Política

Plano de modernização da justiça constrói 1º Tribunal de Caué

O plano de modernização do sistema de justiça de São Tomé e Príncipe, foi lançado em Dezembro do ano 2020. Avaliado em 4 milhões de euros, o plano elaborado pelo Estado santomense em parceria com as Nações Unidas, entrou em execução no ano 2021.

Até  2023, o sistema das Nações Unidas, garante o financiamento de uma séria de acções e projectos, que visam a melhoria dos sistema de justiça.

Dentre os vários projectos e acções de apoio em materiais e equipamentos aos diversos órgãos do sistema de justiça, na última semana a Ministra da Justiça e Direitos Humanos Ivete Lima e Katarzyna Wawiernia representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD, lançaram a primeira pedra para a construção do Tribunal do distrito de Caué.

É a primeira vez que Caué, o maior distrito do país em dimensão territorial vai ter um Tribunal Regional. O distrito que cobre toda a região sul da ilha de São Tomé, tem a cidade de Angolares como a capital.

É em Angolares, há 40 quilómetros da cidade de São Tomé, onde vai funcionar o Tribunal. «Essas acções inserem-se no âmbito da descentralização da justiça, e coloca-la por direito ao alcance dos cidadãos, uma justiça mais célere, segura e condizente com as expectativas da população», afirmou a Ministra da Justiça Ivete Lima.

Segundo o projecto, a obra de construção do Tribunal, implica a reabilitação e modernização de um antigo edifício público da cidade de angolares. O novo edifício vai contar com uma sala de audiência, gabinetes para os juízes e para os magistrados do ministério público, e duas celas.

No mesmo edifício vai funcionar também um centro de assistência para casos de violência doméstica.

Note-se que no âmbito do plano de modernização do sistema de justiça de São Tomé e Príncipe, pela primeira vez a Cadeia Central de São Tomé e Príncipe, passou a ter uma viatura celular para transporte dos reclusos.

A viatura celular foi entregue à penitenciária do Estado em Junho passado, pela representante do Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento – PNUD.

Abel Veiga

 

 

 

    4 comentários

4 comentários

  1. aldemar Dias do Sacramento

    9 de Agosto de 2021 as 8:42

    Boa senhora ministra da justiça, uma luz verde para a nossa justiça. A melhor forma de fazer reforma da justiça é a construção dos tribunais nos distritos. Isso irá beneficiar o futuro da nação. A população está a aumentar, lógico os crimes também vão aumentando, e a necessidade da população ver os seus direitos resolvidos na justiça vai ser em curto espaço de tempo-mais rápido. Espero que v.exª não esqueça de Pagué, Lobata, Mé-Zochi e Cantagalo.

  2. Mepoçon

    9 de Agosto de 2021 as 11:20

    Ver um edifício público nessa pequena vila neste estado de abandono é chocante. Antes da ideia de aproveitá-lo agora para tribunal, não existia outro serviço que pudesse aproveitar? Instalar aí um tribunal justifica dada a nossa realidade de mobilidade. O que não concordo do comentador que sugere a criação destes serviços nos locais apontado. Para acarretar despesas sem serviços. Quanto ao principe, dada a sua insularidade, justifica, mesmo assim vai passar grande parte de tempo sem afazer. Temos tantas câmaras p’ra quê, para emprego sem trabalho? Ainda não basta tem criar mais outra boa vida? Pelo amor de Deus, deixem de infantilizar ideia. Sugere a ideia de criação de riquezas, onde somos todos chamados e não a pouca vergonha!!

  3. Manuela Pedroso

    10 de Agosto de 2021 as 8:35

    Isto é mais um lançamento de pedra para campanha. Para ajudar o candidato Posser da Costa a ter mais alguns votos. Na véspera da primeira volta de eleições presidenciais, lançaram pedra para a reabilitação das estrada do Bairro Dolores e do Bairro Verde em S.Gabriel. Onde estão as obras. Foi também uma forma de enganar as populações destes bairros para votarem no candidato da Troika. Até hoje nem um bago de charrisca foi levado para estas zonas. De certeza que quando estiver perto da segunda volta, vão enviar para estes bairros alguns camiões de materiais para fazer o inglês ver, mas nada de sério.
    A população de Caué devia ficar mais experto. Já foram enganados milhares de vezes com lançamento de pedra e nada foi feito. Lançaram pedra para reabilitar estrada que vai a Porto Alegre. Vai lá ver como está a estrada. Uma calamidade.
    Abandonam o empreendimento turístico de Ilhéu das Rolas, deixando-o a sua sorte. Agora vão lançar obras do tribunal???? Não têm vergonha???
    Porque é que não põem Água no Hospital Ayres de Menezes. Porque é que não lançam obras de casas de banho no Hospital Ayres de Menezes, único que temos para servir o povo.
    Porque é que não lançam pedra para obras de reabilitação da maternidade do hospital Ayres de Menezes???
    Vão catar água com vosso Bobo e um povo Bobo que anda a vossa traz.

  4. Lucas

    10 de Agosto de 2021 as 16:43

    Sapatinho verde em perna branca?
    Está tudo dito

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo