Sociedade

Observatório STP publica no Téla Nón o seu manifesto social nº5/2020

MANIFESTO SOCIAL N.º 5/2020

Reafirmação do papel do Observatório, enquanto iniciativa para escrutínio e controlo social da actuação dos decisores e gestores públicos.

Na sequência do Comunicado do Instituto Marquês de Valle Flor, assinado pelo seu Director em STP, António Soares Marques de Lima e publicado através da página oficial do Ministério da Saúde no  Facebook, no qual o referido Instituto reage aos factos questionados e analisados na nossa rúbrica o Filtro em: http://observatoriostp.org/video.php?id=97  do passado dia 17 de Junho corrente, referente a questão “se o Ministério da Saúde efectuou a adjudicação directa de Um Milhão e Cem Mil Dobras para fornecimento de máscaras pelo Instituto Marquês de Valle Flôr”, o  Observatório Transparência STP através do Manifesto Social n.°5/2020 em: http://www.observatoriostp.org/Documento/MANIFESTO%20SOCIAL%20N.%2005-2020%20.pdf?fbclid=IwAR2Qk5xVqB8WTwNqNQwVf8MRICsYCiLGBJUZUBfwkIjY-uJGQ7CWPU3yjLE reafirmou o seu papel enquanto iniciativa da sociedade civil para o escrutínio e controlo social da actuação dos decisores e gestores públicos.

No referido manifesto o Observatório Transparência STP desafia o Director do Instituto Marquês de Valle Flôr em STP, que caso possua elementos objectivos que contrariam as informações do Governo constantes do seu Relatório Oficial previamente  submetido à apreciação da Assembleia Nacional, que apresente publicamente as respectivas documentações com vista ao cabal esclarecimento da opinião pública e, de igual modo, incita o referido Director a indicar em que momento o Observatório Transparência STP manipulou informações oficiais e efectivamente acusou o Ministro da Saúde de tráfico de influência ou de qualquer outra infracção.

Neste âmbito, o Observatório Transparência STP não pode deixar de manifestar estranheza em relação ao teor intimidatório do Comunicado assinado pelo Director do prestigiado Instituto Marquês de Valle Flor em STP, que encobre o modus operandi dos que não sabem conviver com o escrutínio e questionamento social e procuram calar a participação social e activa no  controlo da gestão dos recursos públicos.

Neste senda, para além de apresentar novas provas que indicam outras aquisições feitas pelo Ministério da Saúde ao Instituto Marquês de Valle Flôr, desta feita no valor de Dbs. 746.931,50 (Setecentas e Quarenta e Seis Mil, Novecentas e Trinta e Uma Dobras e Cinquenta Cêntimos), equivalentes a € 30.487,00 (Trinta Mil Quatrocentos e Oitenta e Sete Euros), conforme o quadro de utilização pelo Ministério da Saúde do fundo destinado à pandemia da COVID-19, referente ao mês de Abril, reiterou que, enquanto iniciativa da sociedade civil, não se deixará intimidar por nenhum tipo de ameaça, pois os seus membros estão convictos e seguros no cumprimento da sua missão em prol de mais  transparência e maior efectividade na gestão dos recursos públicos e, acima de tudo, por um S. Tomé e Príncipe livre de  actuações que visem a delapidação dos recursos públicos.

São Tomé, 18 de Junho de 2020.

Observatório Transparência STP

+ transparencia  > efectividade

    6 comentários

6 comentários

  1. Fuba cu bixo

    20 de Junho de 2020 as 13:58

    Acho bem que não se deixem intimidar e continuem a denuciar a prática de delapidacao de bens público é tempo de lutarmos contra esses corruptos que vão ao poder para roubar
    Porque para mim S.tomé só esta bem quando tiver a refletir diretamente na vida das pessoas.

  2. eu

    20 de Junho de 2020 as 16:07

    Banco de Portugal pode ajudar a saber para onde foi o dinheiro.
    Tribunal de Contas, por amor de Deus, Voces sao a nossa experança.

  3. SANTOMÉ CU PLIXIMPE

    22 de Junho de 2020 as 7:13

    Só lamento este dito “Observatório Transparência” ter surgido só agora, já agora podem também ver a questão de no Banco Central e tb de introdução de novas dobras? E mais por favor falem um poucos desses factos por favor..

  4. Manuela Pedroso

    22 de Junho de 2020 as 8:08

    Investiguem por favor, como é que um individuo particular, o senhor Posser de Costa, venda um Jardim Público para a empresa petrolífera Sonangol no valor de 400 000 euros em proveito próprio.
    É normal vender um Jardim Público?
    Este senhor diz-se que é um jurista, a filha é Presidente da Ordem dos advogados, ele mesmo ´´e um advogado e advogado das maiores empresas privadas de S.Tomé e Príncipe, afinal é um dos maiores gatunos a solta no país?
    No entanto, pode-se dizer que este tipo é muito corajoso. Já vi ladrões a roubarem de tudo, mas vender um jardim do povo? Onde está a Câmara de Água Grande, que é o gestor por excelência deste espaço. Onde está o Governo que em nome do povo devia preservar este espaço. Onde está os tribunais que deveriam fazer a justiça. Onde é que está o Ministério Público que deveria ser o defensor dos bens públicos. Ninguém mía neste caso, porque o senhor Posser da Costa, é o mandante do Governo, mandante da Camara, mandante da Justiça etc. Ele é um Camarada e nos camaradas não se pode tocar.
    Também, receber quatro centos mil euros, dá para tapar boca a muita gente, desde a camara, governo e a justiça.
    O povo deveria organizar também para começar a vender os espaços verdes ainda existentes no país. Afinal isto dá dinheiro.
    Povo de S.Tomé e Príncipe. Abra os Olhos.

  5. boca pito

    22 de Junho de 2020 as 9:09

    Muito bem.
    Pelo menos através deste espaço, muitas coisas obscuras possam ser tornadas públicas.
    Embora neste momento tenhamos uma justiça ineficaz e sombra de si mesma, pelo menos podemos contar convosco e com o Tribunal de Contas.
    Nessa senda de suspeições, tem havido uma “neblina” que cobre o processo da possível venda a terceiro do espaço da Posto de Abastecimento de Ana Chaves na cidade de São Tomé. O povo precisa saber a verdade. Porque um dos incoformados publicamente com o caso é o Olívio Diogo e o mesmo tem vindo a ser ameaçado.
    O povo precisa saber a verdade deste dossier.

  6. Convetavirus

    22 de Junho de 2020 as 13:12

    Este relatório deve ser analisado com muita cautela, porque tem por detrás muitos “Patribufos”, que todos sabemos, grande maioria está na rua de amargura,falidos e desesperados em regressar ao poder.
    Não quero retirar o valor das análises efectuadas, mas muitos concordam comigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo