Opinião

A quem serviria uma crise política neste momento?

Finalmente temos Governo remodelado!

Há vários meses que o Primeiro-ministro são-tomense vem falando da necessidade de numa remodelação governamental. Não é muito bom esse procedimento por que a experiencia nos ensina que a remodelação não se anuncia. Faz-se!

Entretanto, a gota que transbordou o copo e apressou a remodelação anunciada foi o conflito desnecessário e sem sentido entre a Policia Judiciaria e a Procuradoria-Geral da Republica.

Digo sem sentido porque não se compreende por que motivo duas instituições responsáveis pelo combate de crimes, sobretudo de trafego de drogas, estejam viradas costas uma para outra? Essa situação ainda tem que ser explicada ao Pais.

Mas, o mais grave é que inexplicavelmente a contenda contaminou o Governo e o Presidente da Republica. Diz-se que ambos os órgãos não souberam lidar com a situação.

A situação estava de tal forma tão tensa entre esses dois Órgãos de soberania, que, só começou a desanuviar-se depois da reunião do Conselho de Estado convocado pelo Senhor Presidente da Republica.

Desde então não se falou mais nada a não ser umas palavras lacónicas muitas vezes repetidas, proferidas pelo porta-voz do Conselho de Estado a saída da reunião no Palácio Cor de Rosa, que deixou-nos ainda mais confusos. Esta situação deu origem a muitas especulações.

Houve vários diretos no Facebook, fizeram Post-it de ocasião, ouviu-se análises de uma espécie cometedores nas rádios internacionais, todos eles quase a sugerirem que o Presidente da Republica demitisse o Governo constitucional chefiado pelo Dr. Jorge Bom Jesus. Mas na verdade, ninguém percebeu os argumentos que sustentavam para que fosse tomada essa medida tão radical.

A partir de um determinado momento viram que a solução da queda de Governo estava fora de questão, até porque, constitucionalmente o Presidente não deve condicionar a continuação de um Governo se o Primeiro-ministro e Chefe do Governo não fizer a remodelação ministerial.

Começaram então a surgir boatos e mentiras de todo tipo, até a sugestão de constituição de um Governo de Consenso Nacional. Que aberração!

Os Governos de Consenso Nacional nunca resultaram aqui em São Tomé e Príncipe. Esse tem sido o nosso grande problema aqui no Pais, não aprender com os erros do passado.

Na verdade, temos atualmente um Governo com quase essas características, estando apenas excluído nele, aquele que governou o Pais sozinho e de forma autoritária, humilhando os outros todos, na ultima legislatura. Por isso é que esta agora sozinho na oposição. E é pena que não esteja a fazer uma oposição seria e credível a pensar no Pais, porque tem peso no Parlamento, tendo em conta o numero de deputados que possui.

De facto, a tarefa não tem sido nada fácil para o Primeiro-Ministro Jorge Bom Jesus, devido ao ambiente hostil de boatos e mentiras que se criou propositadamente para destabilizar o Pais, fomentado sobretudo por perfis falsos. Nunca nas redes sociais houve assim tantos perfis falsos como agora.

Longe das especulações arruaceiras, apreciei a forma serena, responsável e com sentido de Estado em que foi feita a remodelação.

Daí a irritação de muitos especuladores, que propalaram coisas inimaginável, que nunca fora levantada no Conselho de Estado.

Levou tempo, mas foi feita a remodelação.

Muitos poderão dizer, e é verdade, que com a remodelação a Governo esta mais alargado, o que não seria aconselhável para as nossas atuais condições socio económicas.

Pessoalmente não tenho motivos de aprovar ou não essa opção tomada, porque desconheço a estratégia que esteve na base desse alagamento da estrutura e de número de membros do Governo.

O que interessa agora, é que seja um Governo eficiente e que corresponda as necessidades atuais da Governação.

Mas o que me deixa mais intrigado é de constatar que existem são-tomenses que têm o prazer de ver o Pais numa constante crise politica e tudo tem feito para forja-la.

Com base em quê que se pretendia uma queda do Governo neste momento?

Depois da remodelação, causa-me alguma estranheza em constatar que algumas pessoas nem conseguem esconder a sua ira e descontentamento por esta solução, não se sabendo efetivamente o que pretendiam afinal com a queda do Governo.

O que peço a todos os são-tomenses sobretudo aos políticos no Governo e na oposição, que haja sempre sabedoria, bom senso, entendimento, muita seriedade, muito dialogo na tomada das decisões importantes para a vida do Pais.

Daqui há aproximadamente dois anos, este Governo será avaliado nas urnas. Todos nós teremos a oportunidade de dar a nossa participação e opinião sobre o seu desempenho.

Enquanto isso, temos a obrigação patriótica de dar a nossa contribuição com críticas construtivas, no intuito de fazer reparos nas ações e decisões tomadas pelo Governo.

Este Pais precisa de estabilidade política e paz social para vencermos definitivamente o subdesenvolvimento. E nessa empreita, somos todos muito poucos.

Já perdemos muito tempo e já vamos muito atrasados!

Deus nos livre de mais crises!…

Tenho dito!

São Tomé, 22 de Setembro de 2020

Fernando Simão

    9 comentários

9 comentários

  1. Gregorio Furtado Amado

    25 de Setembro de 2020 as 5:20

    Porquê que senhor defende cegamente um governo que contém elemento acusado pelo tribunal de contas de ter adulterado o orçamento de construção das pobrezinhos sobre Rio água grande? Depois de ser publicado o relatório ele foi fazer análise com dedo em baixo da ponte. Que vergonha. Mas é este ministro que continua com confiança do governo e da presidência. Será que querem combater corrupção no nosso país ou pretendem abafar o bom trabalho de tribunal de contas?

  2. Democrático

    25 de Setembro de 2020 as 7:48

    Muito bem o defensor do Governo!!!Fui…

  3. Outro aspeto

    25 de Setembro de 2020 as 9:32

    Senhor articulista, data venia!
    Na sua humilde opnião houve realmente remodelação governativa?
    Seja franco consigo mesmo, pois enquanto formulador de opniões, que pretende ser, ou já é, sabe como ninguém de que a credibilidade destas pessoas depende muito da coerência e neutralidade daquilo que expressam, daí que vejo-o tomando posição para a defesa daquilo que não é mas parece ser, iludindo aos outros e ,quiça, a si propio.
    Uma verdadeira mexida no sentido de optimizar as prestações de serviços e dar credibilidade à elenco governativo, NUNCA a senhora da Justiça continuaria em funções, a de Educação idem, além disso, em momento enhuma repartiria-se a pasta do senhor Osvaldo Abreu para mante-lo no posto mas sim o demitiriam na hora.
    Justifica haver um novo Ministro da Comunicação Social quando já existe a pasta de Secretário de Estado para o efeito ?
    E o que dizer de Minisros fantasmas como é o caso do jovens do Trabalho e Solidariedade, bem como de juventude e Desporto?
    Quem foi que disse de que a falta de lisura, postura profissional e bons desempenhos resumia-se nas personalidades do partido MLSTP-PSD ? Os da coligação PCD-MDFM-UDD-CODO-PTS-entre outras aberrações são imaculados ?
    Senhor cronista como vês o burraco é mais em baixo.
    Procure falar nos da outra tendência no país que é a hipoteca das pastas ministérias, virou moda quem patrocina a campanha eleitoral quer seja copetente ou não, com escrupulo ou não exige e instala-se “eternamente” aonde quizer.
    Este país não tem norte, tenho dito!

  4. Sempre atento

    25 de Setembro de 2020 as 10:53

    Uma crise política serviria sim neste momento ao shr presidente da República. É do seu interesse para promover a entrada daquele que o colocou lá. Agora vai retribuir o favor. O jogo político funciona assim. Não se esqueçam que estamos a ser governados por um complor de gente desonestos e mafiosos. Depois querem ajuda financeira estangeira para impulsionar a economia do país? Pensam que eles são cegos e surdos? O shr presidente da República devia ter uma postura mais sensata, responsável e honesta. É o país que temos.
    Tirem-me desse filme…
    Um bem haja a todos. Fui.

  5. pais tá bom só

    25 de Setembro de 2020 as 11:05

    camarada anda esquecido:
    -perfis falsos na anterior legislatura foi o que não faltou- como Jose Luis Fernandes e outros!!
    -estabilidade politica e paz social foi o que não fizeram quando não aceitaram o resultado nas urnas e foram para as ruas fazer vossa confusão e ameaças!
    -aberração é um governo de clientelas e compadrios onde cada um faz o que quer na sua horta onde o labebotismo é o requisito para subir (mesmo que não saiba alinhar duas palavras numa mesma frase) e onde o PM não manda nada
    -autoritarismo e humilhação é o que se vê em todos os sectores com as represálias que são feitas contra todos os que tenham tido alguma ligação, ainda que só suspeita, com a anterior legislatura
    -vencer o subdesenvolvimento não passa pela estabilidade politica per si se esta estabilidade envolve más práticas flagrantes na gestão da coisa pública!

    No entretanto, conseguiram criar mais tachos no governo para os desempregados/reformados e tentam enganar os mais distraidos desviando da questão de fundo: relatorio do Tribunal de Contas!

    podiamos continuar….mas ainda bem que isto é só um artigo de opinião

  6. Lugido

    25 de Setembro de 2020 as 11:30

    Não vejo o que é que esta remodelação tem a ver com a resolução de conflito entre ministério público e a polícia judiciária?
    Enganem os outros.

  7. Pascoal Carvalho

    25 de Setembro de 2020 as 20:40

    Pois é mxm,
    Uma crise governamental a muitos serviria, embora nem tanto quanto está e outras remodelações já vistas.
    Em cada crise institucional que surge, uns aproveitam para ascensão e, outros padecem pela regressão.
    Nosso caso específico, entre os prós e os contras sobre o nosso presidente, um belíssimo trabalho tem feito, no que toca a sustenção de um governo vindo de uma coligação fina(lenguelengue) até uma oposição fria desmembrada quase sem orientação nem lideracao.
    Enfim entre honestidade, competência, corrupção, etc, etc, etc, todos temos as nossas opiniões, percepções.

  8. Como será

    27 de Setembro de 2020 as 15:17

    Com toda esta bla bla de zangas politicas, que ja faz parte da politica santomense, daqui a nada iriao optar por um golpe de estado.

  9. Zé Pimenta

    27 de Setembro de 2020 as 21:28

    Serviria ao Pinta Cabra e ao Augério. Ambos estão em Portugal na rua da amargura. Sofrem de grande depressão. Um está num estado mais critico ou outro completamente sem norte

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo