Política

Júlio Silva avança para unir e despartidarizar o país

Promoção da “Verdade e da Reconciliação”, é o eixo central do projecto de sociedade que o cidadão Júlio Silva, decidiu partilhar com todo o país.

No quadro da pré-campanha para as eleições presidenciais de 18 de Julho próximo, foi com os pés afincados na cidade de Angolares, capital do distrito de Caué, o mais pobre do país, onde Júlio Silva lançou o desafio da União, da Verdade e da Reconciliação.

União para a família santomense reencontrar-se com a paz social, e com a inclusão de todos.

«Não podemos continuar com um país onde pelo fato de alguém ser de um partido constitui arma mortal para a sua sobrevivência….», declarou.

Para Júlio Silva, a “partidocracia” está a matar a democracia em São Tomé e Príncipe. «O país não pertence aos partidos políticos…», frisou.

Segundo Júlio Silva, ser militante de um partido político em São Tomé e Príncipe, significa perda de emprego e exclusão para qualquer cidadão, por mais competente que o mesmo seja em termos profissionais. Isto caso o partido adversário ascenda ao poder.

«A minha principal linha de acção vai ser no sentido da união porque São Tomé e Príncipe precisa de todos nós. A linha mestra para nós é a constituição política. Como Presidente da República estarei atento a qualquer violação da constituição…», precisou.

O Téla Nón registou no local várias mensagens de encorajamento dirigidas pela população de Caué, ao cidadão Júlio Silva.

Mensagens em crioulo fôrro, na língua N´gola, em crioulo caboverdiano e também na língua portuguesa. Mensagens das populações que contestam a pobreza profunda que consome Caué.

Júlio Silva, que desde o ano 1986 começou a trabalhar na região de Caué, conhece os cantos da pobreza na região. Diz que é inadmissível. Como presidente da República, promete exercer influência junto ao Governo para eliminar as assimetrias.

«Um jovem na cidade capital tem acesso a um telemóvel 3G, para pesquisar e fazer tudo. Daqui a pouco vamos ter 4G. No entanto pessoas de Yo Grande e outras regiões de Caué, ainda não têm acesso a energia eléctrica, nem água potável…. Não podemos continuar num país a 3 velocidades», sublinhou.

O cidadão que concorre às eleições presidenciais de 18 de Julho, destacou que «todos somos santomenses, e uma das questões fundamentais para mim é a distribuição equitativa da renda e das oportunidades».

A apresentação de Júlio Silva na corrida para o cargo de Presidente da República, teve grande apoio da população do distrito de Caué. O centro multiusos da cidade de Angolares encheu de homens, mulheres e jovens, decididos em contribuir para que o princípio da Verdade e da Reconciliação seja materializado pelo engenheiro Júlio Silva.

Arlindo Ramos(na foto em baixo), deputado do partido ADI na Assembleia Nacional, ex-ministro da defesa e Administração Interna no anterior governo da ADI, usou da palavra para declarar todo apoio a Júlio Silva.

Na sua declaração no salão multiusos da cidade de Angolares, o homem forte do partido ADI até 2018, garantiu que apoia Júlio Silva por várias razões, uma delas por ser seu familiar. No entanto disse que no seio do seu partido ADI, há outros militantes que estão entusiasmados com a candidatura independente de Júlio Silva.

Arlindo Ramos, reside no distrito de Lobata, região mais ao centro da ilha de São Tomé. Disse ao povo de Caué, que os outros candidatos que têm sido anunciados, não oferecem garantias de Verdade, Reconciliação, Justiça Social e Progresso. Júlio Silva, é sim para o deputado da ADI, a figura que pode promover mudanças progressistas em São Tomé e Príncipe.

Note-se que o engenheiro Júlio Silva, foi um dos membros fundadores do partido ADI. Foi ministro da economia no governo de unidade nacional, e mais recentemente enfileirou-se no Movimento Caué, que conquistou 2 mandatos nas eleições legislativas de 2018.

Júlio Silva é vice-presidente do Movimento Caué. Agora como concorrente ao cargo de Presidente da República, arrasta consigo algumas figuras de peso do partido ADI. A partir de Caué no sul de São Tomé, onde galvaniza largas centenas de apoiantes, Júlio Silva, pretende conquistar o país inteiro no dia 18 de Julho próximo.

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. Pedro Costa 2

    19 de Abril de 2021 as 16:53

    Estou com dúvidas!
    Não será este que na altura tinham levantado algumas suspeitas de desvio de dinheiro ou correu algumas informações por aí do género, quando foi ministro!?
    Se estou enganado, corrijam-me por favor.
    Caso afirmativo, aqui está o mal da nossa sociedade, o mal da nossa política e de muitos países de áfrica.
    Ninguém presta conta neste país.
    Roubam ou não, vira o disco e toca o mesmo!
    Verificam-se alguns enriquecimentos duvidosos, e muitos, no fim andam por aí na boa! É impossível tantos senhores neste país que depois de assumirem cargos importantes no estado terem o que exibem a vista desarmada. Não acredito que tenham obtido estes bens de forma limpinha, limpinha!

  2. Matrusso

    19 de Abril de 2021 as 21:40

    JOGADA TROCANTINTA E ENGANOSA
    Porque este mesmo Julio Silva que fez parte na primeira legislaçáo do adi que afastou de cargos de direções, secções, departamentos todos os cidadáos que nâo se afileiracem ao adi.

  3. SEMPRE AMIGO

    20 de Abril de 2021 as 10:52

    Minha gente, chega de brincadeiras,o POVO santomense merece mais respeito! Acabei agora mesmo de ler um artigo de opinião com o título “QUESTÃO FUNDAMENTAL NA POÍTICA:CREDIBILIDADE.A dada altura o articulista escrevia, eu cito:”A questão mais importantete para quem anda na vida política é a credibilidade e a autoridade moral e ética e ele(Jùlio Silva e muitos dos cândidatos já oficialisados)perdeu tudo pela vida que levou durante anos”.Uma boa parte dos candidatos são cadastrados.Segundo a presidente portuguesa da TRANSPARÊNCIA E INTEGRIDADE,opinando sobre a situação no seu país, citando:”Não podemos ter políticos com esse tipo de conduta em qualquer cargo político”.Chega minha gente!Através das urnas,únicamente,não iremos resolver o problem.O,nosso país encontra-se numa encrusiliada que não pode deixar nenhum SANTOMENSE indiferente.”..TODOS OS SILENCIOS SÃO CÚMPLICES E TÊM UMA QUOTA- PARTE DE RESPOSABILIDADE.Leve-leve já não dá!

  4. Nada haver

    20 de Abril de 2021 as 19:26

    Ficas a onde estas para seu bem porque aí já ñ apanhas nada meu cota.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo