Opinião

A Ignorância é Atrevida, já dizia a Minha Avó, Maria Preta, e com ela vem a Arrogância e Soberba

Soube, hoje, que o Governo Regional da Ilha do príncipe, solicitou ao governo central, tendo em conta a evolução da pandemia do COVID-19, um pouco por toda a parte, bem como as recomendações da OMS, que os voos entre as duas ilhas, sobretudo de transporte de passageiros, deveriam ser suspensos, por um período de 15 dias, para que, internamente, no contexto regional, estivessem reunidas as condições para se fazer um diagnóstico da realidade prevalecente, momentaneamente, neste âmbito, e, posteriormente, criar condições mínimas favoráveis à prevenção da disseminação da referida pandemia.

O que é que condicionou a decisão do governo regional, momentaneamente, neste âmbito?

Na sexta-feira passada, segundo me dizem, chegou ao Príncipe um grupo de turistas, relativamente grande, oriundos de S.Tomé, que lá tinham entrado sem qualquer controlo sanitário no aeroporto nacional, nem tão pouco realizaram qualquer ato preventivo de isolamento, voluntário ou obrigatório, antes de se deslocaram para o Príncipe. Tendo ficado em S.Tomé, somente um par de dias, deslocaram-se para o Príncipe para o seu período de férias.

A pergunta pertinente que qualquer pessoa, minimamente inteligente poderá fazer é a seguinte: como é possível que um governo central, com ministros vestidos à prova de bala, decorrente da nossa suposta estratégia nacional de combate à pandemia do COVID-19, aparentemente mostrando zelo e sentido patriótico, aparecem no aeroporto nacional de S.Tomé, para receber os viajantes que chegaram de um voo proveniente de Portugal, para os transferir, posteriormente, para um hotel da cidade capital, para lá ficarem em quarentena, possa, em total incoerência com tal decisão, permitir que turistas de países estrangeiros, alguns dos quais provenientes de zonas onde a pandemia está a ter efeitos catastróficos neste momento, cheguem ao Príncipe, oriundos de S.Tomé, sem qualquer controlo sanitário ou preventivo, a montante, neste âmbito?

É este o controlo preventivo da pandemia, que o governo central pretende fazer, em todo o território nacional? Ou pretendem, como aliás o MLSTP sempre fez, que a manifestação da pandemia se restringe ao Príncipe?

Só posso descortinar, nesta atuação governativa, a manifestação de ignorância ou, em alternativa, deslumbramento decorrente da manifestação de pequenos poderes, má-fé, ou, ainda, a junção das três coisas. De todo o modo é um ato extremamente prejudicial aos interesses nacionais.

S.Tomé e Príncipe não é, de todo, um país onde existe um governo, por isso, finge-se que se governa, com estes pequenos gestos inconsequentes e tendencialmente nefastos aos interesses nacionais.

Como cidadão nacional e natural da ilha do Príncipe fico preocupadíssimo com esta atuação do governo central.

É óbvio que governo e outros órgãos da Administração Regional do Príncipe, perante esta incoerência e, sobretudo, irresponsabilidade, tinham de criar condições que permitisse acautelar a defesa dos interesses da comunidade regional, sobretudo neste âmbito que é a saúde comunitária. É para isso que o povo lhes conferiu um mandato popular.

E o quê que fizeram? Sugeriram ao governo central que, tendo em conta a realidade prevalecente, até então, de chegada de turistas ao Príncipe nestas condições, seria desejável que os voos de transporte de passageiros entre as duas ilhas fossem suspensos por um período de 15 dias, até que se refletisse, internamente, sobre a forma de minimizar os constrangimentos decorrentes de tal propósito e, eventualmente, criassem condições dignas de realização de medidas relacionadas com a prevenção da referida pandemia, no que se concerne, por exemplo, ao isolamento de turistas ou outras pessoas que cheguem à ilha.

Isto é razoável, é sensato e, é, sobretudo, uma atitude responsável de quem tem de tomar decisões políticas em nome daqueles que representa. Aliás, é o presidente da OMS, o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus, que diz que a “Africa tem de acordar, o meu continente tem de acordar”, sugerindo, posteriormente, de acordo com todas as medidas aconselháveis neste âmbito, que o foco deve estar colocado, sobretudo, na prevenção e na informação à população sobre quais as melhores formas de prevenir o vírus.

Admito que governo central tenha as suas reservas sobre o “poder de destruição” desta pandemia e, até, negligencie, voluntária ou involuntariamente, a defesa da saúde comunitária, nacional e regional, por incúria ou irresponsabilidade. Mas, por favor, se não querem ou não podem fazer não criem condições ou obriguem os outros atores ou protagonistas políticos a terem a vossa complacência perante esta pandemia somando ignorância à manifestação de arrogância e soberba perante um eventual caso tão grave de saúde pública.

E é exatamente isto que o governo central fez! Achou extemporânea a sugestão do governo regional e até desvalorizou-a.

A partir de agora, tanto no Príncipe como no contexto nacional, ficamos todos a saber que a eventual entrada do agente patogénico da referida pandemia, no Príncipe, e consequente disseminação da infeção no contexto regional é da exclusiva responsabilidade do governo central. Há limites para a irresponsabilidade, para a ignorância, para a soberba e arrogância, sobretudo quando está em causa a saúde publica das comunidades.

E tudo isto torna-se incompreensível, ainda, porque o chefe de Estado, senhor presidente Evaristo de Carvalho, decretou o estado de emergência em saúde, em todo o território nacional, exatamente por causa do surto do coronavírus, aparentemente com a “necessidade do emprego urgente de medidas de prevenção, controlo e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública”.

Como é que se pode falar em prevenção se os turistas e outras pessoas, oriundas de S.Tomé, chegam ao Príncipe, sem qualquer controlo, a montante e a jusante, e não se sabe se, eventualmente, serão portadoras do referido agente patogénico, tendo em conta a característica do mesmo, e, sobretudo, tendo em conta a nossa complexidade fisiográfica decorrente de uma configuração arquipelágica do país?

A configuração insular do Príncipe deveria aconselhar, no nosso contexto arquipelágico nacional, por mais que os atuais membros do governo central manifestem ignorância neste âmbito, maior prudência e articulação intergovernamental, a utilização de instrumentos de intervenção decorrentes da realização e implementação de um verdadeiro plano de contingência, nacional e regional, que permitisse a execução de medidas preparatórias (antes da eventual manifestação da referida pandemia) e reativas (a executar eventualmente em função da evolução da referida pandemia).

A entrada de um grupo de turistas no Príncipe, relativamente grande, na sexta-feira passada, oriundos de S.Tomé, que lá tinham entrado sem qualquer controlo sanitário no aeroporto nacional, nem tão pouco realizaram qualquer ato preventivo de isolamento, voluntário ou obrigatório, antes de se deslocaram para o Príncipe, é um ato que indicia que não existe qualquer articulação nem plano de contingência, nacional e regional, como resposta para deteção de qualquer situação de alerta pandémico e que o governo central está absolutamente convencido que consegue, aqui e acolá, sozinho e desprezando a intervenção de todas as outras instituições do país, com ministros com vestimenta à prova de bala, no aeroporto nacional, detetar e controlar a manifestação de algum foco pandémico no país. Estamos no bom caminho!

A ignorância é tanta que esta gente esquece que medidas de prevenção e controlo devem ser realizadas, a par de outras medidas, como instrumento para retardar o aparecimento do vírus e, uma vez presente noutras latitudes quaisquer, atrasar a sua entrada no nosso país. Ora, o vírus só pode entrar no país, com uma configuração arquipelágica como a nossa, através da ilha de S.Tomé ou da ilha do Príncipe, tendo em conta que são as únicas duas regiões com ligação aeroportuária ao exterior. E não se esqueçam que o Príncipe, ultimamente, tem recebido voos internacionais que não passam necessariamente por S.Tomé.

Ora, se as pessoas que chegam ao aeroporto nacional são obrigatoriamente submetidas, aparentemente, a um processo de isolamento obrigatório, como é que se compreende que o mesmo governo, que faça e deseje isto, promova a chegada ao Príncipe de turistas que não passaram por este processo em S.Tomé nem quer que os responsáveis governamentais do Príncipe criem condições para o fazer?

Só a arrogância e soberba, para além da ignorância, podem contribuir para isso. E o pior é que existe uma claque de avençados desta estirpe de políticos nacionais, nas redes sociais, sempre pronta para manifestação e validação desta ignorância, que, até, chegam ao ponto, de aproveitamento desta situação insólita, para manifestarem a sua discordância, em tom de agressividade inusual, com a institucionalização e desenvolvimento da Autonomia da Região do Príncipe, num exercício de manifestação verborreica de disparates sem qualquer sentido, coadunável com o exercício governamental momentâneo.

Gozando estas pessoas de cobertura governamental e, até, de incentivos políticos e governamentais para fazerem este papel de autênticos guerrilheiros nas redes sociais contra todo o tipo de manifestação de discordância relativamente ao escrutínio das políticas publicas que o atual governo está a tomar, em várias áreas, é óbvio que estará instalado no país, nos próximos tempos, um clima de hostilidade e agressividade, com consequências devastadoras, decorrente das fragilidades socioeconómicas prevalecentes no país, com foco instrumental ou génese no governo da república.

Não é por acaso, por isso, que o governo enxovalha uma pessoa da dimensão profissional e intelectual da antiga ministra dos negócios estrangeiros, Maria da Graça Amorim, chamando-a todos os nomes possíveis e imaginários, só pelo facto desta ter escrito e publicado um artigo crítico no jornal Tela Non contra a política diplomática do atual governo, nem tão pouco é por acaso que um deputado do MLSTP mata, com dois tiros, um cidadão nacional, em plena cidade de S.Tomé, que simplesmente reclamava ao referido deputado o pagamento de uma suposta dívida.

Tudo isso decorre, também, objetiva ou subjetivamente, do clima de impunidade, ignorância, soberba e arrogância que o próprio governo promove, voluntária ou involuntariamente.

A raiva e ódio, agora, pela mão dos supostos guerrilheiros governamentais, nas redes sociais, apontaram a bateria para a Autonomia Regional do Príncipe, que estão dispostos a tratá-la, num exercício de manifestação grotesca de ignorância e imbecilidades, como um empecilho ao desenvolvimento do país, com recurso ao anacronismo que tipifica o de pior que aconteceu na primeira república, onde também reinava esta mesma ignorância, arrogância e soberba.

Tal propósito vai ao ponto de um destes supostos guerrilheiros pró-governamentais, das redes sociais, segundo me dizem, ter declarado, num tom de inusual e incontida agressividade (Freud explicará isto melhor do que eu) que «… o Príncipe não tem que sugerir ou solicitar nada a S.Tomé…», como, aliás, se fazia na primeira república, coisa que, por sinal, nem no regime colonial acontecia.

Temo muito pelo caminho que este governo decidiu trilhar e como tenho escrito em artigos anteriores, alguns dos nossos piores problemas, neste momento, estão relacionados com a falta de autoridade do primeiro-ministro, desde o início da legislatura, que tem criado condições, objetivas ou subjetivas, para manifestação destes pequenos poderes que, invariavelmente, por ignorância, algumas vezes, promovem a manifestação do ódio, da arrogância, da soberba e, até, de mortes no país. Não era disto que o país precisava neste momento!

Como dizia a minha querida avó, Maria Preta, a ignorância é atrevida, e com ela, caminha, lado a lado, a arrogância e soberba!

Adelino Cardoso Cassandra

    41 comentários

41 comentários

  1. Da cabeça conselho

    25 de Março de 2020 as 14:49

    Adelino CASSANDRA vai dar volta não se esqueça de ver se chuva cai. Príncipe não é propriedade da vossa família. Há neste país o maior arrogante do que teu irmão? Muito governo Central, o país chama se STP.

    • Seabra

      26 de Março de 2020 as 3:13

      É verdade Cabeça de Conselho, este individuo é um descarado, sem vergonha, um oportunista. O Adelino Cassandra, o Tódio Zé Cassandra, ambos eram sócios do Patrice Trovoada, militantes de ADI.Fizeram da îlha do Príncipe, a roça da família Cassandra (durante os vários governos sucessivos) , fazem e desfazem segundo os seus interesses pessoais. Espero que tirem, brevemente, o Tó Zé , como o governador da ílha do Príncipe.
      O Senhor Adelino, que tenha um pouco mais de seriedade para ser CREDÍVEL. Os artigos dele são tendenciosos…ele é um individuo sem moral e quer dar aos outros. Por esmola, stop!

  2. Gananciosos

    25 de Março de 2020 as 14:52

    O Governo Central decidiu recusar o pedido do Príncipe apenas por capricho mas vão pagar se houver algum dano para população do Príncipe. O pedido era para suspender temporário 15 dias e podia entrar alimento e combustível. Qual é o mal? MLSTP só maus. Deus ajuda nós

    • marlene

      26 de Março de 2020 as 15:01

      O governo central é quem paga as contas do príncipe. quem desconta em Stp é quem paga as contas do príncipe. Cansada dos que lá estão viverem a apregoar-se como se fossem melhores mas a verdade é que pouco ou nada fazem, eternamente a espera que os santomenses paguem. Quando lhes convém S.Tomé é mt mau, quando precisam de algo, aqui del rei governo central e irmãos da ilha de S.Tomé.Sou a favor de um referendo para o príncipe ser independente. O governo deveria fechar a ilha de stp p/ o príncipe. então era ver a classe empresarial do príncipe a fazer importações de bens de 1ª necessidade, combustível e afins. mandar regressar a s.tomé todos os médicos da ilha de s.tomé e deixar lá os do Príncipe. queria vez só as bocas onde iam.

  3. Credo credo

    25 de Março de 2020 as 14:54

    Sr. Adelino essa gente do MLSTP quando é para atingir o Príncipe ficam alucinados. Deus um dia fará a sua justiça

  4. Gita

    25 de Março de 2020 as 14:55

    Esse Adelino não sabe o tão mal que o teu irmão tem feito as pessoas cá no Príncipe. Vai a m…e…r…

  5. Credo credo

    25 de Março de 2020 as 14:56

    Sr. Adelino essa gente do MLSTP quando é para atingir o Príncipe ficam alucinados. Deus um dia fará a sua justiça

  6. Nao acredito

    25 de Março de 2020 as 14:58

    Onde já se viu? Deviam aceitar porque todo o cuidado é pouco. Esses governantes não tem massa cinzenta?

  7. Assim nao

    25 de Março de 2020 as 15:04

    Não surpreende. Com o Governo MLSTP a população do Príncipe só conhece o sofrimento. 2019 não foi 1 dobra para investimento, salário no 45° dia, ainda quando tem uma catástrofe não dão 1 dobra e quando vem esta doença eles não aceita cancelar voo 15 dias. Assim é melhor dar independência para eles do Príncipe. São nossos irmãos também

    • Seabra

      26 de Março de 2020 as 3:17

      Assim Não , identifique…sai deste corpo Cassandra.

  8. Ana Graça

    25 de Março de 2020 as 15:15

    O Cassandrinha… Há coisa mais arrogante do que esse teu texto?

    Vai catar coquinho. O Pais é um só. Principe é Região Autonoma, não é Pais indepdenente.

    Ganha juizo pa.

  9. Inguinorante

    25 de Março de 2020 as 15:20

    Ca potó. E Tó Zé ainda quer ser prisidente de San Tome e Prinspe?

  10. mezedo

    25 de Março de 2020 as 15:24

    Devias mas é ver que Príncipe é território nacional e qualquer que seja a situação de São Tomé envolve o Príncipe.
    A ignorância e arrogância vive nos do Príncipe que acham livres de Santomense.

  11. Também lutei para a mudança

    25 de Março de 2020 as 16:09

    Eu só posso concordar consigo. Este governo parece que está mais interessado em mostrar que está a fazer as coisas do que realmente aproveitar esta oportunidade para transformar o país. Toda a gente viu que no aeroporto que este ministro das obras públicas e infraestruturas só estava a exibir. Comentei isso com pessoas que estavam comigo no trajeto de automóvel para a cidade. Todos os dias eu só vejo gestos e atitudes de certos ministros que demonstram incompetência e ligeireza. Nã tenho nada contra o governo mas já esta a passar a ideia junto do povo que assim não vamos a lado nenhum. O governo está a funcionar cada um a fazer a sua coisa. Não existe organização firme nem coerência na acção do governo. Cada ministro dorma e acorda e decidi no dia seguinte fazer o que lhe apetece. Não era isso que eu esperava. Depois estão a ficar agressivos e malcriados e só querem exibir.

  12. Rodrigo Cassandra

    25 de Março de 2020 as 16:18

    Meu caro é esta a situação que chegamos um dia só Deus nos pode dar razão no que fazemos no que dizemos no que escrevemos ,, este é meu teu e nosso país São Tomé e Príncipe,, hoje fui ver a quantidade de passageiros que esão a ligar as duas Ilhas no Domingo apenas vieram três passageiros e foram oito na segunda não veio voo por razões de tempo mas informações é que vieram meia dúzia e sim foram cheios hoje nem sei se chegaram a vir passageiros, mas enfim como disseste e bem ignorância promove a arogancia é o que infelizmente temos.No fundo quem mas precisa de voos e barcos somos nós não entendo tamanha preocupação do dito Governo Central.
    Enfim…………………

    • Príncipe

      26 de Março de 2020 as 23:20

      Oh digo vai passear, vocês pensa que são mais inteligentes do que outros. Mal empregado que ainda votei para teu irmão. Grande bandido. Se queres saber anda muita gente fodido convosco ao seu tempo vão sentir isso. Orgulhosos, tudo é para vocês, invejosos. Ainda bem que Deus fez morte. Mal feitores, deram cabo do meu primo João PESTANA. Justiça de vina tarda mais chega sempre. Tenho nojo de vocês

  13. Senhor

    25 de Março de 2020 as 16:32

    Quem esperava alguma coisa deste governo é melhor tirar o cavalo da chuva… Acreditem que eu sei do que estou a falar.
    Tenho dito.

  14. Guiné Equatorial

    25 de Março de 2020 as 17:08

    As atitudes independentista do Tó ZÉ deve ser melhor acompanhado pelas autoridades central. Este Sr tem um plano é seguir muito as intenções do malabarista. Não deve dar muita confiança a esse indivíduo.

  15. Príncipe

    25 de Março de 2020 as 17:11

    Meu caro Exclú, eu tiro o meu chapéu para ti. Brutal!!!!!!!!!! Deus te acompanha em todo o momento.
    Muito obrigado meu primo e colega.
    Cumprimentos.

  16. MLSTP desde Sempre

    25 de Março de 2020 as 19:49

    Eu só lhe digo isto: o senhor é muito atrevido. Todos os governo tem sua falha. Todos os governo tem sua esitação. Todos os governos tem sua escolha. O príncipe neste momento não é prioridade da nova maioria. E eles tem de perceber isso.

  17. Preocupado

    25 de Março de 2020 as 20:06

    Este parece um país de brincadeira. Sinceramente é que eu vejo todos os dias. Se o governo regional pediu ao governo central que suspendesse o voo porque os turistas estão a ir de cá de S.Tomé para o Príncipe sem fazerem qualquer controlo para que eles lá no Príncipe poderem preparar melhor, eu acho que o governo central deveria ouvir e falar com o governo central ao telefone ou chamar o presidente do Príncipe para falar a acertar tudo. O governo central toma sua decisão unilateral sem saber daquilo que está a passar lá no Príncipe e sem dar cavaco a eles e ainda por cima publica o documento do conselho de ministros nas redes sociais que eu vi com os meus próprios olhos. Isto parece-me uma brincadeira de crianças. Já no fim de semana o ministro Abreu foi ao aeroporto fazer Show dele todo vestido a rigor e postou fotografia nas redes sociais para as pessoas verem que ele está a fazer alguma coisa. Xiê!!!!!!Para demonstrar trabalho que estão a fazer é preciso publicar decreto do conselho de ministros e aparecer vestido com máscara nas redes sociais? Isto tudo é uma palhaçada minha gente. Vão mas é para as roças trabalharem e deixam desta fantasia toda. É melhor começarem a andar mascarados para toda a gente saber que vocês são ministros. Como senhor que escrevei disse é muita ignorância e pouco conhecimento e estudo.

  18. A a Z

    25 de Março de 2020 as 21:12

    Pelo menos noventa por cento destes comentários foram escritos pela mesma pessoa. ”O estilo é o homem”.

  19. carlos alberto

    25 de Março de 2020 as 22:57

    ” Como cidadão nacional e natural da ilha do Príncipe fico preocupadíssimo com esta atuação do governo central.”
    Tenha vergonha. Como irmao do presidente do governo regional,Tozé Cassandra, isto sim.
    S.Tomé e Príncipe não são DOIS países.
    Existe UM PROGRAMA NACIONAL de prevenção para STP.
    CONTRIBUA COMO MUITOS TÊM FEITO E NÃO CRIE AGITAÇÃO SOCIAL.
    Vamos neste momentos,darmos todos as maos aos esforços do governo, indepentemente de quem sejamos.
    Neste momento SOMOS TODOS SOLDADOS da saúde por único e para o bem de STP e dos SANTOMENSES.

  20. Vanplega

    26 de Março de 2020 as 0:12

    To Ze Cassandra, e aquele mesmo, junto com Joao Gomes, devoraram atlier central?
    Venderam e roubaram tudo e e……

  21. Seabra

    26 de Março de 2020 as 3:23

    Tenho a impressão que todos os comentários foram feitos pela mesma pessoa com todas as identidades falsas. É curioso. Não é ?

    • A a Z

      26 de Março de 2020 as 17:19

      Ponha aí o seu verdadeiro nome, senhor Seabra.

      • Seabra

        27 de Março de 2020 as 3:25

        O meu verdadeiro nome / apelido é Seabra.

  22. Ralph

    26 de Março de 2020 as 6:01

    O artigo descreve uma situação muito preocupante que eu teria de concordar representa alguma medida de complacência e ignoráncia. Quando se está a enfrentar um vírus tão infecçioso como este, tem-se de permanecer de vigiláncia total. Tem de haver apenas uma asneira para permitir que o vírus entre, apesar de quaisquer esforços rigorosos anteriores.

    Há vários dias, na Austrália, houve uma asneira para acabar com todas as asneiras deste tipo. Apesar de o governo nacional ter declarado que não nenhum cruzeiro seria permitido atracar num porto australiano, houve uma situação na qual um fracasso na organização de vários órgãos governmentais a nível nacional e estadual conseguiram deixar 4 cruzeiros atracarem e, depois, deixaram que centenas de passageiros dispersarem-se na comunidade. Houve mais de 10 pessoas nesses cruzeiros que tinham dado resultados positivos para o COVID-19! Já se passou mais ou menos uma semana desde esse ocorrência e os especialistas referem que o número de casos ativos que podem ser relacionados diretamente aos passageiros dos cruzeiros são na casa de 150! Sim, 150!! E esses 150 já infetaram muito mais outras pessoas, ajudando a aumentar o total atual para quase 3000!

    Agora, a Austrália está a lutar muito para trazer o espalhamento do vírus mais uma vez sob controlo. Mas esta tarefa não fosse ter sido tão árdua se não tivesse sido por uma asneira cometida por oficiais governmentais que não podiam coordenar-se para fazer a coisa certa. Deixem isso ser uma lição para São Tomé e Príncipe.

    • Manuela. Na diaspora

      26 de Março de 2020 as 13:38

      Meus manos isto é serio. Vamos deixar de criticas, politicas de lado. Neste momento é apoiar o governo no cerco evitando que este virus mortal entre para santome. Por favor senhor governantes fechar os aeroportos e portos. Nos não temos condições mínimas para enfrentar este viru, já vivemos uma pobreza extrema cada vez pior.

  23. Revoltado

    26 de Março de 2020 as 7:03

    Acho que ignorante é aquele que se julga dono de todo o saber e conhecimento. Temos de respeitar a opinião que difere da nossa. Os verdadeiros intelectuais são assim. Podemos até discordar da decisão do governo, mas isso não nos devia dar o direito de considerar que lá só existam ignorantes e maus, enquanto que no governo regional só existam sobredotados e Santos.
    Assim não vamos a lado nenhum! Só atiçamos o extremismo e a intolerância!

  24. Minuieeé

    26 de Março de 2020 as 7:25

    Quando li no teu texto :
    “pretendem, como aliás o MLSTP sempre fez, que a manifestação da pandemia se restringe ao Príncipe?”
    Deixei de ter dúvidas, tu queres incendiar o país! Mereces um processo crime.pessoalmente pertenço as duas ilhas. Tenho os meus entes queridos dois lados. Tenho amigos em quase todos partidos deste país, mas nunca gozei dos benefícios do MLSTP como tu é os teus irmãos ( um deles até desperdiçou uma bolsa de estudos, inventando SIDA. Sou crítico de natureza. Mas amo o meu país, não tenho outra nacionalidade! Não é possível que fiques lá no bem bom e queiras fogo aqui. Desprezível!!

  25. Metido a Besta

    26 de Março de 2020 as 8:59

    Parece me haver um certo tolice na vossa narrativa ja que alencou apenas os motivos que levou o seu irmao a fazer tal pedido ao Governo Central enquanto que com a insolencia e insultos invocas como razao de indeferente.

    Interessante desta vossa narrativa prende-se com o facto da Vossa excelencia ser da Ilha de Principe e O irmao de autor de pedido logo, parece claro que a vossa excelencia tem a carencia de imparcialidade exercida por ambos motivos acima exposto.

    Senao vejamos os seguinte ponto: O vossa excelencia diz nos quais os motivo que seu irmao a alegar para submeter este pedido ao Governo Central.

    Ora acontece que em Sao Tome ja vigora o Estado de Emergencia com encerramento total das Fronteiras por ar e Terra logo. ja nao existe receio de contagio salvo erro senao dos cidado residente ja no Aquipelago que tambem ate entao nao ha nenhum caso positivo.

    Perante este quadro importa indagar qual seria o efeito de encerrar as viagens entre duas Ilhas? Nenhuma Nulo Zero insigficante : Por isso o Governo agiu bem.

    De agora em diante se surgir a pandemia quer numa das Ilha ja justifica e ate la nao vislumbro tais necessidade.

    No entanto. o governo Regional poderia decretar a restricao de movimento por 15 dias

    Os Executivo govermentais nao devem tomar decisoes com base no medo receio ou suspeita afetando 100% da sociedade.

  26. Luis magro

    26 de Março de 2020 as 9:24

    Príncipe não é do teu irmão. Pensem noutra coisas.

  27. ONDE MESMO?

    26 de Março de 2020 as 9:47

    Sr. Adelino Cardoso Cassandra, eu normalmente gosto dos artigos que escreve mas, este último demonstra o quão tacanho é a sua mente e o sentido de tribalismo prevalecente no seu modo de pensar. Se não vejamos o que escreveu dentre outras barbaridades “É este o controlo preventivo da pandemia, que o governo central pretende fazer, em todo o território nacional?”.
    Outra parte do seu texto que demonstra o quão mesquinho e pequeno o senhor é “Ou pretendem, como aliás o MLSTP sempre fez, que a manifestação da pandemia se restringe ao Príncipe?”. Se esses turista que foram de S. Tomé para o Príncipe estão infectados, primeiro eles infectaram os que em S. Tomé vivem e não iriam apenas infectar os que vivem na ilha do Príncipe como o senhor diz no seu texto “que a manifestação da pandemia se restringe ao Príncipe” me desculpe mas é preciso ser-se ignorante e senhor nesta matéria foi.

  28. Gente de Príncipe

    26 de Março de 2020 as 10:40

    Estes dirigentes do MLSTP são terríveis. O falecido Eduardo já dizia isso aqui no Príncipe. Eles são capazes de matar você e ainda perguntar quem é que matou. O falecido Eduardo é que podia com eles. Coloca eles no seu devido lugar. Pergunta ao senhor Guilherme Pósser e senhor Rafel Branco o que é que o senhor Eduardo disse eles aqui no Príncipe. Eles ouviram e baixaram a cabeça e engoliram em seco.

    • Fui do UMPP Sei o que falo

      26 de Março de 2020 as 23:12

      Então não deves conhecer bem o Tó ze esse mata ainda pergunta notícias. Vão lá pintar caneco. Príncipe não é propriedade do Rodrigo Cassandra.

  29. XYZ

    26 de Março de 2020 as 10:46

    Maneira que estão a reagir contra a ilha do príncipe até parece que estão a esconder qualquer coisa ou quer enviar virus para lá de propósito. Ninguém compreende isso. Se faz controlo aqui em S.Tomé e manda para quarentena porquê que mandam turistas daqui para lá sem fazer qualquer controlo. Isto tem que ser explicado.

  30. profeta

    26 de Março de 2020 as 11:17

    Tó Zé Cassandra êêê, Santomée flãn …… ” cê lá mosca cújíi dá flida êêê “

  31. Julio

    26 de Março de 2020 as 17:50

    Este governo central só está interessado em exibir. Aparecer com máscara na cara, tirar fotos e colocar no faceboock. Reunir conselho de ministros e fazer comunicados e colocar no faceboock. Reunir conselho de ministros e fazer comunicados sem nexo para o senhor Adelino Lucas aparecer a gaguejar no noticiário da TVS sem saber aquilo que ele esta realmente a ler. Palhaçadas mas é.

  32. PPP

    27 de Março de 2020 as 10:54

    Só vim ler os comentários. Maneira que eu estou a ver os camaradas tão enraivecidos nos comentários aqui postados isto quer dizer que este artigo do articulista foi um autêntico tiro no porta-avião.

  33. Elias

    28 de Março de 2020 as 7:29

    Como diz o Almirante, a sua embaixada é mais louca do que entendida.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo