Sociedade

Casos de Covid-19 no mundo sobem 55%; OMS recomenda adaptação das vacinas

PARCERIA Téla Nón / Rádio ONU

Durante os dias 3 e 9 de janeiro foram reportados 15 milhões de novas infecções; alta aconteceu em todas as regiões, menos na África; especialistas da Organização Mundial da Saúde acreditam que imunizantes atuais precisarão de ajustes para continuarem sendo eficazes contra a Ómicron e futuras variantes.

Entre os dias 3 e 9 de janeiro foram reportados 15 milhões de novos casos de Covid-19 no mundo, uma alta de 55% em relação à semana anterior. Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, o total de mortes continuou similar, com 43 mil pacientes que perderam a vida.

Todas as regiões do mundo tiveram aumento da incidência na última semana, menos a África, onde o total de novos casos caiu 11%. O sudeste da Ásia foi a região com o maior aumento de casos positivos de Covid-19, com uma alta de 418%.

Vacinas evitam mortes  

OMS/Blink Media/Hannah Reyes

ONU afirma que esforços para acesso igualitário às vacinas são insuficientes

Na sequência estão Pacífico Ocidental, com aumento de 122% dos novos casos. O Leste do Mediterrâneo teve uma alta de 86%, as Américas com aumento de 78% e a Europa com 31% a mais de novas infecções.

Desde que a pandemia começou, em dezembro de 2019, já foram registradas 5,4 milhões de mortes entre mais de 304 milhões de casos de Covid-19. Nesta semana, a ONU News entrevistou a diretora-geral-adjunta de Medicamentos e Vacinação da OMS.

Mariângela Simão está em Genebra e explicou que a vacinação continua sendo a melhor arma para uma pessoa proteger a si mesma de sintomas graves da doença.

Adaptação contra a Ômicron 

“As vacinas que a gente tem disponível no mercado não são boas para evitar a transmissão, tanto que a gente está vendo um aumento no número de casos. A vacina, o objetivo principal dela, é evitar doença grave e morte. Este sempre foi o objetivo principal das vacinas e continua sendo, enquanto se trabalha com o desenvolvimento de outras vacinas que possam ter um perfil melhor em relação à transmissão da doença.”

Neste sentido, um grupo de especialistas da OMS alertou, na terça-feira, que as atuais vacinas precisam ser adaptadas para continuarem eficientes contra a Ômicron e variantes futuras.

A equipe de 18 profissionais está analisando evidências para decidir se recomendará uma mudança na composição das vacinas contra a Covid-19.

Os especialistas afirmam que é preciso desenvolver imunizantes que tenham um “alto impacto na prevenção da infecção e na transmissão, além de continuar evitando casos graves da doença e morte.”

1 Comment

1 Comment

  1. paulo canela

    14 de Janeiro de 2022 at 7:01

    coitados de todos tambem os negritos que aceitam tudo dos brancos sem questionar….

    3 horas atrás • editado

    Evidência de intenção prejudicial para Nuremberg 2:
    1) O vírus foi fabricado contrariamente à proibição da pesquisa de ganho de função de MERS e SARS. Divulgações de e-mail sob FOIA mostram Dr Fauci ansioso para empurrar uma história de ‘origem natural’ de caverna de morcegos, anulando cientistas independentes que encontraram uma misteriosa inserção de 12 bases no DNA de morcegos que não poderia ter ocorrido naturalmente e desacreditando professores de epidemiologia em Oxford, Harvard e Stanford, que defendiam uma resposta diferente ao Covid. O Dr. Fauci nunca contou a ninguém o que estava acontecendo no Instituto de Virologia de Wuhan e negou falsamente a autorização da pesquisa GoF.
    2) Os políticos exageraram grosseiramente ‘casos’ e ‘mortes’ usando testes de PCR falsos e incentivos financeiros para hospitais.
    3) Políticos causaram sofrimento e morte desnecessários negando Ivermectina e HCQ.
    4) Os políticos causaram sofrimento desnecessário ao fechar o poço, quando a resposta normal na epidemiologia é colocar os doentes em quarentena.
    5) Os políticos deram Autoridade de Uso de Emergência para ‘Vacinas’ e as consideraram ‘seguras e eficazes’ para dados demográficos que não foram testados em Ensaios, por exemplo, Idosos, aqueles com comorbidades, mães grávidas/amamentando, aqueles com imunidade natural etc.
    6) O Teste de Vacinas da Pfizer mostrou que mais pessoas morreram no Grupo de Vacinas do que no Grupo Placebo, quase metade delas por problemas cardiovasculares. Os dados confidenciais da Pfizer ao FDA mostraram nove páginas de potenciais efeitos adversos. Políticos e funcionários resistiram a uma ação legal da FOIA para divulgar esses dados e, em seguida, tentaram adiar sua publicação até 2096.
    7) A DARPA ocultou um relatório afirmando que ‘As proteínas spike induzem uma resposta imune hiperativa prejudicial… seu efeito nos receptores ACE2 exacerba a nocividade de acordo com a idade e comorbidade… de coronavírus (que) pode explicar a resposta de anticorpos incomum e potencialmente prejudicial entre os vacinados para novas variantes de COVID’.
    8) A DARPA também alertou que o programa de vacinação em massa corre o risco de espalhar novas variantes: ‘a campanha de vacinação em massa realmente realiza um ganho acelerado de função… em direção a uma forma humana-suscetível mais atenuada’.
    9) Os políticos censuraram ativamente informações críticas de suas políticas Covid, incluindo especialistas médicos e estudos médicos na literatura acadêmica. Os dados de Efeitos Adversos tornaram-se mais difíceis de obter e interpretar do CDC; Os dados europeus foram transferidos da Eudravigilance para a Agência Europeia de Medicamentos, e os dados do Reino Unido foram transferidos do NHS Public Health England para uma ‘Agência de Segurança da Saúde’ do Reino Unido.

    10) Políticos mentiram sobre ‘uma pandemia dos não vacinados’. Os dados mostram uma Pandemia dos Vacinados. Houve 70 milhões de casos relatados em 2020, que subiram para 270 milhões após os lançamentos de vacinas em 2021. Eles mentiram sobre as vacinas reduzirem a gravidade da infecção. Mais pessoas morreram desde os lançamentos de vacinas. Os dados mais recentes do Reino Unido mostram que 80% das mortes desde agosto passado são vacinadas.
    11) Os políticos estão realizando um experimento em suas populações. A FDA admitiu em chamadas de zoom que a única maneira de descobrir se as vacinas funcionam é autorizar seu uso em pessoas. Cientistas do Reino Unido e da Alemanha analisaram recentemente os dados do VAERS, revelando um ‘experimento dentro de um experimento’. Lotes/lotes de vacinas parecem ser diferentes, revelando diferentes taxas de morte e efeitos adversos, levando à especulação de que a Big Pharma está testando diferentes dosagens e ingredientes em pessoas e rastreando seus efeitos por meio de números de lotes/lotes.
    12) Os políticos estão ignorando descaradamente as regras internacionais de Nuremberg e Helsinki que proíbem a experimentação humana, bem como os direitos constitucionais domésticos.
    13) Os políticos carecem de dados para suas políticas de Covid. Os Testes de Vacinas foram falhos. Os dados do hospital são questionados por professores de medicina, e os políticos estão recomendando reforços sem nenhum teste. Isso agora foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde e pela Agência Europeia de Medicamentos, alertando contra novos reforços.
    14) Os políticos estão explorando a crise pandêmica para mudança de regime político e financeiro, não para proteger a saúde pública. Eles o usaram para imprimir milhões de cédulas Covid Mail-In e trilhões em títulos pandêmicos, e querem que os direitos civis de todos dependam dos passaportes Covid, embora o status de vacinação não tenha relevância para a transmissão de doenças e nunca tenha sido testado nos ensaios de vacinas .
    15) 4 grupos separados examinaram o conteúdo das vacinas, relatando ‘impurezas surpreendentes’, incluindo pedaços de metal, vermes e fibras que não têm propósito legítimo em Vacinologia.

    16) Políticos e funcionários usaram uma métrica obsoleta, ‘Redução de Risco Relativo’ para reivindicar uma Taxa de Eficácia de 95%, quando seus próprios regulamentos exigem o uso de ‘Redução de Risco Absoluto’, que em seus dados de teste falhos e manipulados mostraram apenas menos de 1% Redução de Risco, ignorando Efeitos Adversos, Minguante e Mutante

    17) A imunidade natural tem sido repetidamente demonstrada em estudos médicos como a melhor e mais estável proteção, mas os políticos a ignoram. O caso contra Djokovic na Austrália mostra que os políticos que buscam mandatos de vacinas não gostam de pessoas em forma e saudáveis com imunidade natural.
    18) Em vez de se envolver com um grande número de profissionais de saúde que argumentam educada e racionalmente por uma abordagem diferente, os políticos menosprezam as pessoas com abuso e policiamento pesado, chamando seus críticos de ‘racistas’, ‘misóginos’ e ameaçando ‘fazer xixi neles ‘.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top