Sociedade

Comunidades agrícolas de Lobata beneficiam de sistema de irrigação dos campos

120 famílias de agricultores das comunidades de Santa Luzia e Santa clara no interior do distrito de Lobata beneficiam doravante de um novo sistema de irrigação dos campos. As duas comunidades com grande potencial na produção de hortaliças, enfrentavam dificuldades por causa da inexistência do sistema de regadio.

No quadro do projecto de adaptação às mudanças climáticas, executado pelo PNUD em São Tomé e  Príncipe e financiado pelo Fundo Global para o Ambiente, mais de 400 mil dólares foram investidos na criação das infra-estruturas para irrigação dos campos.

A obra de construção do sistema de captação da água a partir do Rio do Ouro demorou 12 meses. Zaira Virane, Representante do Sistema das Nações Unidas em São Tomé e Príncipe, disse  que a obra se enquadra no plano anual das acções do PNUD em São Tomé e Príncipe. « Mitigar e adaptar-se as novas práticas agrícolas é o método para os agricultores aumentarem a produção, e desta forma o país aproveitar o potencial da agricultura para o seu crescimento económico e de forma sustentável», sublinhou Zaira Virane.

O Primeiro Ministro Patrice Trovoada que acompanhou a representante do PNUD na inauguração do novo sistema de irrigação para Santa Luzia e Santa Clara, destacou a importância que tem o aumento da produção de hortaliças na melhoria do índice macroeconómico do país. « A deficiente produção hortícola é a maior responsável pela inflação em São Tomé e Príncipe. Por isso quanto melhor produzirmos frutas e legumes, melhor também viveremos porque vai contribuir para baixar o custo da alimentação e baixar a inflação», frisou o Chefe do Governo.

O projecto que ajuda as populações a adaptar-se às mudanças climáticas, está no terceiro ano de execução. Termina em 2019. O pacote financeiro para 4 anos de execução é de 4 milhões de dólares. Com o financiamento do Fundo Global para o Ambiente, já  montou sistema de irrigação em cerca de 3 comunidades agrícolas, e instalou estufas para produção hortícola em várias outras comunidades rurais.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. Zani

    4 de Agosto de 2018 as 12:27

    Isso é que importa!
    Pequenas obras que farão grande diferença na vida das populações.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo