela nas mãos do chinês. Nem a Rádio, nem a TVS noticiou esta ladroíce.
    Quem encobre ladrão também é ladrão.
    Senhor primeiro ministro. Tinha alguma confiança em si. Mas o senhor não passa de um outro que está a dar cabo deste país e deste povo.
    Mas não canse de esperar pois o julgamento do povo será em breve.
    Quem avisa amigo ´´e,
    JF

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo