Sociedade

Estudantes paralisaram Universidade Pública – Governo diz que é crime

Desde 9 de Abril que os estudantes da Universidade Pública de São Tomé e Príncipe, puseram em marcha uma greve por tempo indeterminado. Reclamam pela falta de água potável. Segundo os estudantes, muitas vezes recorrem às residências vizinhas para matarem a sede.

A Universidade foi encerrada també, porque segundo os alunos não existem livros científicos na biblioteca. O acesso à Internet também é limitado, o que dificulta os trabalhos de pesquisa. Falta de condições de higiene, se junta ao não pagamento de bolsas internas.

Em recação a paralisação da Universidade Pública, o Governo através do ministro da Educação, cultura, ciência e comunicação Olinto Daio, lançou na quarta feira fortes acusações contra a Associação Académica dos Estudantes da Universidade Pública de São Tomé e Príncipe, que lidera o movimento grevista.

O Ministro disse que se trata de um crime de vandalismo e que os autores do acto deverão ser responsabilizados. «Aparecer de madrugada assaltar o muro de vedação e danificar as fechaduras é um crime e nesse caso as pessoas serão responsabilizadas por isso», declarou Olinto Daio.

O Ministro anunciou que a Reitoria da Universidade Pública, já avançou com uma queixa crime, submetida ao Ministério Público. O Governo define a greve que paralisou a única Universidade Pública, como sendo crime, e mais ainda, Olinto Daio considera que o seu ministério se confronta com uma sublevação na universidade pública.

As reivindicações dos estudantes foram rejeitadas. O Ministro detalhou as melhorias registadas na Universidade Pública. «Carteiras novas nas salas de aulas, um grande investimento feito na reabilitação das casas de banho e construção de outras novas, construção de um deposito de agua e instalação de internet», referiu Olinto Daio.

Ayres Bruzaca, reitor da Universidade Pública de São Tomé e Príncipe, denunciou a destruição pelos estudantes grevistas de cerca de 18 portas de salas de aulas. O reitor pediu a intervenção das forças de ordem para conter a situação.

Téla Nón

    4 comentários

4 comentários

  1. Admirado

    12 de Abril de 2018 as 17:43

    Agora alguém me explique.
    Pk?
    É disso que eu tenho estado sempre a falar.
    Parece que nós africanos temos um “espírito de destruição” dentro de nós, parecemos animais.
    Vcs perderam toda a razão quando destruirão as portas.
    Num pais miserável como o nosso, que mendiga para pagar salários, para vacinar, para curar os seus filhos, que vive de apoio externo, e o pouco que temos é vandalisamo?
    Por amor de Deus, o que fiz eu para nascer nessa terra, n merecia isso senhor Deus.
    É muita gente que n presta para nada, é angustiante ver no que esta o meu pais a se transformar, credoooooooo.
    Sr primeiro ministro ou ministro de educação, pfv cadeia com eles.
    Nd de passar mão na cabeça deles, cadeiaaaaaaa ja.

  2. Angel Alison

    13 de Abril de 2018 as 8:00

    Há uma diferença entre “danificar a porta” e fechaduras danificadas. Alias, o que foi reparado, ou melhor substituído, são os canhotos das fechaduras, que, sou da opinião que devem ser reembolsados pela Associação dos alunos do ISP.

    O Sr. Ministro de Educação disse, e passo a citar «Aparecer de madrugada assaltar o muro de vedação e danificar as fechaduras é um crime e nesse caso as pessoas serão responsabilizadas por isso»,

    Correcto.

    Agora pergunto:
    1º Quando é que no nosso país será responsabilizadas os dirigentes acusados de má gestão, comprovados pelos Relatório de Auditorias, de IGF e ou de TC?

    2º Quando é que em STP será responsabilizado, PM, Patricio Trovoada pelos crimes cometidos?

    3º Quanto será responsabilizados funcionários públicos, acusados de falsificação, caso recente da Direção dos transportes, em que a Senhor acusada, está actualmente a exercer as mesmas funções, no total desrespeito aos santomenses?

    4º Quando será responsabilizado o Presidente da Republica por ter violado a Constituição de São Tomé e Principe, promulgando o Decreto Lei que criou o Tribunal Constitucional, quando o mesmo processo ainda está em analise no STJ?

    5º Quando será responsabilizado o Governo de ADI por incumprimentos a Constituição e as Leis do país?

    7º Quando será responsabilizado o Patricio Trovoada pelo uso abusivo do erradio publico, utilizado nas suas numerosas viagem?

    8º Quando será responsabilizado o Patricio Trovoada pelo processo de compra do edíficio que deveria servir de sede do STJ?

    Quando?

    A Justiça deve ser justa.

    Uma greve, não deve ser resolvida com intimidação e ameaças

    Somos ou não somos um país democrático?

    Diz-me quando é que STP basculou para uma ditadura.

    O meu maior sonho é em 2019, depois das eleições ver o Governo do ADI, nas pessoas dos Sr. Patricio Trovoada, Américo, Vila Nova e os demais responsabilizados pelos crimes de burla, de má gestão e de desvio de fundos.

    É ver os juízes nomeados para o Tribunal INConstitucional, responsabilizados.
    Mais que misquinhesses*
    O país está ser governada por pessoas mesquinhas, de mente vazia e coração cheia de odio e tem por Primeiro Ministro o Rei dos Mesquinhos.

    Que Deus tenha piedade de nós.

    • raboboi50

      13 de Abril de 2018 as 15:46

      Acrescento, O Olinto Daio, não deviria estar exercer funções de Ministro de Educação, ele é mentor da indisciplina, ameaçou uma funcionário (Nomey Medina) que ia dar Bofetadas, como se fosse sua filha, onde esta direitos das Mulheres. Falar de queixa crime, ele não moral de falar, mas como estamos no País que estamos, tudo e possível. Mas tudo tem limite. Falar de Catamaras PIXI DANLÁ, Bote Patrucha,30.000.000 Dolar,abuso de poder, falar de dirigente que ocupam vários cargos e boa soma de valores não fala. Miseraveis

  3. Donald Trump

    14 de Abril de 2018 as 16:05

    Crime nada, este ministro não tem moral para incriminar ninguém, porque o maior desordeiro é ele. Nunca reconhece o seu erro, só repara nos erros dos outros. Tenho muita pena do Padre Miguel, que também vendeu a sua alma, à troco umas moedas de prata…ficamos a saber que a filha do Reitor também estudava no ISP, depois de ela ter chumbada , foi retirada de imediato para Portugal, porquê? Foi o próprio Padre Miguel que sabutou as fechaduras, em conluio com o Reitor… Bandos de dirigentes incompetentes sem argumentos!!! Por outro lado, o Padre Miguel não é jurista mas dá aulas de Direito Internacional Privado, como se explica isso, não será mesmo que o futuro do país estará mesmo comprometido com estas brincadeiras?

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo