Política

Movimento dos “Filhos da Roça” ameaça a base eleitoral dos partidos tradicionais  

A estratégia eleitoral do Movimento dos Cidadãos Independentes, liderado por António Monteiro, em instituir a figura de “Filhos da Roça” e incentiva-los a conquistarem o poder político, está a provocar estragos nas bases eleitorais dos partidos políticos dominantes em São Tomé e Príncipe.

O Téla Nón apurou que a popularidade do Movimento que está a despertar os filhos da Roça para a conquista do poder, não para de crescer. Nas antigas grandes empresas agrícolas e suas dependências, o eleitorado está a aderir em massa a causa do Movimento.

A foto deste arquivo ilustra a grande adesão que o Movimento dos Cidadãos Independentes está a ter na roça Monte Café e suas dependências. Também na Roça Santa Margarida e suas dependências o Movimento gerou uma moldura humana nunca antes vista no terreiro da roça.

Concentração de apoiantes do Movimento de Cidadãos Independentes no terreiro da Roça Monte Café

O Téla Nón apurou que a multidão que está a receber o Movimento dos Cidadãos Independentes em todas as roças, é composta por militantes dos principais partidos políticos do país. Militantes do MLSTP, da ADI e de outros partidos, que para as eleições de 25 de setembro decidiram aderir ao projecto político que pretende levar os “Filhos da Roça”, ao parlamento e consequentemente ao governo da República.

O Presidente da ADI, Patrice Trovoada manifestou-se atento ao fenómeno político-eleitoral que está a acontecer nas roças. No comício deste domingo, Patrice Trovoada disse que vai visitar urgentemente a roça Água Izé, para neutralizar a mensagem política que está a ser enraizada na roça.

«Eu vou para Água Izé, porque algumas pessoas em Água Izé querem criar confusão entre nós. Estão a dizer gente da cidade, gente da roça, cabo-verdiano, são-tomenses. Nós somos um só povo», avisou.

Patrice Trovoada, contesta o teor da mensagem política que está a ser transmitida na roça.

«Quem é cabo-verdiano de origem, quem é angolano de origem, quem é fôrro, quem é gabão como eu? Somos todos são-tomenses, e ninguém vem nos dividir», reforçou.

Monte Café, roça onde habita mais de 3 mil pessoas e que em termos eleitorais contribui na eleição de alguns mandatos no distrito de Mé-Zochi, também vai receber a visita urgente de Patrice Trovoada.

«Vou a Monte Café também explicar isso. Não é momento da divisão, é momento da União e do trabalho», pontuou Patrice Trovoada.

Movimento que quer pôr o poder político nas mãos dos filhos da Roça já está a ser um quebra-cabeças, para os partidos dominantes de São Tomé e Príncipe nestas eleições de 25 de setembro.

Abel Veiga  

3 Comments

3 Comments

  1. Basta

    19 de Setembro de 2022 at 12:42

    Esses ai só querem confiscar a empresa rosema, nem querem saber se o povo está a bem ou mal…

  2. Margarida lopes

    19 de Setembro de 2022 at 13:12

    Cadê o povo, cadê os homens com “H”? O que estao a espera para enfrentar e levar o Patrice TROVOADA responder junto do TRIBUNAL pelos seus DELITOS e CRIMES…todos e todas FORA para protestar o ABUSO deste corrupto .

    • Notlimar Rita

      21 de Setembro de 2022 at 8:00

      Margarida Lopes, vamos fazer trabalho de casa. Não entendo como as pessoas se raciocinam? De corrupção acredito que o PT também cometeu, mas antes dele vamos varrer desde o primeiro até esta geração de antigos e novos corruptos que estão atualmente no governo. Quando alguém clama pela justiça, ele deve ser imparcial.

      População de São-Tomé tem défice-intelecto.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top