Cultura

“Serviçais” venceram no FESTin 2018

“Serviçais das memórias à identidade” documentário do realizador são-tomense Nilton Medeiros, foi galardoado no FESTin 2018 que decorreu em Lisboa, como sendo o melhor documentário definido pelo Júri Popular. Mais ainda, foi merecedor de uma menção honrosa do FESTin.

 

 

 

 

 

 

O documentário que trouxe à ribalta, factos e memórias dos serviçais contratados durante o período colonial, para garantir a produção do cacau e café nas roças de São Tomé e Príncipe fez história. « É a primeira vez que um filme de produção e realização PALOP(Países Africanos de Expressão Portuguesa), ganha um prémio no FESTin», refere a organização do evento.

No cinema São Jorge em Lisboa, palco do FESTin 2018, o documentário do realizador Nilton Medeiros, destacou-se num grupo de 18 documentários em competição .«É uma honra muito grande receber este prémio, é um reconhecimento do trabalho que estamos a fazer. Foi uma sensação fantástica, um momento mágico que certamente será inesquecível para todos nós», declarou Nilton Medeiros.

O público que preencheu o anfiteatro do Cinema São Jorge em Lisboa, envolveu-se com a realidade dura, semi-escrava, mas também heróica vivida pelos serviçais, oriundos sobretudo de Cabo Verde. «Mas, o que nos deixa mais felizes é o fato de saber que o público gostou do documentário. Força de vontade e dedicação sempre foram enormes, mas não foi só isso que tornou tudo possível, sem os testemunhos dos nossos personagens, nada disso era possível. Por isso os nossos primeiros agradecimentos vão para eles », realçou o realizador.

São Tomé e Príncipe, o arquipélago que gerou o legado histórico dos serviçais é segundo o realizador, o vencedor destacado do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa.  «Serviçais das memórias à identidade são 52 minutos de uma abordagem do projecto que tem o objectivo de registar a história das roças de São Tomé e Príncipe no contexto sociocultural, político e económico. Dedicamos este prémio a todos os Santomenses e em particular os Ex-Serviçais, com a promessa de continuar a trabalhar com zelo, dedicação de modo a levar o bom nome de STP além-fronteiras», concluiu, Nilton Medeiros.

FESTin 2018 terminou na terça – feira 6 de Março. Para além do grande vencedor “Serviçais das memórias à identidade” de Nilton Medeiros, outros realizadores são-tomenses marcaram presença no evento. Kátia Aragão com a curta metragem de ficção “Miná Kiá” e Hamilton Trindade apresentou ao público o documentário “Sonho Longínquo do Equador”.

Téla Nón

    7 comentários

7 comentários

  1. Adelino Lucas

    8 de Março de 2018 as 13:46

    Vãos os meus sinceros parabéns ao Nilton Medeiros e demais pessoas envolvidas na produção do documentário. Na verdade, tive a oportunidade de o ver e analisar e de facto é meritório.
    Seria bom, que internamente, em STP, também o assunto fosse uma referência à se tomar em consideração.

  2. Aristides Barros

    9 de Março de 2018 as 7:06

    Parabéns. São estas noticias que precisamos ouvir. Pelo menos uma boa noticia para os santomenses. Continue o seu trabalho com seriedade e zelo pois, é assim que se engrandece a si e ao seu País.

  3. badiu di stp

    9 de Março de 2018 as 7:57

    “Serviçais” vencem no FESTIN e os ex contratados para as roças de São Tomé Príncipe continuam a perder e a sofrer nas roças de São Tomé e Príncipe.

    Que Contrapartida dará os realizadores desta iniciativa aos serviçais?

  4. Carlos Cravid

    9 de Março de 2018 as 17:03

    Acredito este é que é o nosso petróleo – a devida utilização do conhecimento, da criatividade, profissionalismo e a dedicação, impondo a nível internacional.
    Meus parabéns à equipa e que continuem com o que gostam e sabem fazer melhor.
    Vocês fazem parte de poucos que prestigiam o nosso paraíso.
    Já foi escrito por uma grande figura africa – “Havemos de voltar”
    E para os são-tomenses acredito que será – Havemos de encontrar…
    os nossos valores perdidos no tempo.
    As primeiras lágrimas nos olhos que
    eternizaram a chegada dos primeiros
    doutores à STP, simbolo de uma nova
    era e orgulho nacional.

    Este prémio é um orgulho nacional.

  5. Colega

    12 de Março de 2018 as 11:49

    Venho agradecer ao meu grande amigo de peito Nilton Medeiros e a sua equipa por esta grande obra. E aproveitar para parabenizar pelo prêmio no Festin 2018. Amadora 1998-2018 muito trabalho e esforço e sempre com dedicação o meu amigo trm sido um modelo a seguir…

  6. Bom rapaz

    13 de Março de 2018 as 18:25

    Vão de facto os parabens para os produtores deste documentário. Ficou provado que com humildade e responsabilidade se podem fazer coisas com qualidade. Pena é que o dito Gete Moniz, se calhar também vai levar parabens por isso. Por mim ele deveria ser excluído, pois é um verdadeiro vende-patria, consumidor de dinheiro facil do…..

    • Catchupa

      16 de Março de 2018 as 18:46

      Bom Rapaz é invejoso.Devia mazé trabalhar e não estar a cobiçar o trabalho de outras pessoas. O país com este tipo de gente invejosa não avança. Enquanto preocupas com os que trabalham a serio vais apodrecer sentado na miséria e ignorância. O nosso país só fica a ganhar com pessoas como estes jovens que sem ajuda de ninguém conseguem fazer coisas boas que engrandecem São Tomé e Príncipe além fronteiras.

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo