Política

Limpeza no comando do Exército e da Guarda Costeira

O Conselho Superior de Defesa Nacional, reuniu-se nesta semana sob a presidência do Comandante Supremo das Forças Armadas e Presidente da República Evaristo Carvalho.

O órgão de deliberativo sobre política de defesa nacional, decidiu exonerar o Coronel Atanásio Silveira(é o 3º na foto a contar da esquerda para direita) do cargo de Comandante do Exército de São Tomé e Príncipe.

A guarda costeira, o segundo ramo, das forças armadas de São Tomé e Príncipe, também viu o seu comandante ser exonerado. O Capitão de Mar e Guerra Idalécio João, foi afastado das funções que desempenha a largos anos.

«Em virtude dos mesmos terem atingido o fim do mandato, e associado ao facto de terem também atingido o limite de idade para passagem a reserva. Assim o conselho decidiu favoravelmente pela exoneração desses oficiais», detalhou o Coronel Alfredo Marçal Lima.

Enquanto secretário do conselho superior de defesa nacional, o Coronel Marçal Lima, acrescentou que a mudança na estrutura de comando das forças armadas, permitiu o regresso do Coronel Olinto Paquete(é o 2º na foto a contar da esquerda), ao cargo de Vice-Chefe de Estado maior das Forças Armadas.

O coronel Olinto Paquete, que já exerceu a função de vice Chefe de Estado Maior, tinha sido no passado exonerado de tal função e nomeado como Inspector Geral das Forças Armadas.

Nesta semana foi exonerado do cargo de inspector geral das Forças armadas, para retomar o posto de Vice Chefe de Estado Maior das FASTP, sendo assim o braço direito ou o substituto natural do Chefe de Estado Maior das Forças Armadas, o brigadeiro Idalécio Pachire(o 1º na foto acima) .

Segundo o Conselho Superior de Defesa Nacional, os novos comandantes do exército e da guarda costeira já foram identificados e escolhidos pelo Governo. Deverão ser conhecidos nas próximas horas.

No balanço da reunião que decorreu no Palácio Presidencial, o coronel, Alfredo Marçal Lima, manifestou enorme preocupação do conselho superior de defesa nacional, em relação a ameaças mais evidentes à segurança nacional.

«Temos registado com alguma preocupação que nos últimos dias os actos piratas têm agravado na região do golfo da Guiné. O agravamento deste quadro de pirataria põe também em causa a nossa segurança e a nossa estabilidade pelo que importa a São Tomé e Príncipe tomar todas as medidas necessárias com vista a garantir a segurança do seu mar e a navegabilidade», pontuou o coronel porta voz do Conselho Superior de Defesa Nacional.

Segurança e fiscalização marítima são prioridades na política de defesa de São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. João António

    10 de Janeiro de 2020 as 8:33

    Este não é um titulo muito sensacionalista ? O conteúdo não condiz com o titulo.

  2. SEMPRE AMIGO

    10 de Janeiro de 2020 as 13:15

    TÉLA NÓN….cuidado com os títulos!…Segundo o coronel Alfredo MARÇAL LIMA o comandante da Guarda Costeira e o coronel Atanásio SILVEIRA fo ram exonerados,”em virtude dos mesmos terem atingido o fim do mandato,e associado ao facto de terem também atingido o limite de idade para passagem á reserva”.Por conseguinte não foi por “limpeza no comando do Exército e da GUARDA COSTEIRA”.Desejo aos reformados uma REFORMA digna e uma existência tranquila

  3. Tony

    11 de Janeiro de 2020 as 15:03

    Para mim deviam reformar todos e acabar com esta despesa, e depois investir sim em polícia competente.

    As forças armadas de Stp são um desperdício de recursos:

    Equipamentos obsoletos
    Nunca tiveram em ações militares
    A marinha não sai porque lanchas ou avariam ou não têm combustível, marinha sem qualquer navio de combate, ridículo!!
    Exército, obsoleto, mal preparado sem experiência militar, sem equipamentos de defesa convencional, nada!!

    Se por acaso, e não tem qualquer interesse, algum país quisesse invadir Stp, em 1 ou 2 horas conseguia. Depois veja se quando recentemente estiveram militares do Ruanda a diferença de equipamentos e postura dos mesmos.

    Invistam sim em segurança interna através das polícias, essencial para a segurança do povo e para quem nos visita.

    Já agora vejam os muitos exemplos de países que deixaram de ter forças armadas. É só ir ao Google!!!!

    • Uê beto

      15 de Janeiro de 2020 as 6:27

      Tu nunca estudaste na tua vida. So foste para escola. Burro, pena que nao dá para por mais rrr nessa palavra.

  4. Smash

    12 de Janeiro de 2020 as 20:49

    Título que em nada abona com o conteúdo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo