Sociedade

Covid-19 impõe a requalificação da zona histórica da cidade de São Tomé com 485 anos

A crise do novo coronavírus, alterou o cenário da cidade de São Tomé. A cidade que celebrou 485 anos no dia 22 de Abril, viu a sua zona histórica ser esvaziada e encerrada nesta semana.

O mercado Municipal e as ruas adjacentes no coração da cidade de São Tomé, deixaram de ser inundadas por milhares de pessoas, que realizavam todo o tipo de negócio, que produziam todo tipo de lixo no centro da cidade que completou 485 anos de idade.

A ameaça da Covid -19 provocou o encerramento do mais antigo mercado de São Tomé.

De imediato um grupo de arquitectos e de técnicos urbanísticos, assumiu o desafio lançado pelo Governo para redesenhar o futuro do mercado e da zona circundante, agora desocupados por causa da Covid-19.

Após reunião com o Ministro das Obras Públicas, Osvaldo Abreu, a equipa de técnicos nacionais considerou que a nível mundial, «há uma necessidade de dar novos usos aos antigos equipamentos, comerciais, culturais….e a nossa cidade tem vários equipamentos que precisam de uma certa requalificação…».

Meco Bragança, arquitecto e porta voz do grupo explicou que a requalificação «passa principalmente pela mudança de uso do equipamento. Por exemplo podemos pensar no mercado municipal como um outro equipamento, que não seja mercado. Pode-se pensar na ampliação no sentido vertical», precisou o arquitecto.

O Ministro das Obras Públicas, reconheceu a importância histórica do momento. «Estamos em presença de um edifício histórico, emblemático, e carregado de importância da nossa vivência enquanto país e cidade bastante antiga», afirmou.

O Governo sente que não deve agir sozinho. Tocar nas paredes do edifício do Mercado Municipal é tocar na alma de milhares de santomenses.

«Não é algo que pretendemos decidir sozinhos. É uma decisão que tem que ser abrangente, pois toca muita gente e vamos levar ao debate público. Temos conhecimento do debate que tem havido na nossa diáspora sobre o que fazer com o mercado. Haverá oportunidade para que as pessoas possam contribuir», acrescentou Osvaldo Abreu.

Na mesma semana em que a cidade de São Tomé completou 485 anos sobre a sua fundação, os arquitectos santomenses tanto no país como no estrangeiros, a pedido do Governo, uniram-se para projectar o renascimento da cidade de São Tomé, após Covid-19, que saneou todas as ruas da zona histórica da capital.

«Queremos também convidar arquitectos da diáspora tendo em conta a experiência, e a interacção que têm com outras realidades, de forma que o pacote que venha a ser apresentado tenha essa abrangência de quadros nacionais…… É nosso desígnio que este novo enquadramento do nosso mercado e da nossa cidade possa representar os anseios de todos os santomenses», concluiu o ministro das obras públicas e infra-estruturas.

Dentro de 1 mês, os arquitectos devem apresentar o projecto de requalificação da cidade.

O Governo reconhece que a pandemia da Covid-19, criou oportunidade para a cidade de São Tomé, com 485 anos, ressurgir totalmente requalificada, e com a possibilidade de recuperar o estatuto perdido, de ser a mais limpa, e a mais linda da África Central.

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Pedro Costa

    23 de Abril de 2020 as 23:00

    Que imagem! Triste e sem vida! Parece que houve uma guerra de décadas por aqui!
    Quem viu e quem vê esta parte da nossa capital!
    Infelizmente coabitava ali gentes que nem sequer se preocupavam com o estado das coisas!
    Enfim; Revolta-me.
    Espero que possam lavar a cara desta parte da cidade e quando tudo passar possam disciplinar as pessoas, organizar isto e não permitir que danifiquem o que for corrigido.
    Que tristeza.

    • Como será

      26 de Abril de 2020 as 19:42

      Revolta sim, da tristeza ver a cidade nestas condicoes que chegou.

  2. Paulo coelho

    24 de Abril de 2020 as 5:16

    Muitos porcos em São Tomé.
    Todos os lugares muitos animais à solta
    Alguns mais fáceis de identificar…
    Mas porcos são porcos né
    Coitados desses animais
    Ninguém para os por na suína
    Talvez daqui a mais 400 anos

    • Como será

      26 de Abril de 2020 as 19:41

      Uma codade capital cheio de porcos a solta, meu caro se nos queremos um pais moderno; entao o estado deve investir na educação; um pais so desenvolve com sociedade informada; educação é fundamental. Animais solto pela rua onde esta os homens da camara, nos tempos em que eu cresci, havia recolha de animais baldeos; mas era apenas os cães e nunca os suinos.

  3. Adeliana Nascimento

    24 de Abril de 2020 as 8:42

    Isto é muita brincadeira.
    Escolheram os arquitectos da governação. Alia´s, o rumo a dar a este edificio emblematico, deve-se auscultar os Munícipes, nóes é que poderemos decidir. Vamos a uma consulta Pública. Não é Osvaldo Abreu e seus camaradas é que vão dizer.

    Para mim, um Centro de exposições e alojamento de jovens empreendedores, uma incubadora de empress em varios ramos de serviços para jovens, não para os politicos ladrões da nossa praça

  4. Vanglega

    24 de Abril de 2020 as 10:59

    Doi muito ver o estado desse Patrimonio.
    Mais seja como for:

    Esta obra foi feito pelo colono, depois da independencia, nunca sofreu uma reparacao, esta como eles( colono) deixaram. Agora, comparam com o que foi contruido no coco-coco.

    E chegado a hora dos politicos Santomenes, fazer uma obra de relevo neste pais. Esses senhores politicos, viajam pelo mundo fora, tenhem olhos e duvida e, veja o que feito por la.

    Porque que em CABO-VERDE, ele fazem e construi e nos SANTOMENSES, nao podemos fazer?
    Falta de conciencia ou por serem mais?

    Agora, nao venham menhum politicos da nossa praca, vir dizer que ficou com o mercado municipal.
    Serial uma aberracao e nos SANTOMENSES, nao iamos aceitar tamanha vergonha

    Tambem sabemos que eles nao tenhem vergonha, mais se isto acontecer, deremos resposta. Eu compro gasolina.

  5. Mepoçon

    24 de Abril de 2020 as 11:29

    Como já dizia num dos meus comentários, há um mal que vem por bem. Eu olhava para minha cidade com profunda tristeza, ao vê-la transformada numa lixeira contaminando o ambiente com porcaria de toda casta. Espero que requalifique, no caso de mercado municipal, sem alterar arquitetonia das suas fachadas, podendo erguer mais pisos que a estrutura oferece, mas jamais reinstalar o mercado de palaiê de venda de produtos diversos, salvo lojas, hotéis e serviços. Valeu a pena iniciativa de Patrice Trovoada, permitiu ao governo uma solução rápida. Não brinquem com a natureza.

  6. Frederico Ferreira Major

    25 de Abril de 2020 as 10:53

    Os santomeses são intelingêntes, mas fatam-lhes a experiência espiritual de conceber, projectar e concluir coisas. Concebem obras mas claudicam na sua execução porque são fracos espiritualmente, é um país cheios de imundices, esta ilha está amarrada, por isso não desenvolve. É necessário alguém que a liberte das imundices…Amem!

    • Como será

      26 de Abril de 2020 as 16:51

      Meu irmao Francisco; concordo contigo; finalmente com visao espiritual para entender o que se passa na ilha; as pessoas nao conhecimento sobre a palavra viva; o nosso nao buscam verdadeiro Deus vivo; razao pela qual vivem desta maneira é preciso um avivamento espiritual; o nosso povo vive 3 tipos de pobreza; Social; mental e espiritual; vivem na escuridao ate os nossos politicos;têm olhos mas nao conseguem ver; têm ouvidos mas nao ouvem, a biblia nos diz: que o meu povo sofre porque lhe falta conhecimento. Outra passagem ;conheceis a verdade e ela te libertara. É o nosso dever orar para Deus libertar este povo; para os olhos de entendimento.

  7. Vanplega

    25 de Abril de 2020 as 14:00

    E preciso tomar muito cuidado com essa requalificacao.

    Isto e o nosso PATRIMONIO.

    Temos que dar vida a cidade de SAO TOME, nao deixar ao como esta e, triste ver esta destruicao, duma maravilha que passou a um casos. O POVO, tambem e culpado dessa destruicao, aonde a educacao morreu. O POVO, tornou PARVO, IGNORANTE, ESTUPIDOS, tornaram uns VANDALOS.

    Tambem Senhores POLITICOS, que essa requalificacao, nao fique nas vossas maos como foi a FABRICA DE BOBO FORRO.

    JA agora pergunto ao senhores Politicos:

    De quem e a fabrica de bobo forro? E do senhor Fradique Menezes?
    Quem lhe deu, como foi essa transacao, quango custou, como pagou, a quem pagou?

    Porque, que ate hoje ele nao fez nada nesta Fabrica?

    Ele quer vender como vendeu FAVORITA?

    chegou a hora do governo tomar de volta, ja que o estado precisa de espaco.

    Obrigado: se alguem nao gostar, que
    Venha ao BATEPA, falar com
    VANPLEJA

    • Como será

      26 de Abril de 2020 as 19:52

      Vamplega gosto dos teus comentarios; tudo indica que voce é lucido; acompanha cuidadosamente da desgraca em que o pais se encontra; por conta da gestao que aruinou o pais. Meu caro andamos a dizer que o pais é pobre; mas isto nao justifica a desorganizacao em queo pais se encontra.Bem Haja

  8. Frederico Ferreira Major

    26 de Abril de 2020 as 6:45

    Param de exibir muita lata na garganta, matam a cobra e mostrem o pau. Mostrem o que vocês são capazes de superar o que o colono construiu.Já la vão 50 anos e nada de vulto conseguiram fazer, este país é riquissímo a vossa inteligência é pobre. O país vive sobre esconbros e imundices, um turista não vem ao país gastar o seu dinheiro para apreciar ruinas. e lixos. Alguns deles que têm visitado o país saiem dela a lamentar.

  9. Como será

    26 de Abril de 2020 as 22:52

    Sim realmente. Muitos que visitam o nosdo pais e nao gostam. Ate tem gente que so fica no hotel e nem sequer anda pela cidade. Ainda pir cima nos zombam da imundicia que tomou conta da cidade, geracoes agressivas, buçal, Meu Deus mas que caracteristica genética faz parte do povo santomente, este seria um bom mitivo para os Antropologos, historiadores,Sociologo e pscologo do pais comecarem a investigar.Enfim

  10. Crisotemos Café

    27 de Abril de 2020 as 12:36

    Muito bem, mas é preciso consultar os Municipes, sobre o destino a dar ao Mercado Municipal. Não é dois(2) gatos pingados ditos arquitectos do poder é que vem nos ditar o que querem.

    O Mercado Municipal, deve manter de forma civilizada a função para qual ele foi construído e ponto final

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo