Sociedade

OMS recomenda novos medicamentos contra a Covid-19 e pede acesso equalitário BR

PARECRIA – TÉLA NÓN / RÁDIO ONU

Novas diretrizes da Organização Mundial da Saúde incluem substâncias casirivimab e imdevimab para uso no tratamento; agência apela a farmacêuticas e governos que gerenciem alto custo e limitação na produção dos fármacos.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, inseriu os anticorpos casirivimab e imdevimab na lista de alternativas no tratamento da Covid-19.

Com a recomendação dos fármacos, condicionada a alguns casos, a OMS lançou apelo a empresas produtoras e governos para que gerenciem o alto preço e a produção limitada para garantir manuseio seguro e adequado dos medicamentos.

Acesso

A OMS também reforça iniciativas para o acesso equitativo. A agência informa que negociações estão em andamento para que o fármaco seja produzido por custos menores e distribuído igualmente entre as regiões. A atenção especial será para países de rendas baixa e média.

Já está em negociação a doação de lotes pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

A OMS abriu um chamado para farmacêuticas que desejem cadastrar seus produtos para pré-qualificação. A medida permitiria um aumento da disponibilidade de casirivimab e do imdevimab.

A agência pede ainda o compartilhamento da tecnologia para permitir a fabricação de versões biossimilares.

Desafios

De acordo com a OMS, ainda há desafios de viabilidade ligados aos anticorpos, como na administração intravenosa.

A técnica exige clínicas especializadas e precisará de quantidades adequadas dos anticorpos, bem como equipe treinada para garantir o uso seguro e eficaz do remédio.

A OMS alerta que, para não aumentar a desigualdade na disponibilidade da terapia, sejam tratados preferencialmente pacientes que não estejam em casos graves e possuam maior risco de internação.

A indicação é válida para aqueles que estejam soronegativos, ou seja, não desenvolveram anticorpos contra a Covid-19. A OMS conclui dizendo que nesses casos, o tratamento foi mais eficaz.

    Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo