Política

Magistrados em greve aguardam pela resposta do Governo

Por causa da proposta de reajuste de salários na administração pública, desde a última sexta feira, que os magistrados judiciais e do ministério público, avançaram para uma greve por tempo indeterminado.

Apesar das negociações de sexta-feira com o Governo, os magistrados decidiram manter a greve. Vera Cravid, porta voz dos magistrados, garantiu ao Téla Nón, que a greve vai continuar nesta segunda – feira.

«A greve será levantada assim que recebermos a nota do Governo que dá resposta as nossa reivindicações», afirmou a porta-voz dos magistrados.

As negociações de sexta-feira que decorreram no Ministério das Finanças, foram consideradas como frutíferas pelos magistrados. O Governo também manifestou confiante no entendimento.

«Estão a espera de uma nota do governo,,,o bom senso vai prevalecer. Estamos a trabalhar para que na próxima semana não aconteça a greve. Há sensibilidade de ambos os lados.», declarou na sexta feira, 21 de Maio, o ministro das finanças, Osvaldo Vaz.

Acompanhado pela ministra da Justiça Ivete Lima, o ministro das finanças aproveitou para desmentir as declarações dos magistrados, segundo as quais a proposta de reajuste salarial, que já foi submetida ao parlamento, retirou 50% do rendimento dos magistrados.

«Após análise da proposta de reajuste salarial feita junto com os magistrados concluímos que a nossa proposta não retira 50% de rendimento aos magistrados. Também dizer que muitas das reivindicações feitas pelos magistrados, já constam na nossa proposta. Seria um caos retirar 50% de rendimento a uma classe laboral..», afirmou o Ministro das Finanças.

Vera Cravid, enquanto porta voz do grupo dos magistrados que participou nas negociações com o governo, rejeitou as críticas que são feitas contra a sua classe.

«Muita gente diz que os magistrados ganham bem, uma pipa de salário, mas é uma falsa questão», referiu a magistrada.

Os magistrados alertam o governo, para os desafios da actualidade. « Neste preciso momento o governo está na luta pelo combate contra a corrupção. É preciso que olhem para a magistratura de forma diferente…».

Questionado pelo Téla Nón, Vera Cravid, confirmou que neste desafio de luta contra a corrupção, os magistrados não podem ficar expostos e sensíveis à tentação da corrupção.

A carta reivindicativa dos magistrados pretende evitar que a classe caia na indigência, e que o Estado de direito democrático desapareça.

«O reajuste não pode ser feito pondo em causa os direitos adquiridos, ou pondo em causa o que a constituição estabelece. Reajuste não pode por em causa o rendimento mensal de cada cidadão,  porque cada cidadão tem seus compromissos assumidos, e é com o salário que cumpre esses compromissos», acrescentou a magistrada..

Os magistrados dizem que são injustamente sacrificados pela população.

«Apesar de sermos extremamente massacrados pela população, de que os magistrados não trabalham, são corruptos, são traficantes…. eu gostaria de conhecer que tipo de regalias é que os magistrados têm…», desabafou.

Segundo Vera Cravid, «há magistrados que andam de motoqueiro. Mas isso ninguém diz…»

Mas outros beneficiaram de viaturas do Estado. «Há magistrados que tem uma viatura do Estado por causa do exercício da função. Isso está escrito na lei, que foi aprovada pela Assembleia Nacional», pontuou.

Os magistrados exigem que o governo lhes garantam um tratamento diferenciado, tendo em conta as especificidades do exercício das suas funções.

«O magistrado com problemas não consegue resolver o problema dos outros. Logo tem-se que resolver o problema do magistrado, para que ele possa resolver o problema do outro com isenção e imparcialidade», concluiu a porta voz, Vera Cravid.

Os magistrados de São Tomé e Príncipe, não querem perder os seus rendimentos, e pedem maior protecção física e financeira por parte do Governo.

Abel Veiga

    16 comentários

16 comentários

  1. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    24 de Maio de 2021 as 7:26

    Desgraçados

  2. Original

    24 de Maio de 2021 as 7:50

    Estando em greve ou estando a trabalhar é mesma coisa porque não se sente o Vosso impacto quando estão em função.

  3. Anonimo

    24 de Maio de 2021 as 8:29

    Que reenvidicação quer essa gente? Maior parte não sabe o que é uma lei! Vemos como esta a justiça em São Tomé e Principe uma vergonha Ilha de Principe nem procurardor nem juiz tem permanente porque se recusam a viver no Principe querem xssa subsidios etc.
    Meus senhores quando decedimos seguir a magistratura podemos ser colocados em diversos pontos do país quem reclama sai e da lugar a outro é simples.
    O governo que demita toda a classe e contrate faça acordos com o estrangeiro para colocar pessoas que queiram trabalhar magistrados que queiram honrar a justiça. Quem ganha é o povo o país

  4. Tiberio

    24 de Maio de 2021 as 8:32

    Qual é o mal os magistrados andarem de motoqueiros? Porquê que não podem andar de motoqueiro? Quantos licenciados andam de motoqueiro? Esses magistrados acham que são os únicos licenciados. O caos que existe no sistema judicial no país também tem a vossa contribuição como profissionais deficientes que são. Querem ganhar muito e trabalhar pouco ou nada.

  5. Adeliana Nascimento

    24 de Maio de 2021 as 8:57

    Estes tipos têm que ter juizo. Quem não quizer ser magistrados, e partilhar o sofrimento das demais instituições do Estado, vão fazer outra coisa , mesmo no privado.
    As regras e as politicas são definidas pelo Governo central e neste caso, só resta o parlamento sancionar e ponto final.
    Bastas as mordomias sem fundamentos, para um Estado paupérrimo.

  6. Fuba cu bixo

    24 de Maio de 2021 as 9:15

    Porque que não queimaram os deplomas como fizeram na governação de Patrice Trovoada? Agora é que fazia sentido a queima de diplomas,ou diplomas só queimam para politiquices?

  7. Sem assunto

    24 de Maio de 2021 as 10:02

    Aprendi enquanto seminarista de que no exercício da lógica, é quanto estudo coerente do pensamento e do discurso, o que não tem causa não tem efeito, poupe nos senhora Vera, basear no combate à corrupção, que não passa de falácia, para justificar a vossa gula insaciável é depravação,pois combate nenhum a corrupção é verificável no exercício do mandato deste governo.
    Os magistrados andam de motoqueiros e blá, blá, blá, e questiono porque não? Quem são os magistrados, deuses, magos, figuras santas? Anda se de motoqueiros porque este expediente incrementa, embora pouco o volume de negócio local, e por meio dele da se o dinheiro para os nacionais, que por sianl precisam, e de maneira pacata investem no país e nos índices da economia local.
    Andar de motoqueiros, pese embora por vezes é arriscado porque muitos deles não conhecem/respeitam códigos de estrada, não é desprezo nenhum.
    Sentes te escandalizada com isto porque passas a vida no passante, hotel miramar, a gastar dinheiro com estrangeiros, as tuas compras dão feitas no Intermar/ Coconote / Skadô, supermercado de estrangeiros, as tuas férias são passadas no estrangeiro etc, por isso dar dinheiro aos nacionais, andando de motoqueiro, faz te comichão, vão passear, magistradazinha!
    Qual o impacto do vosso serviço para o desenvolvimento do país? Queres que ti diga? NENHUM! Um varredor de rua é mais útil ao país do que vocês todos juntos.

  8. vergonha

    24 de Maio de 2021 as 11:52

    Por isso é que temos a Justiça neste estado:
    Juízes injustos, corruptos e malvados; orgulhosos, egoístas e amantes de sí mesmos.
    A maior desgraça deste país.
    Se ao menos zelassem pelo funcionamento da Justiça, muita coisa seria diferente em STP.
    Ao contrário, a justiça é conhecida como um dos maiores focos de corrupção deste país.
    -VERGONHA!!!

  9. Egoístas

    24 de Maio de 2021 as 12:16

    Gulas…

  10. Bom só

    24 de Maio de 2021 as 17:50

    Para alguns magistrado e juiz é bem feito pois andaram a proteger alguns politico com medo deles e agora está aí resultado, esqueceram qye eles são ingrato. Quantos processo de graúdo- alguns estão hoje no poder- não andou essa gente a proteger? Sra Vera teve peixe gordo do Delfim na mão que senhora fez? Agora chorem…

  11. Vanplega

    24 de Maio de 2021 as 18:00

    O que diria o familiares do falêcido Jorge Santos

    O que diria Perreira Dirante, e muitos outros casos. Corrupçāo, aldrabice, mà-fè ou por dinheiro vale tudo.

    Senhores das leis, è trabalho ou bandidagem?

    Vāo trabalhar, maladros

  12. Nha crectheu

    24 de Maio de 2021 as 21:07

    Bando de vagabundos. É a pior classe ecistente nesta republica. Devi se abulir com esta classe…são tão orrogantes e pensam serem melhores licenciados ou seja a classe mais importante duma nação…

  13. António cunha dos santos

    25 de Maio de 2021 as 8:15

    Qualquer um funcionário do Estado ou mesmo do privado, merece trabalho digno e remuneração digna. Cada um ao seu nível. Nada de excessos ou batota.
    Deve o Estado ditar regras claras e transparentes

  14. Tony

    25 de Maio de 2021 as 10:51

    Continuem em grave , assim não fazem asneiras !!!
    O povo tem a ganhar!!

  15. Viva STP

    25 de Maio de 2021 as 12:24

    Senhora Vera vai tomar Homem, Prepotente do raio.

  16. Cúdubai emaefluorescentecurtucircuito

    27 de Maio de 2021 as 20:08

    Alguém consegue dizer ao povo quanto será resolvido o problema da energia no Cúdubai?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo