Opinião

Bombeiro da PAZ precisa-se!

Costumo dizer que Facebook e Téla Nón são os nossos Quintais de Liberdade. São espaços, onde podemos exprimir livremente as nossas ideias, as nossas opiniões, as nossas emoções, os nossos sentimentos. São também locais onde partilhamos conhecimentos em todas áreas do saber, trocamos informações de forma responsável e honesta, de modo a favorecer uma aprendizagem mútua.

Lamentavelmente nesses últimos tempos não tem sido bem assim, pois, este fórum tem sido inundado por perfis falsos e indivíduos mal-educados e desordeiros bem identificados, que lançam todo tipo de mentiras, boatos, insultos, destorcem a realidade dos factos, proferem palavras grosseiras e obscenas e até fazem ameaças de morte. O estranho é que as autoridades competentes nem estão aí e deixam esses indivíduos impunes sem fazer absolutamente nada.

Estamos a viver um momento difícil, em consequência do período eleitoral em curso, mas que se pretende que continua e termine em paz com a eleição do novo Presidente da República. Assim, acho que todos nós em vez de incendiários, devíamos ser bombeiros da paz.

Por isso é que quando leio um artigo como o do jornalista Juvenal Rodrigues publicado há dias, dá-me muita satisfação. Começa a ser muitos poucos os artigos bons que se publica nesse fórum. Juvenal Rodrigues fez um alerta que acho muito importante e oportuno. Denunciou uma situação que todos nós já conhecíamos referente a falta de profissionalismo de um tal correspondente da RDP- Africa em São Tomé e Príncipe.

O artigo do Juvenal é sobretudo pedagógico e serve para todos nós, jornalistas ou não, que faz informação nos órgãos de comunicação social públicos ou privados, nas redes sociais e outras fontes de informação e comunicação.

É verdade que essa falta de profissionalismo se constata também nos nossos Órgãos Estatal de Comunicação Social aqui em São Tomé e Príncipe, situação que algumas vezes denunciei. Nota-se sobretudo, que há uma prática de autocensura por razões que eu francamente não compreendo. Infelizmente, isto ainda acontece, mas já foi pior no passado.

Num regime democrático como o nosso, os jornalistas devem resistir a qualquer tipo de censura. E eles tem mecanismos previstos na Lei              para o fazer. Precisam é de estarem unidos.

E da minha parte, mesmo não sendo jornalista, terão sempre toda a minha solidariedade.

Voltando ainda ao tal correspondente da RDP-Africa. Todos nós ainda lembramos o comportamento desse senhor durante os quatro anos do regime de ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada. Aconteceram situações dramáticas e vergonhosas aqui no Pais, que não vale apena descreve-las porque a lista seria muito exaustiva, e o referido correspondente dava o tratamento diferente a que tem dado aos acontecimentos atualmente.

Quando é assim, é porque existe má-fé ou interesses outros a defender. Ora, o papel do jornalista não é para defender ninguém, mas sim prestar informação verídicas, isentas e, equilibrada. Como esse comportamento, permita-me afirmar que esse individuo poderá ser tudo neste mundo, mas menos um bom profissional de comunicação social.

E depois, há também por aí uns ilustres comentadores que não passam de comentadores/incendiários. Estes apreçam-se a aparecer com toda a fúria, quando há alguma crise ou acontecimento. Neste caso, foi um suposto golpe de estado que um incendiário qualquer inventou. A forma e a pressa como aparecem a defender este problema dá entender que estão dentro dos acontecimentos. Sendo assim, por que razão não expõem o problema publicamente evitando suspeições e especulações? O curioso é que eles normalmente estão em sintonia com o Partido ADI que mais uma vez deu tiro no pé com mais um dos seus comunicados. Já estamos até habituados com esses despautérios.

Esses comentadores dão sempre a entender que têm informações seguras e que são detentores de toda a verdade, e nunca têm a coragem e humildade de se desculpar publicamente quando as evidencias desmentem os seus falsos comentários, como habitualmente acontece.

Costuma-se dizer que «a pressa é a inimiga da perfeição». Por isso é que aconselho a esses comentadores para terem calma, recolherem informações fidedignas antes de comentar. Desta forma, darão melhor contribuição ao desenvolvimento do Pais.

Como disse acima, não precisamos atirar mais gasolina na fogueira, porque só complica a situação. As vezes fico com a impressão de que esses senhores têm o prazer de ver o Pais constantemente em crises. Devemos sim ter uma postura de bombeiros da paz, sem beliscar, claro, a nossa liberdade de opinar.

Por tudo isso é que achei excessiva e abusiva terem chamado Juvenal Rodrigues, Comissario Político. Para mim, Juju, como os seus amigos lhe chamam, é um dos melhores e mais idóneo e equilibrados jornalistas do Pais, demostrado mais uma vez no artigo que acabou de publicar.

São Tomé, 17 de Agosto de 2021

Fernando Simão

    7 comentários

7 comentários

  1. WXYZ

    18 de Agosto de 2021 as 20:57

    “Como disse acima, não precisamos atirar mais gasolina na fogueira, porque só complica a situação.” Afinal ha fogueira nesse nosso pegueno arquipelago de 200.000 e tal almas vivas. E o governo nunca veio ao publico esclarecer antecipadamente ate que vimos a ser informados por outras fontes. Respeitem o povo se faz favor. O Juju e um dos melhores jornalistas em STP, resta saber se ele e imparcial no tratamento das noticias mas como e que ele nao publica as intervensoes do predcessor primeiro ministro?

  2. Fuba cu bixo

    19 de Agosto de 2021 as 0:55

    Parece que este senhor Fernando e Silvério Amorim e mais camaradas combinaram para vir defender o tal Juvenal Rodrigues mas vocês camaradas não engana ninguém,porque a pouca notícia que ouvimos é por causa da RDP ÁFRICA porque se for para RNSTP e TVS ficamos sem saber nada só passa propaganda do governo.
    Por outro lado é muita ipocrisia esse senhor fala de indivíduos que lançam mentiras insultos palavras grosseiras e muito mais,só que quem acompanha o Humba Aguiar com o seu insulto e odio crescente para a pessoa do Patrice Trovoada ADI e os seus apoiantes com palavras como “gatuno assassino ladrão ” e com ameaças lembro-me que o na governação do Patrice o Humba disse para arrastar o Patrice de gabinete para fora,e o senhor Fernando a dias escreveu no Facebook a demostrar a sua solidariedade com o Humba e que foi compartilhado por camarada São Deus Lima, por tanto em que ficamos o insulto e odio para o Fernando só é bom quando é direcionado a Patrice Trovoada não é? So ipocrisia mas graças a deus o MLSTP esta quase a desaparecer.

  3. Andorinha

    19 de Agosto de 2021 as 1:44

    Na entrevista do esclarecimento do Delfim Neves o único jornalista que confrontou e fez perguntas ao Delfim foi o Josimar os resto dos jornalistas era só comissários políticos da nova maioria e é isso que o senhor Fernando gosta.
    Se RNSTP e tvs fizese seu trabalho de investigar e informar não havia buato e especulação, infelizmente a RNSTP e a TVS não informão e nem fazem 50% do trabalho da RDP África.
    E quanto a odio e perseguições a nova maioria prenderam Americo Ramos injustamente e fizeram lei a pensar em um homem e chegaram ao ridículo de perderem o foco no candidato Vila Nova para focarem no Patrice Trovoada deixem homem em paz trabalhem para o povo mostrem trabalho até agora não vimos nada a não ser obras do Patrice.

  4. Sem+assunto

    19 de Agosto de 2021 as 5:23

    Defendam se, os amigos servem para isto.
    No que tange a falta de profissionalismo do repórter da RDP África, presumo que trata se de um tal de Óscar Medeiros, aquele ali é desnaturado, mau profissional, pau mandado.
    Lembro me de de ter escutado uma sua reportagem aonde o mesmo permitiu que na matéria publicada incluísse ameaças de morte a quando do impasse eleitoral, tudo para denigrir a imagem do país. Foi algo assim ” se eles brincam está eleição vai ter sangue” palavras de uma senhora que o mesmo levou tal e qual para as antenas da RDP África. Tamanha falta de profissionalismo!
    A pergunta que coloco é :perante todos estes e muitos outros factos porque não retiram a carteira profissional a este sujeito?

  5. Maria Alberta

    19 de Agosto de 2021 as 8:40

    Meu Caro Amigo Simão
    O titulo da sua exposição, não condiz com a sua analise.
    O Senhor diz que precisa-se bombeiro de Paz e depois elogia a intervenção do senhor Juvenal Rodrigues.
    Quem não conhece o Juvenal Rodrigues. É um dos maiores lambe-botas que este país conhece. Eu e os meus amigos costumamos a denominá-lo do Homem do Quiná. Isto porque quando lhe puseram como diretor da TVS, este disse que iria acabar com a transmissão de todos os jogos internacionais de futebol na TVS, já que iria passar apenas Quiná e Plomón Deçu. Na verdade é que quando chegou a TVS, criou uma das maiores desordens conhecidas nesta televisão, com vingança, ódio, divisão etc. Este que fala hoje da parcialidade da RTP, é um dos maiores mentores da parcialidade na comunicação social. Pelo menos se fizesse esta parcialidade apenas por sua própria convicção, poderia dizer-se que é a forma de estar e ser do homem. Mas não. Ele o faz, para ganhar algum tacho e tirar algum proveito politico.
    Este individuo deveria envergonhar-se de dizer que é jornalista e que tem a moral. Nem a sua própria família acredita na sua moral. Este é um instigados, em vez de jornalista. O seu problema, é que não tem capacidade nem perfil para representar o RTP, por isso é o seu ódio contra este canal de televisão.
    Ele fala da parcialidade de RTP.
    E o que é que diz da atual TVS e Rádio Nacional. Estes que são órgãos públicos de comunicação social, onde os descontos feitos pelo povo é que pagam estes órgãos. Que tipo de serviço é que prestam a nação. Quando os membros ou militantes dos partidos da TROIKA falam, ainda que seja besteiras, levam mais de 15 a 20 minutos a martelar o povo com estas besteiras. Mas o povo não pode falar, a oposição está proibida de falar etc.
    O senhor tem toda a razão de defender o Juvenal, pois são farinhas do mesmo tacho. Se moscas não responderem para as feridas, morrerão de fome.
    Assim vão os nossos editorialistas, comentadores, politiqueiros etc. no nosso país.
    Bem Haja STP

  6. Anjo+do+Céu

    19 de Agosto de 2021 as 14:36

    Muito bem feito esta crónica em denunciar e falar com verdade atuação desses falsos jornalistas que andam aí com cara tapada a incendiar o País em detrimento de receber dinheiros em baixo da mesa.Eles são tantos arrumados que são donos e detenteor de toda informação em mando do seu chefe fugitivo.Temos que começar a denunciar esses falsos jornalistas e se for necessario puni los da irresponsabilidades que eles dão certas informações de criar climas de terror no País.

  7. Maria Desejada

    20 de Agosto de 2021 as 8:55

    Sun Chimon.
    Sun bê quá cu clopo goló d’alima.
    Sum colê bá defendé landlón, sun só fica cu cuá nubuê. Sun bê iô de clonvesa cu a mandá sun. Icé sá cuá cu clopo goló d’alima. Sun chica defendê tacho de mina moço sun cu a mandá bá Macau cu mina toçón toçõn que inen de troika scá dá sun, çá sun cá cumê cu boca fiçado. Mêge nancê cu sá costumado cú lóló bota na cebê fiça boca fá, punda nancê cá cunda, cuma achem soco a scá pagá stliviço de nancê.
    Naiem, cela sun guenté êêê…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo