Política

Patrice Trovoada rejeita a proposta de Reparação feita pelo Presidente de Portugal  

A propósito do desafio lançado pelo Presidente de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa no quadro da celebração dos 50 anos do 25 de Abril de 1974, sobre a necessidade de Portugal reparar os danos causados às antigas colónias ultramarinas pela escravatura, o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe Patrice Trovoada que «não está e não vai estar na agenda do Governo a questão das reparações de Portugal pelo seu passado colonial».

Foi depois da reunião do conselho de ministros.O Chefe do Governo santomense acrescentou que «Nós estamos virados para o futuro, … é uma questão que foi levantada em Portugal, mas que, honestamente, não nos preocupa, não faz parte das nossas prioridades e não faz parte da nossa agenda».

Patrice Trovoada reconheceu que alguma sociedade civil santomense reagiu «favoravelmente às ideias do Presidente Marcelo (Rebelo de Sousa)… são questões de opinião, mas não é a posição do Governo», frisou.

O primeiro-ministro avisou que só ele é quem emite a posição do governo são-tomense. «A posição do Governo e eu é que tenho que dizer que a posição do Governo é que não está na agenda e não vai estar na agenda do Governo essa questão».

De seguida o Chefe do Governo anulou as posições assumidas publicamente tanto pelo Presidente da República Carlos Vila Nova como pela ministra da educação cultura e ciência Isabel d´Abreu.

A Ministra da Educação disse a comunicação social que «São Tomé e Príncipe vai pedir a Portugal a reparação dos danos morais pela colonização». Patrice Trovoada considerou que a ministra da educação esteve sob pressão dos jornalistas por isso disse o que disse. Mais ainda o Chefe do governo esclareceu que foi uma posição da ministra Isabel de Abreu.

Já o Presidente da República, Chefe de Estado, Comandante Supremo das Forças Armadas e segundo a constituição política, o único representante oficial do Estado santomense nas relações internacionais, foi considerado como tendo tido uma posição isolada e que não engaja a República Democrática de São Tomé e Príncipe.

O Presidente Carlos Vila Nova que representou São Tomé e Príncipe nas celebrações do 25 de Abril em Portugal, considerou o desafio lançado pelo seu homólogo Marcelo Rebelo de Sousa como algo normal. O Chefe de Estado santomense disse que «a descolonização pode estar resolvida, mas os actos de maus-tratos, de violência e outros que aconteceram não estão resolvidos».

Carlos Vila Nova deu o exemplo de outras potências coloniais que já começaram a negociar com as suas antigas colónias o processo de reparação dos actos da escravatura, e defendeu que o mesmo processo seja desencadeado com Portugal.

Mas Patrice Trovoada primeiro-ministro e Chefe do Governo mostrou sinal de STOP ao Presidente da República.

«O Presidente Carlos Vila Nova tem uma opinião. Mas o que eu quero dizer é que o Governo de São Tomé e Príncipe é que define a política externa, e, em relação a Portugal, nós não temos de facto essa questão na agenda», concluiu Patrice Trovoada.

O primeiro-ministro pôs ordem na casa, depois de regressar na última semana de uma tournée internacional que demorou 30 dias.

Abel Veiga

19 Comments

19 Comments

  1. Joao Batepa

    6 de Maio de 2024 at 8:25

    Eu acho que a saúde mental é uma riqueza.
    Eu acho também que o estigma a volta da pandemia das doenças mentais não tem permitido o primeiro ministro um tratamento adequado ou uma observação a sua situação clínica.
    São Tomé tem muitos malucos.

    • Norberto Pedra

      6 de Maio de 2024 at 10:23

      Parece um assunto sério tendo em conta as movimentos sociais. Se o primeiro ministro é doente mental então precisa de cuidados pelo interesse do país.
      O problema é o estigma. É normal ser doente mental. O mundo é violento, sendo que existe ainda a possibilidade da interferência do maligno por convite em troca de ganhos matérias.
      Paz ao homem e paz ao povo!

    • Nini

      6 de Maio de 2024 at 11:14

      Concordo com Joāo Batepá.
      Como é que Presidente Carlos Vila Nova vai responder? PR tem direito constitucional de mandar PM Patrice Trovoada para casa. Porquê que não faz despacho presidencial?
      Como PR ou PM é evidente respeitar as leis do país.
      Patrice Trovoada falta respeito.
      Se fosse PR já mandava Patrice Trovoada para casa há muito tempo. Como homem nāo admito nenhum homem ou mulher me faltar respeito!
      A linha vermelha nāo crusa!
      Ninguém é 100% normal se nāo seria Deus perfeito na grota dos diabos. Acho que existem várias razões que não são apenas de saúde mental para determinar esse Patrice unfit fora do controle.

      Nota: Questão de reticência, não se deve acreditar na aparência das coisas. É preciso calmar, pausar, contemplar, e dar tempo. A sabedoria dará a resposta.

      Estou atento a espera desse “bromance” entre PR e PM. O final da cena do episódio, quem viver verá…

    • André Ventura Maluco Doido

      8 de Maio de 2024 at 10:57

      Como é que o CHEGA conseguirá prender ou mandar fechar Marcelo Presidente de Portugal na cadeia com um processo criminal sem apoio Judicial e do PS e PSD? André não bate bem.
      Esses tipos de racistas são iguais aos nossos fantoches africanos corruptos. Temos de eliminar com a podridão fora de política derrotando-os nas urnas!
      Portugal tem de pagar reparação aos PALOPS.

  2. Macalacata

    6 de Maio de 2024 at 8:56

    Afinal quem representa a politica externa de Sao Tomè e Prìncipe è presidente da repùblica ou è primeiro ministro.
    Patrice gosa e abusa. Por isso que ele gosta de indicar o presidente ao seu gosto para ele manipular.

    O patrice humilha o chefe do estado como seu mina kià.

    Por isso que fez de tudo para encostar o Delfim Neves o unico com capacidade de lhe fazer frente porque Fradique de Menezes,Pinto Da Costa e o Miguel Trovoada ja reformados da politica o Patrice è agora rei solto

  3. Bobiwabo

    6 de Maio de 2024 at 9:38

    O o Oatricio Trovoada nunca foi Santomense e nem o sague do filho de escravatura teve, apanhou boleia de Sr Posser da Costa e entrou nas fileiras do MLSTP e foi candidato a PR sobre as reparações colonial portugal tem mt a pagar os Cabuverdianos q foi a São Tomé e príncipe trabalhar e foi abandonado desse pais hoje q o Patricio Trovada vem colher dos escravos aquilo q ele nao sabe de onde veio.

  4. Mezedo

    6 de Maio de 2024 at 10:08

    Esse homem esta doido e já nem sabe o que fala.

    o pior é que PR esta virado bobo maluco sem destino.

  5. Sem assunto

    6 de Maio de 2024 at 10:17

    A falta que um estudo secundário completo faz a um indivíduo, digo semente secundário porque universitário é outra questão que faz nó na cabeça deste sujeito.
    Ó Pigmeu, deverias voltar para a escola e prestar um pouco mais de atenção as aulas de história para perceberes dos horrores que foram cometidos na colonização. A iniciativa peca pela tardia e pelo protagonismo, afinal deveria ser nós a exigir mos e não eles a proporem.
    És burro, casmurro não sabes de nada, e governas um país como que se do teu quintal trata-se. O fato de lá viveres não implica que enquanto chefe do governo de um país, que embora não seja seu, não leves a frente este empreitada que é cada vez mais consensual quer entre os colonizados e colonizadores. Isto não é uma questão do forro pessoal mas sim nacional e global.
    Juraste falsamente a constituição em zelar pelo seu desenvolvimento cultural e científico desta nação, eis a prova.

  6. Renato Cardoso

    6 de Maio de 2024 at 10:49

    Diria que realmente para além dos doidos que circulam livremente pelas nossas ruas e vielas;quase todos estão doidos e não há solução sobre os graves problemas que afectam às Ilhas!
    Por conseguinte não há qualquer problema; podemos continuar a chafurdar no lamaçal criado e manter a nossa robusta democrática!

  7. Original

    6 de Maio de 2024 at 10:53

    Acho que o que vai mal neste País toda gente sabe,mas enquanto houver pomada e escova para graxa,vamos fazendo de conta que tá tudo bem.

  8. Julwaity Cardoso

    6 de Maio de 2024 at 12:01

    Para ele, a Reparação não é prioridade, mas “pedir dinheiro” lá e em outros lugares é prioridade.
    Esse PM nunca morou em STP, a esposa e filhos também não; ele só fica aí quando vence uma eleição e, mesmo assim, passa mais tempo fora do país. Quando perde uma eleição, ele baza; só volta 4 anos depois. Tason, kôlê kabêsa pa nansê bê kuma n tê lazon.
    Esse nunca gostou de STP e nunca esteve preocupado com o país. Ele só gosta de poder e exibição e ele só tem esse power em São Tomé que ele tem isso. Ele nunca gostou de STP. Vão escutar Pêpê Lima https://www.youtube.com/watch?v=yze8NYD-qrY.
    Antê dja sé!

  9. Cleopter dos Santos

    6 de Maio de 2024 at 12:30

    caros compatriotas. Eu pessoalmente acho que isto é um assunto extremamente sério para brincadeiras de uns e outros.
    1. Este assunto, despoletado recentemente pelo PR de Portugal, e que eu não acredito na franqueza da sua intervenção, devido a custos e interesses em jogo, é um Assunto do ESTADO, e não de um Governo com alguns pretendem crer. O Governo sim, deve executar;;
    2. Aliás, os horrores da colonização/ escravidão, não têm preço, e não será por aqui. estamos a falar não só de maltrato terríveis, mas também e sobretudo milhões de mortes e de pessoas que foram arrancadas das suas terras, famílias, continentes etc… e enviados para lugares que nunca haviam pensados terem existidos;
    3. Estamos a falar de povos, comunidades e territórios que foram separados/divididos e entregues a outros, sem consultar os seus moradores/habitantes somente dar responder os caprichos dos colonos;
    4. No meu entender, este assunto, não só deve ser do Estado santomense, mas sim no nosso caso dos PALOP’s, e mesmo da UNIâo Africana, e quiçá da Nações Unidas, visto que ele têm uma dimensão que vai além dos nossos paises e extende para outros continentes.
    5. Quanto ao Espólio dos nossos países e que se encontram nas Europas, isto sim temos que preparar para pedir e receber, de forma mais responsavel possivel para colocar nos nossos museus, e evitar que caia em mão alheias, e que não sejam o nosso Estado;
    6. Acho que o PM de STP, exagerou, não há motivos para tanto alboroto

  10. Joao Ramos

    6 de Maio de 2024 at 17:36

    Invejosos
    Pelos vistos vocês é que estão todos doidos.
    O homem troce soluções para o país.
    Deixa-o trabalhar.
    Força e melhoras chefe.
    O país vai funcionar.

  11. Mepoçom

    7 de Maio de 2024 at 18:04

    Ousamos a ser independente. Todos os protagonistas apanharam a boleia e pensavam que governar uma nação é mesma coisa que governar uma casa que nem sempre é governada. Agora que tudo está dando para torto, os que não conhecem a historia,em vez de estarem calado, estão num falar von von, como abelha da tarde. Não tenha a menor dúvida que o país está sem norte. Deixem a história da colonização, aregaçam as mangas e vão ao terreno em busca da riqueza, deixem de preguiça, deixem de bóló, ponhe a mão que Deus abençoe.

    • Kamba Mepoçom

      7 de Maio de 2024 at 22:06

      Mepoçom nāo faz uma observação corrreta.
      Liderar é dar examplos.
      Se nāo fazes o que recomendas outro fazer então és um hipocrata.
      Tem riqueza em S. Tomé, porquê que não vamos lá na grota trabalhar?
      A casa desgovernada ensinou Mepoçom mandar os outros calhar a boca porque ele consideras os outros como abelha!
      Tenha consciência!
      Temos de destruir o colonialismo e neo-colonialismo e afastar os fantoches e corruptos fora do controlo da riqueza do país. Desta forma haverá um clima mais propício para se gerar riqueza na grotar. É por etapas.
      Primeiro: Temos de derrubar com o mal e malvadez que estão na porta, depois entrar.
      Não vamos deixar ou esquecer a história de colonização porque a tragédia aconteceu e nāo vão permitir acontecer de novo! Esquecer o passado sem aprender a lição do passado nāo faz sentido. Temos de dar noção a nossa malta que existe problemas graves, muitos dos quais causados devido a tal colonização.
      Existe muita gente enteressada em dar contribuição positiva. As pessoas que obtiveram formação, têm experiência trabalhando no exterior, e sobre tudo os que estudaram fora e usufruiram de bolsas de estudos são aquelas que deveriam ser primeiro/a a fazer a mala, entrar no avião e voltar para país de origem, STP.

    • Angela

      8 de Maio de 2024 at 4:37

      Será que o Mepoçom é um lixo?

    • Titi

      8 de Maio de 2024 at 10:35

      O Mepoçom é um personagem curioso, mas é inútil no processo de mudança e revolução política.
      O sangue-suga que está a procura de pedaço do bolo dele.
      Fantoche!
      Oportunista!
      Falso!
      Fingido!
      Fascista!
      Vende-se!
      Não precisamos de africanos (Santomenses) fracos.

    • Péssimo

      8 de Maio de 2024 at 10:38

      O Mepoçom é um pessimista e auto-derrotado.

  12. Kamba Mepoçom

    7 de Maio de 2024 at 22:10

    considera

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top