Política

MUDA quer mudar o paradigma, MLSTP e ADI confiantes

Quando faltam 3 dias para o arranque da campanha eleitoral, os partidos políticos manifestam-se prontos, para a disputa eleitoral.

O partido MLSTP, que governa São Tomé e Príncipe desde 2018, garantiu através do seu mandatário Danilo Santos, que o trabalho de terreno evolui no bom sentido.

«O MLSTP, está preparado, está a fazer o seu percurso normal, é um partido tradicional do arco do poder, e temos a certeza de que no dia 25 de setembro teremos bons resultados», afirmou Danilo Santos.  

ADI maior partido na oposição também está confiante. Após o sorteio do tempo de antena para os partidos políticos concorrentes às eleições de 25 de Setembro, Elísio Teixeira, o mandatário da ADI, manifestou-se seguro.

«Estamos cientes de que faremos as melhores propostas. ADI é um partido com implementação no terreno, um partido habituado ao poder, logo as nossas linhas estão traçadas, vamos aprimorá-las e avançar no processo», precisou Elísio Teixeira.

Para além dos partidos tradicionais, novos movimentos políticos nasceram com o propósito de influenciar mudanças no xadrez político nacional.

Mandatários de partidos e coligações políticas

MUDA – Movimento de União para o Desenvolvimento Amplo de São Tomé e Príncipe, representado pelo secretário-geral Emery d´Alva, disse após a realização do sorteio de tempo de antena, que quer mudar o paradigma político, social e económico   de São Tomé e Príncipe.

«Muda é um partido de ideias novas, de gentes novas. Achamos que é preciso mudar de paradigma. É preciso criar um novo modelo de desenvolvimento para São Tomé e Príncipe», assegurou.

Segundo Emery d´Alva, MUDA existe para responder aos anseios da população jovem. Uma juventude «que está farta dos partidos do sistema, que não trazem soluções», frisou o secretário-geral do MUDA.

No terreno a acção política é constante e intensa, ao ponto do Movimento BASTA ter chegado atrasado ao sorteio organizado pela Comissão Eleitoral Nacional.

Hamilton Vaz, o mandatário do Movimento BASTA, confirmou que no terreno a batalha eleitoral, já está aguda.

«Eu pessoalmente vim do terreno, como há muita gente no terreno. Para se ganhar as eleições, obviamente que o trabalho é com os soldados no terreno, que é o povo de São Tomé e Príncipe, que mais sofre», concluiu Hamilton Vaz.

Processo eleitoral está adiantado para as eleições legislativas, autárquicas, e regional de 25 de Setembro.

Abel Veiga

1 Comment

1 Comment

  1. paula

    7 de Setembro de 2022 at 23:55

    O povo é que sabe… na minha opinião a solução para são Tomé e Príncipe é Dr Jorge bom jesus , sem coligação e com maioria absoluta, para governar. Tudo menos o pinta cabra

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top