Política

São Tomé e Príncipe felicitou o novo Presidente eleito dos EUA

As felicitações em nome do povo de São Tomé e Príncipe ao Presidente eleito dos Estados Unidos de América, Joe Biden, e  a sua vice-Presidente Kamala Harris foram endereçadas pelo Presidente da República e Chefe de Estado, Evaristo Carvalho.

Evaristo Carvalho, que ainda está internado em Portugal, após uma cirurgia, não perdeu tempo enquanto o mais alto representante do Estado santomense nas relações internacionais, para juntar a voz do arquipélago, um dos mais pequenos países do mundo, ao coro de felicitações mundial, ao Presidente eleito dos Estados Unidos de América,  Joe Biden.

«Em nome do povo santomense e em meu próprio endereço a vossa excelência, bem como à senhora Kamala Harris, as mais vivas felicitações pela vossa eleição à Presidência  dos Estados Unidos de América», disse Evaristo Carvalho na sua mensagem de felicitações.

Na missiva que a imprensa divulgou no ultimo fim-de-semana, o Presidente de São Tomé e Príncipe, exprimiu votos ardentes de sucesso do exercício das funções de Presidente e vice-presidente da maior potência económica e militar do mundo.

«Espero poder com os dois aprofundar ainda mais as boas relações de amizade e de cooperação existentes entre os nossos dois países, e também empreender com vossas excelências e demais líderes mundiais, acções comuns visando enfrentar os grandes desafios, como o aquecimento global do planeta, a Pandemia do Covid-19 e o multilateralismo».

Em nome do povo de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho, enaltece as boas relações entre o arquipélago e os Estados Unidos de América. No quadro das relações bilaterais, o Téla Nón destaca a parceria dos Estados Unidos no âmbito da formação dos jornalistas santomenses.

Através da embaixada norte americana, sediada no vizinho Gabão, os jornalistas santomenses já beneficiaram de várias acções de formação no domínio dos direitos humanos, do jornalismo de investigação e outros domínios.

Ainda na última semana de Setembro, até finais de Outubro, jornalistas santomenses e de outros países africanos de expressão portuguesa, participaram numa acção de intercâmbio de experiência com seus colegas norte americanos. Jornalismo de investigação no momento da Covid-19, as mudanças que o mundo assiste actualmente, e os impactos sobre a sociedade foram temas de discussão, análise e de estudo entre os jornalistas americanos e os dos países lusófonos.

O racismo, e as manifestações anti-racismo que marcaram os Estados Unidos nos últimos meses, foram detalhados, e debatidos de forma livre e transparente.

O evento organizado pelo departamento de Estado dos Estados Unidos de América, foi realizado por videoconferência, e coincidiu com o período de campanha eleitoral para as eleições que deram vitória a Joe Biden.

A campanha eleitoral na altura em curso, foi um dos temas de destaque na vídeo-conferência, que reuniu jornalistas de vários Estados e de vários órgãos de comunicação social dos Estados Unidos de América e os seus colegas de São Tomé e Príncipe, Angola, Guiné-bissau, e do Brasil.

Um projecto de formação à distância, considerado de grande importância para os 3 jornalistas santomenses que tomaram parte no evento, sendo 2 da ilha de São Tomé e 1 da ilha do Príncipe.

A cooperação norte americana com São Tomé e Príncipe, tem pontos fortes no domínio da segurança marítima. Militares e oficiais da Guarda Costeira são regularmente formados nas academias da marinha norte americana.

São Tomé e Príncipe tem um sistema de vigilância marítima apoiado por radares e sensores que foram instalados no âmbito da cooperação militar com os Estados Unidos de América.

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Fixe

    10 de Novembro de 2020 as 8:12

    O Sr. PR já está melhor? Deus abençoa.

  2. Sempre atento

    10 de Novembro de 2020 as 11:13

    Para felicitar o presidente eleito dos EUA o shr já deve estar a se sentir melhor. Só quero deixar aqui o meu parecer que isto ainda vai dar muito pano para mangas. Sabiam que a juíza eleita pelo Trump ainda não reconheceu a vitória do Biden? Vamos ver no que vai dar. Para mim isto ainda vai cheirar mal. Deixa que o tempo dirá.

    • Santomense

      11 de Novembro de 2020 as 10:28

      Isto ainda vai cheirar mal é para África e o seu povo.
      EUA conhecido como Pai da democracia deveria servir de exemplo, quero ver a cara dos Americanos, Nações Unidas e os líderes europeus quando houver um líder africano a recusar largar o poder.
      A ver vamos

  3. Anda Pligo

    10 de Novembro de 2020 as 16:47

    Como chefe de estado de um país insular e pobre, ainda mais que celebra a democracia como expressão livre e popular decretada nas urnas o presidente de S. TOMÉ E PRÍNCIPE devia saber que após o resultado final das URNAS decretada pela comissão das eleições responsável é que a partir daí começa-se as FELICITAÇÕES ao VENCEDOR! NUNCA ANTES!
    Um péssimo exemplo de lider de um pais que deveria mostrar-se respeitoso e isento!!!

  4. Anda Pligo

    10 de Novembro de 2020 as 23:09

    FRAUDE!! 🇺🇸🇺🇸
    Após levantamento dos dados eleitorais, foi confirmado que mais de 10 mil pessoas mortas votaram em Michigan.

    Adivinha pra quem foram esses 10 mil votos? Sim, ele mesmo, o candidato preferido dos mortos.

  5. Anda Pligo

    11 de Novembro de 2020 as 17:35

    BREAKING NEWS: O juiz de Michigan, Dr. Kenny ordena a recontagem manual por uma COMISSÃO INDEPENDENTE no estado, após duras evidências de fraude eleitoral pela Comissão Eleitoral da Cidade de Detroit.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo