Destaques

600 pescadores receberam equipamentos de segurança marítima

Colete salva vidas, capas de chuva, reflectores de radar, capas para protecção de telemóveis, kits de primeiros socorros e o GPS. São os materiais que a Direcção do Ambiente no quadro do projecto de alteração das mudanças climáticas, financiado pelo Banco Mundial, ofertou aos pescadores dos distritos de Cantagalo, Lobata, Mé-Zochi e Caué.

O cinema Marcelo da Veiga na capital São Tomé, foi pequeno para receber tantos pescadores, que doravante estão equipados para prevenir acidentes no mar. Foram formados sobre a utilização dos equipamentos.

O Director Geral do Ambiente e chefe do projecto financiado pelo Banco Mundial, garantiu que o objectivo é dar segurança ao universo de 1300 pescadores nacionais. Por isso a campanha de distribuição de materiais e formação dos pescadores sobre a utilização dos mesmos, vai chegar aos outros distritos do país. «Na segunda fase pretendemos atingir 1300 pescadores, o mesmo que 70% dos pescadores do país dotados de meios de segurança marítima», precisou Arlindo Carvalho.

Não é a primeira vez que o projecto de alteração das mudanças climáticas, fornece equipamentos de navegação e de segurança marítima aos pescadores de São Tomé e Príncipe.

Muitos acabam por não utilizar os equipamentos, tendo como resultado o desaparecimento constante no mar. «É verdade que os pescadores não utilizavam e agora com sensibilização e informação espero que venham a utilizar. Vamos sensibilizar as pessoas, para saberem que os materiais são importantes para eles e para as suas famílias», pontuou o Director Geral do Ambiente.

Os equipamentos de navegação e segurança marítima ofertados aos pescadores custaram 300 mil dólares.

Abel Veiga

    4 comentários

4 comentários

  1. joão Manuel

    12 de Novembro de 2015 as 20:56

    Parabens os nossos pescadores
    Felicitações as autouridades nacionais pela iniciativa.
    OOs pescadores têm que ganhar juízo. Estão a receber ofertas e têm que saber fazer o bom uso da mesma. Não devem esquece-lo em casa, não devem vende-lo, porque a vossa vida vale mais do que o dinheiro que querem ganhar fácil.
    Espero que a iniciativa siga en frente
    Bem Haja STP
    J.M.

    • Fernando

      13 de Novembro de 2015 as 8:13

      Caro João Manuel, o senhor tocou num ponto essencial. Muitas vezes, os pescadores recebem estes materiais e vendem-nos logo a seguir, em busca do lucro fácil e colocando a sua vida em risco. Claro que existem excepções!

  2. Estrangeiro

    13 de Novembro de 2015 as 10:34

    Perfeito! Boa iniciativa!

  3. ANCA

    13 de Novembro de 2015 as 23:43

    Muito bem

    Boa iniciativa

    Em prol da segurança dos pescadores bem como marítima.

    Necessário se torna ir mais longe.

    Efectivos Populacional, com gosto e arte pela pesca temos, como mostra a imagem acima, os meios que utilizam, a formação que detêm ,(A Canoa, A Pesca Artesanal), jamais os permitirá ser cidadãos SãoTomenses, empresários do sector da pescas, permitindo-lhes um dia quiçá, criar postos de trabalho, ajudar economia nacional, abastecimento do mercado interno, para o consumo de variedades pescado, baixa de preço, transformação, exportação,…

    É imperioso hoje agora, partir para a organização/gestão do sector das pescas do mar, a implementação de Formação Técnicas de Pescas Industriais, com investimento(Meios) em Traneeiras(Barco Insdustrial de Pesca) a escala média, por construção em estaleiros navais, ou aquisição, pelo Estado, depois vendidos aos pescadores a títulos de empréstimos ou créditos,…para que um dia possam sonhar serem grandes Homens de Negócio do Pescado, aventurarem noutros mares, e mercado, sobretudo no mercado Regional-Mais valia para economia local regional nacional, pois se trata de um mercado de 250 milhões de pessoas, África Ocidental.

    Por outro lado a aposta na Aquacultura, permitirá a criação de postos de trabalho, a fundo de concepção perdida,… para a produção de várias espécies de Crustáceos e Pescados, da qual o nosso Mar é rico em Planton.

    Temos que saber tirar partido da economia do Mar

    Pescas

    Turismo/Lazer

    Desporto

    Investigação, Produção de Algas com Propriedades Terapêuticas, para Industria Alimentar, etc,etc,…

    Exploração Petrolífera, Gáz

    Se queres ver o País bem

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo