Opinião

Dita a DOR do Povo ou Ditador em São Tomé e Príncipe?[1]

Um país democrático e pluralista, desde 1989. Em Outubro de 2014 um novo cenário começava a alterar o status quo do nosso país, São Tomé e Príncipe encontra-se numa derradeira situação: destruir para sempre possibilidade de ditatura.

Um partido que não revê e não espelha a sociedade, a cultura e os costumes no meu povo, e liderado por um cidadão de origem gabonesa, assume o timoneiro destino destes menos de 190 mil habitantes. 

Dito a DOR do Povo

Vive-se com medo. O destino futuro está cada vez mais incerto e negro. Vemos uma campanha de propaganda desonesta a ridícula porque copiada de modelos americanos ou europeus. Nós, os pretos do nosso país, não vivemos na sua fazenda ou Rancho no Texas.

Nestas ultimas semanas, tenho acompanhado, observando, o inicio da campanha e a Honestidade das estratégias. Compram-se rapazes motoqueiros e saídos de liceu que se concentram à porta da sede da ADI. Vale tudo, até comprar a alma do eleitor, instalando a maior vergonha na credibilidade. Se é tudo tão bom, a saúde maravilhosa (apesar de morrerem pessoas como a doce Anabela das Dores, que acompanhei de perto), ninjas à porta do Hospital, clima de na cidade, onda de “limpeza” de base de eleitores, aconteceu comigo: recenseei-me e não poderei votar. Sou uma branca descendente de Negros. Sou desta terra. Tenho mais direito a ela que pessoas nascidas noutras terras. “branca vai para a tua terra” é o que ouço dos jovens que seguem para o caminho da sede da ADI. Faltam ao respeito as senhoras que passam na rua. A educação está fantástica! Mas envergonho-me com a triste “inauguração e apresentação” de um barco de fibras velho de pobre, pelo Senhor Daio, com a pasta da educação: Não seria mais inteligente levar uma professora para o ilhéu? Ou opta ele pela insegurança das crianças colocando em risco a vida delas? Ele faz isso aos seus filhos? E o Senhor Patrice? Que tem os filhos na Escola Americana (a mais cara de todas em Portugal) porque não os faz atravessar a linha do Equador até Ponta baleia? À chuva? Com capas de plástico?  E as estradas? Vergonhosas? E o mercado novo? Sem condições de higiene e uma ameaça à Saúde Pública? Qualquer dia cai em cima dos vendedores. E o mercado velho? Um foco de doenças.

Fui a autora do estudo que mediu os consumos e prepôs estratégias à Ministra da Saúde e ao seu Primo Patrice. Foram ignoradas. Não vale a pena enganar o meu Povo, sim! O meu povo. Há quem lhe chame de burro, “bebedadú”, mas não é estúpido.

Um Primeiro Ministro que chama desrespeitosamente Bêbedo ao seu Povo: às Palaês mulheres que trabalham de sol a sol para sustentar os seus filhos que ele abandona e entrega a valores incríveis de matrícula. Em Me Zoxi o povo gritou pux Uã, dôsu, tlêxi… e o Povo grita: Nhê pê! Outros de outro lado gritam É sa mansé bluku! (O homem é mau, Hein!)

‘’homé ku limpá Mé-Zoxi, pa inen bi suzá’’ Alguém limpou Mé Zoxi e cuidou para eles estragarem.

A Ministra da Justiça continua a olhar para uma doença, assim reconhecida pela OMS, como crime. Enquanto isso, o consumo aumenta e o crime também. Medidas? Zero? O IDT é uma sala de cabeleireiro onde se bebe chá e se fazem estágios “co-Ordenados por alguém sem conhecimento algum tanto em prevenção como tratamento. Bebe chá, come bolachas e chama assessores para fazer chá e servir aos convidados. Vergonha! Muda de MLSTP  para ADI e agora veremos para quem irá mudar. Cá estarei à sua espera.

Ditador em São Tomé e Príncipe

Kida lê ô. Reza a história Pundá si mukluklu fé xíntxi matá sun dê, êlê soku ka potó ni son plumêlu. Lêdê ku tê pínsu soku ka subli ôkê sedu. MLSTP sa dê mó ngumbá: xtleson ka da son tã, ê ka da uê. Xtleson dá son zá, ô.

O povo pode não receber (ou receber… Deçú Pagá!! o teu dinheiro, mas não contes com o voto). A boca da Urna será controlada. E não deixaremos que controles as mesas de voto. Nem que compres os representantes dos partidos. Não aceitaremos fraude. Os jogos de cintura que te falta, chegaram ao fim. Os jovens (mais jovens que tu) estão a segurar as rédeas do nosso País.

Medidas? Barco Gabonês ao largo das nossas águas. Vergonhosamente e preparar uma ameaça intimidatória ao meu Povo. Até quando meu caro Patrice? Não acha que já chega de desrespeito. Os candidatos debatem as suas políticas e ele ausenta-se para a terra de ATT seu sogro. Mais Ninjas para ir à Guiné Equatorial treinar? Indica-se no plenário a votação e não se anexa o convite do Governo ou do Presidente Obiang? Afinal quem é o Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas?

  1. Estão todos desconfiados – comunidade santomense e internacional. Que credibilidade tem um Governo à beira de colapso, com o desrespeito da justiça e o Tribunal Constitucional violado, os passaportes alterados para controles biométricos – sem razão de anulação dos anteriores – na gestão de todo processo eleitoral até o anúncio do resultado definitivo das eleições. À mulher de César não basta ser, é preciso parecer. Não  acreditamos na tua Demo_Cracia, balofa e dita, dura. Acabou. Vamos votar. O Povo, em diferentes reuniões, que tenho acompanhado, fala de todas as possíveis fraudes que que esperam do lado desse partido:
  2. Troca de boletins de voto,
  3. Leitura (fingida) do nome do eleitor na lista informando o eleitor que ele tem que ir a outra mesa. Quando a pessoa eleitor se desloca volta a ser informado do mesmo. Pretendem que a pessoa – convicta – desista
  4. Colocação das boxes ou separador de votação longe da mesa de modo a não se controlar
  5. Compra de plasmas e entrega aos militantes EM DÚVIDA
  6. Impedimento de saída até menos de 500 metros de modo a substituir pessoas da mesa
  7. O Barco do País onde nasceste para invasão da nossa terra.

e que estão todos de olhos postos, não te diremos como

Acredita. Não queremos que continues a chamar  “bebedadú” ao povo, mas que permites que os seus jovens para que não pensem, sempre que lhes dás álcool. Porque essa é a verdadeira arma contra as ditaduras. A LUCIDEZ, contra o que tens feito: manter o povo ILÚCIDO. Com indicadores que são utópicos. Acabou. Bé bô Sungê. Uã, dôsu, tlêxi… e o Povo grita: ‘’Nhê pê!’’

[1] Isabel de Santiago diretora do N’Dependenxa e  Profª convidada em Comunicação em Saúde, I Medicina Preventiva e Saúde Pública, Faculdade Medicina ULisboa.

    8 comentários

8 comentários

  1. Seabra

    3 de Outubro de 2018 as 13:26

    Um dos maiores VAGABUNDO que existiu em STP até hoje é da tribu Trovoada, que nada tem (sabedoria, carisma, integridade, respeito, boa vontade, amor…) ,para dar em STP. A família TROVOADA (já tinha dito isso outrora),volto lembrar, regressaram para STP em outubro de 1990, com 3 objectivos :
    – de se vingar do Manuel Pinto da Costa +MLSTP( ajusto de contas devido a tentativa do golpe de Estado contra o Pinto da Costa ,preparado pelo Miguel Trovoada e que falhou.
    – Recuperar o PODER, e enriquecer depressa (à partir de abuso do poder), desviando dinheiro e bens do ESTADO SÃOTOMENSE.
    – Fama, Celebridade e ambição DESMEDIDA do Poder.
    Esta família (pai,mãe e filho),não têm nenhum amor e tão pouco respeito para o país STP e para o seu povo .
    BASTA!

  2. José fernandes

    4 de Outubro de 2018 as 12:18

    Pobre São Tomé Boas recordações um país lindo com pessoas a destruir tudo sou português minha mulher é santomense tenho pena daquele povo está a sofrer com políticos que só querem tacho e nada se preocupa o país viva SãoTomé e príncipe um abraço para o povo de São Tomé José Manuel guimaraes

  3. JOAO CARLOS

    4 de Outubro de 2018 as 17:48

    A justiça tarda mas chegará… S. Tomé e Principe acredito !

  4. MMJUB

    4 de Outubro de 2018 as 18:57

    nao conheço quem escreve assim ,mas a sua escrita transmite muita raiva cega e ate instigadora de violência sem controlo , como se nao tivesse oportunidade de chegar a algum lado DE MODO DIFERENTE

    em democracia nao se fala assim e muito menos sendo titular de tantos títulos académicos .para quem é sao tomense deve conhecer pouco o seu pais ,ou entao por onde andava porque há 10- 20 anos ou trinta o pais era e continua a ser na mesma ,sem trabalho ,sem educação , crianças a correr atraz de doce doce .o que fez entao para mudar ? acomodou-se as festas ou quando é o partido de simpatia o feio e horrível transforma-se em bom e bonito sem qualquer critica a fazer?. Um pais nao se constrói em meses ou meia dúzia de anos e é construído por todos e todas as faççoes politicas , principalmente aonde há muito para fazer, como diz sao só 190 000 mil habitantes.

    aonde estava quando desalojaram os trabalhadores da roça izé do principe com abate de árvores que fazem parte do património da humanidade e da biosfera para construção de que !´
    dizendo que iriam todos aprender ingles quando nem português se fala ou fizeram alguma coisa para ensinar, porque se mantém como governador durante 30 anos o mesmo , nao haverá melhor ou é por que?

    em relação ao alcoolismo a verdade é que portugal tem muito maior indicie de taxa de alcoolismo que sao tome , ou o estudo feito nos países de língua portuguesa nao é idóneo !, o que fez para o erradicar ,o mesmo que propunha ser feito em s tome filhos acusarem os pais e (extorquir) os filhos aos pais , nao respeitar as instituições do pais ? e respeitar as famílias ? . É VERDADE QUE O ALCOOLISMO DESTRÓI FAMÍLIAS , MAS FALAR COMO SE FOSSE UMA SITUAÇÃO NOVA DE HA 4 ANOS É ESTRANHO e nao propor recuperaçao e integração é estranho

    A função dos educadores e conhecedores do saber só é valida quando serve um bem comum o desenvolvimento das pessoas e por conseguinte dos povos , tem alguns exemplos em África -NELSON MANDELA O MAIS CONHECIDO PORQUE REALMENTE FOI E É – UM HUMANISTA , UM EDUCADOR , UM SENHOR DA HUMILDADE SEM SER ESCRAVO DA IGNORÂNCIA E AMBIÇÃO DO PODER.

    A LUTA PELA DEMOCRACIA FAZ- SE PELO DIALOGO HONESTO ,PELA APRESENTAÇÃO DE ALTERNATIVAS VIÁVEIS ,PELA PARTICIPAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DO PAIS, CRIAÇÃO DE VALORES É UMA OBRIGAÇÃO EM PAÍSES PEQUENOS ,QUASE QUE DIRIA UMA MISSAO

    NAO ESTIMULAR A RAIVA E VIOLÊNCIA MAS UMA SÁBIA CONVIVÊNCIA ENTRE A DIFERENÇA PARA QUE DITADURAS ,XENOFOBIA ,PREPOTÊNCIA , NEPOTISMO ,INSTABILIDADE SOCIAL NAO OCUPEM LUGAR, NEM ENCHAM PAGINAS DE COMENTÁRIOS COM MÁ ESCRITA

    UM PAIS JOVEM COM POPULAÇÃO TAO JOVEM ,QUE SERIA UMA MAIS VALIA EM QUALQUER PAIS EUROPEU ,MAS TAMBÉM É UM GRANDE DESAFIO .

    É VERDADE QUE DEPENDE DA MAIS VALIA QUE LHE QUISEREM DAR .EU FALO DAQUELA QUE PERMITA TODOS ESTAREM BEM- MERECE TER BONS –
    EDUCADORES, OPOSITORES ,UMA SOCIEDADE CIVIL E POLITICA EDUCADA , TRABALHADORA ,OBREIRA DE VALORES MATERIAIS E MORAIS.

    É PEDIR MUITO? É IR MUITO ALÉM ? QUEM TEM RESPONSABILIDADE MAIOR QUE COMECE JÁ

  5. Carlos Santos

    4 de Outubro de 2018 as 20:33

    Regressei de São Tomé ha 4 dias e ainda que em estado choque acabo de ler este maravilhoso artigo.
    Por acidente almocei com o PM na Roça São João dos Angoloraes e pela festividade a que assisti é quase dado como certo mais 4 anos de mandato a este artista.
    Como Português sinto-me uma enorme tristeza São Tomé ser governado por este triste que a poucos dias das eleições anda numa roda vida em inaugurações diárias para mostrar obra feita.
    Pagar para votarem nele???

    Por favor abram os olhos Saotomensses vocês merecem muito mais que isto.

    Paz!!!

  6. jójó

    5 de Outubro de 2018 as 8:20

    Conforme reza a história, a Batalha dos 7 como figurado no acto do Florípes (Eleições do dia 7/10/2018), Os Mouros (ADI) serão derrotados pelos Cristãos (Povo Santomense) com a ajuda do nosso senhor Jesus Cristo, através das orações dirigidas à Deus todo poderoso (São Tomé e Santo António). Esta história se repetirá na República Democrática de S. Tomé e Príncipe com o voto contra a Ditadura de Patrice Trovoada-ADI (Almirante Balão), cujo seu Deus é Mafóma Barba, que adora o Diabo.

  7. Paulo Mota

    8 de Outubro de 2018 as 12:48

    Obrigado pelo seu artigo. Será que poderei investir agora em S. Tomé livremente depois das eleições com o novo governo?

  8. Nanana

    8 de Outubro de 2018 as 23:01

    Obrigada Isabel pela divulgação de pormenores que nós cá fora desconhecemos. Obrigada por ajudar a informar.
    Falta numerar que por várias vezes fui a STP para fazer um cartão de eleitor e nunca consegui. Tive sempre impedimentos. Nem ao renovar o BI e o Passaporte, consegui formular uma coisa tão básica e de direito, como ter um número de Eleitor e poder Votar. Não consigo perceber como posso pedir um Passaporte cá fora na Embaixada de STP, mas não consigo que me atribuam um Número de Eleitor. Eu Cidadã Nascida e criada em STP!
    – A machadada final foi a amputação do direito de Voto aos Santomenses legítimos na diáspora. Porque será?
    Nós que enviamos balurdios de remessas para o País, para que os nossos que lá ficaram não pereçam com a miséria de salário dado de sobra à quem não é do ADI.
    Nós que contribuimos com o Suor do Nosso trabalho para dinamizar a pouca economia que aquele País tem.
    Seita do ADI e seus seguidores, não brinquem com os Nossos Deuses e Santos da Terra. Ninguém o fez e ficou impune!
    Há uma canção muito antiga, que em tóm saudosista diz assim: “Kuá ku quiê áuá só ku plêdê, Ku çá líbá, çá dê guadaduê. Mina ê pô tê ánú. Ólá. Ólá, uê ku uê ká Bê.
    Eu quero com esta estrofe dizer, que a justiça divina até poderá tardar, mas Não falhará e será olhos nos olhos!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo