Sociedade

Empresa Ridux de Melo Xavier confirma que a Rosema é novamente sua

Num comunicado distribuído a imprensa, a Ridux-Grupo Melo Xavier, diz que « por decisão do meritíssimo Juiz de Lembá, foram devolvidos a Sociedade Ridux LDA, os bens que através de uma sentença do anterior Juiz da Região de Lembá, tinha sido arrestados e entregues de novo aos antigos detentores os irmãos Monteiro».

O documento assinado por Manuel Martins Quaresma na qualidade de representante da Ridux em São Tomé e Príncipe, explica que a decisão do Juiz José Carlos Barreiros, é justificada com « a falta de pagamento dos preparos iniciais dos processos que foram introduzidos pelos irmãos Monteiros. O Juiz de Lembá ordenou a extinção desses processos, ordenando de seguida a devolução dos bens a Ridux LDA, cujo sócio maioritário é o senhor Melo Xavier».

Note-se que exactamente há um ano, 10 de Maio de 2018, o ex-Juiz António Bonfim Gentil Dias, do Tribunal de Lembá, decidiu com base numa providência cautelar submetida pela advogada Celiza de Deus Lima, devolver a Cervejeira Rosema aos Irmãos Monteiros.

Na altura a Rosema, tinha sido restituída ao empresário Angolano Melo Xavier, por um acórdão do Supremo Tribunal de Justiça emitido em Abril de 2018.

O então Juiz Bonfim de Lembá, pôs em causa a decisão do Supremo Tribunal de Justiça, e com base na providência cautelar da advogada dos irmãos Monteiros, fez sair a Rosema mais uma vez das mãos do grupo privado angolano.

No início deste ano, e após a recolocação dos Juízes Conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça que tinham sido exonerados pela anterior maioria parlamentar da ADI, por causa do acórdão que devolveu Rosema ao grupo Melo Xavier, o Juiz Bonfim conheceu o seu fim no Tribunal de Lembá. Foi suspenso e afastado dos Tribunais.

José Carlos Barreiros, foi o substituto indicado pelo Conselho Superior da Magistratura Judicial. Ontem, o novo Juiz do Tribunal de Lembá, deitou por terra os alicerces da providência cautelar da advogada Celiza Deus Lima, e a Rosema regressou para o seu dono, conforme tinha decidido o Supremo Tribunal de Justiça em Abril de 2018.

Abel Veiga

    17 comentários

17 comentários

  1. Vanplega

    10 de Maio de 2019 as 16:03

    Toma o que seu pelo direito, organizem, dei trabalho aos Santomenses

    Sem se esquecer de dar, saúde, educação e próspera a região do Lemba.

    Tambem não se esquece, de pagar as contribuições ao estado.

    E hora de trabalhar e seres honesto, alavancar e desenvolver aquelas bandas

    Boa sorte

    • MIGBAI

      10 de Maio de 2019 as 21:55

      Espera aí meu caro vanplega.
      O Xavier não é o estado de stp.
      O que é isso de exigir ao homem isso tudo.
      Pedinte de merda é o que tu és!!!!
      O homem não deve nada a ninguém.
      O estado de stp é que deve ao homem por lhe ter roubado ânsia empresa assim como deve a todos os proprietários das roças e seus herdeiros.
      Por isso vamos começar a apoiar o devolução das roças aos seus legítimos donos, mas não podemos exigir já responsabilidades aos mesmos quando estes nada geriram das suas empresas ou roças.
      A

      • Vanplega

        11 de Maio de 2019 as 10:34

        Sou pedinte de merda, aceito de grado. Vale ser pedinte, do que ser ladrão do bem do povo. Não defendo ladrões do povo, como defendes o ADI, que em 4 anos, muitos ficaram ricos.

        Vale apenas ser pedinte, do que lambe botas como tu MIGBAI

        Devias ter vergonha

        • MIGBAI

          13 de Maio de 2019 as 15:26

          VANPLEGA.
          Mencione aqui um único comentário meu onde eu tenha defendido a ADI.
          Apresente um único comentário meu por favor!!!
          Nunca defendi a adi nem o mlstp, nem nenhum outro partido político.
          Apresente aqui se faz favor, um comentário meu defendendo o partido ADI!!!!!

      • STP Terra linda e gente boa

        11 de Maio de 2019 as 17:07

        Migbai, não é preciso chamar nomes às pessoas. Devolução é outra coisa. Mesmo que o estado lhe deve, há instâncias competente para resolver. Agora, na gerência da fábrica, como em qualquer país do mundo, o Melo Xavier tem pela obrigação de pagar impostos. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. E os que têm a sua pequena empresa com despesas enormes e têm que pagar impostos no país? Quer dizer você defende um estrangeiro rico, que beneficia de uma fábrica no nosso país e não queres que ele pague impostos? Isto é uma aberração. Não estou contra de ser devolvido a fábrica, a sua obrigação deve ser cumprida. O Melo Xavier para hoje ter a fábrica, vem de um erro dos governos anteriores de privatizar tudo o que é do estado que ele comprou a tuta e meia. Ele que gere e respeite a lei fiscal do país.
        Um bem haja a todos.
        Que Deus abençoe STP.

        • Vanplega

          12 de Maio de 2019 as 9:26

          És um troca tintas.

          Não falas coisas por coisa.
          Tás desesperado

          Lambe botas de ………

        • MIGBAI

          13 de Maio de 2019 as 15:33

          “STP terra linda e gente boa”.
          Existem coisa que me tiram do sério, e andar já a pedir isto e aquilo com base na conversa que é empresário, tem que ter dinheiro para nos dar, é algo de mais para mim.
          E já agora o que é isso de que é estrangeiro não pode ser defendido como os nacionais o são???
          Claro que tem que pagar impostos, mas não é por ser estrangeiro rico ou não. Tem que pagar impostos como toda a gente empresário ou não tem que pagar, mas só a partir do momento em que tome as rédeas do seu negócio.
          Agora acho muito bem que ele possa exigir ao estado de STP uma indemnização pelos danos que lhe provocaram.
          Deve exigir e não deverá ser pouco, embora o misero estado de STP não lhe vá pagar nada, embora tenha comido e bem durante estes anos todos.

      • Riboqueano

        13 de Maio de 2019 as 17:16

        Eu quase que diria que este MIGBAI é o Pósser da Costa. Outro grande corrupto da nossa praça. Nunca fez nada na vida senão viver do tacho DO MLSTP. Perguntem ao Pósser o que é que ele fez de positivo para o país desde que ele se formou e regressou ao país. Foi sempre governante, viveu bem, usufruiu de muita coisa do estado e hoje está muito bem de vida. Ele e os outros do MLSTP. O Pósser e outros nem sequer conseguem organizar uma pequena associação da sociedade civil de caráter temático relacionado com direitos humanos, direitos dos consumidores, etc. para pelo menos justificarem aquilo que roubaram ao país. Ou pelo menos publicarem um pequeno livro demonstrativo das suas experiências como governante ou primeiro-ministro. São estes os dirigentes que temos e já estão a treinar os filhos para lhes substituirem na tarefa de roubar o país. Isto vai passar de uma geração para a outra. Estamos entregues aos bichos.

  2. Fusoê

    10 de Maio de 2019 as 17:07

    Concordo com a devolução, pois cega de batotas! Porém acho que por todos esses anos , os irmãos Monteiros deviam ter acção na Rosema.

  3. Frederico Ferreira Major

    11 de Maio de 2019 as 6:55

    Honestidade..Os Santmense devem construir mais uma fábrica de intelegiveis, não de espeteza e de espertalhões mas sim construir fábricas de inteligência e de sabedoria que pendure para sempre, AMEM!

  4. Frederico Ferreira Major

    11 de Maio de 2019 as 7:01

    Honestidade vale mais do esperteza dos espertalhões…constroem mais fábricas de inteligência com sabedorias…

  5. Frederico Ferreira Major

    11 de Maio de 2019 as 7:05

    Aí calor, estamos em África….Beba CETO(ROSEMA)?????

  6. Adriano

    12 de Maio de 2019 as 8:27

    Nao se percebe como é que Telanon aceita comentarios de tao baixo nivel com insultos como o do MIGBAI durante meses a fio.

    • Neves

      14 de Maio de 2019 as 21:29

      O MIGBAI tem todo o direito de dizer o que entender bem como de criticar o que achar que deve criticar.
      Quando o Telamon censurar alguém aqui, está a abrir um precedente que lhe pode custar muito caro caso um qualquer governo venha a intentar contra.
      O telanon terá que ser isento e publicar toda e qualquer opinião mesmo que contrária à sua linha política.

      • Téla Nón

        14 de Maio de 2019 as 21:50

        kkkk..Linha Editorial….O Téla Nón só publica toda e qualquer opinião, caso respeite a ética definida para os comentários. Por exemplo se a opinião for escrita com letras maísculas, deve ser imediatamente deletado, conforme determinada a norma dos comentários. Se tiver insultos, e outros exageros, a norma obriga o jornal a simplesmente deletar…

  7. Jacob

    12 de Maio de 2019 as 15:08

    Também concordo com a devolução mas também gostaria de saber já agora o que pretende o Sr Xavier com o Náutico, se não tiver o plano q faça devolução ao estado pq como disse e disse bem num dos comentários q vi numa outra notícia relacionada com o caso Rosema, o náutico é espelho da nossa cidade portanto não deve continuar nesta situação porque não é nada bonito para o nosso turismo. Obrigado

  8. TonyexMk

    15 de Maio de 2019 as 12:36

    Vi alguns comentários incrédulos.

    A actividade económica seja exercida por empresários estrangeiros ou nacionais é regida pela mesma lei fiscal. Assim estas entidades têm que cumprir a mesma, não há dúvidas.

    O que aconteceu aqui “Rosema”, foi um imbróglio jurídico, com culpa para os tribunais de Stp. Agora, reposta a legalidade, logicamente o empresário que ficou expoliado dos seus bens durante determinado tempo, pode e deve requerer que lhe sejam pagos indemnizações por perdas de capitais e utilização de bem por terceiros.

    Dado que em Stp, a classe empresarial local é medíocre, somente empresas de gestão “estrangeira” geram alguma riqueza e pagam impostos, a proteção deste empresário é importante para futuros investidores entrarem em Stp. Hoje em dia não entram porque não confiam no aparelho de estado e justiça. Quer queiramos ou não, Stp não tem empresários nacionais com capacidade de fazer empresas realmente produtivas, isto é são tesos e pensam em safar o dia.

    Pode ser cultural mas não é factor de sustentabilidade para Stp.

    Este é mais um exemplo de que Stp é um erro de País, não tem massa crítica para negócios, não tem formação política, não tem recursos humanos competentes.

    Depois disto tudo ainda há pessoas que se injuriam contra os empresários “estrangeiros “ que são os poucos que pagam impostos e criam emprego, brutal!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo