Sociedade

Conclusão do estudo sobre os vectores da dengue em STP

São Tomé 04 Jul 2022 – O Ministério da Saúde com o apoio da Organização Mundial da Saúde concluiu esta semana o estudo entomológico de transmissão da dengue no país.

A investigação foi dirigida por um consultor da Organização Mundial da Saúde, que durante um mês percorreu diversas localidades do arquipélago à procura de criadores de mosquitos transmissores da dengue.

O Dr. Basile Kamgang mais os técnicos nacionais puderam estabelecer a distribuição dos criadores dos mosquitos Aedes e de espécies potencialmente envolvidos na epidemia da dengue em São Tomé e Príncipe assim como estimaram os índices de risco entomológico.

O estudo teve também como objectivo definir a melhor estratégia para conter o surto da dengue no país e reforçar a capacitação dos entomologistas locais em vectores desta nova doença diagnosticada em meados de abril.

O resultado da pesquisa foi apresentado Sexta-feira à ministra da saúde, Dra Filomena Monteiro d’Alva, numa cerimonia que contou com presença da Representante Interina da OMS, Dra Françoise Bigirimana.
O estudo permitiu fazer o levantamento em 26 localidades de todos os distritos de São Tomé e a região autónoma do Príncipe, e confirmou a existência de dois tipos de mosquitos transmissores da dengue no país: aedes aegypti e o aedes albopictus. De acordo com as pesquisas, existe um alto risco de transmissão da dengue no país por causa do alto nível de prevalência de mosquitos transmissores da doença e de índices de risco entomológicos calculados.

O especialista da OMS recomendou por isso a tomada de medidas preventivas, nomeadamente da necessidade de manter sempre fechados os recipientes de armazenamento de água, a lavagem semanal dos bebedouros dos animais, e troca constante da água dos vazos de flores, e a colocação de recepientes ou objectivos susceptiveis de acumular água ao abrigo da chuva.

A ministra da saúde que acompanhou o estudo tanto no terreno como a apresentação final dos resultados, disse que a sua conclusão vai permitir ao governo delinear de forma objectiva assim como identificar um conjunto de acções de resposta a epidemia da dengue no país. Dra Filomena Monteiro d’Alva realçou que esta luta exige o engajamento de todos.

A Representante da OMS por sua vez, saudou o interesse da parte santomense em busca o apoio da organização para responder a mais um problema de saúde pública e reafirmou a continuação dos esforços para combater a doença no arquipélago. Dra Françoise Bigirimana propôs a realização de uma reunião com todas as partes interessadas numa perspectiva multisectorial para um melhor compromisso na implementação de acções propostas nesta luta contra a dengue com base nos resultados ora obtidos.

O estudo entomológico dos vectores da dengue em São Tomé e Príncipe foi realizado durante um mês e permitiu ao mesmo tempo a formação de 35 entomologistas nacionais que doravante passam a integrar no seu trabalho acções e medidas de combate a dengue.

Tratou-se de um primeiro estudo de avaliação sobre os vectores e níveis de transmissão no país, a Organização Mundial da Saúde, já reiterou o seu compromisso de continuar a apoiar o Governo de São Tomé e Príncipe para o reforço dos sistemas de saúde, na resposta às situações de emergência sanitária para o bem-estar dos santomenses.

Fonte OMS em São Tomé e Príncipe

Veja o comunicado em formato Word –

1 Comment

1 Comment

  1. VAI TU

    5 de Julho de 2022 at 16:09

    Quais as medidas que o Ministério da Saúde vai tomar?
    As medidas, de evitar águas estagnada já era recomendada para o Anepholis.
    Este parece que essa medida não é suficiente.
    Porque não atacam os pontos conhecidos com medidas mais drásticas, incluindo a pulverização de charcos e casas.
    Isto é péssimo para o Turismo

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top