Destaques

Governo de Gabriel Costa maltratado pelos Tribunais

Tudo aconteceu na última sexta – feira na abertura do novo ano judicial. O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, José Bandeira, atacou duramente o Governo por causa do dinheiro resultante da venda do combustível que estava armazenado no navio “MT Duzgit Integrity”.

Por lei, segundo o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, os tribunais deveriam receber 10% do valor da venda de mais de 8 mil toneladas de combustíveis que estavam no navio. O Primeiro Ministro Gabriel Costa, nunca divulgou o valor do negócio que foi realizado em Novembro do ano 2013.

O Governo não depositou os 10% nos cofres dos tribunais, que de acordo a José Bandeira, estão vazios. Tão vazios que os Tribunais não conseguiram organizar com pompa e circunstância a cerimónia de abertura do novo ano judicial. «Não é de se entender, por que razão não se depositou até ao presente momento os 10% do valor obtido da venda dos produtos encontrados nos famosos barcos apreendidos com todos os recheios nas águias territoriais e que foram declarados perdidos a favor do Estado da República Democrática de São Tomé e Príncipe, por Tribunais Judiciais São-tomenses, nos cofres dos Tribunais, tal como preceituado no artigo 155 do referido código», declarou o Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

José Bandeira citou o artigo que atribui aos tribunais os 10% da venda dos combustíveis, que estavam no navio Duzgit Integrity. «Pela Venda de objectos apreendidos em processos criminais deduzir-se-á para os cofres dos Tribunais 10% da quantia arrecadada, fim de citação», sublinhou o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça.

AdvogadosPalavras mais duras para o órgão de soberania Governo, representado na cerimónia pelo Primeiro-ministro Gabriel Costa, ecoaram logo a seguir na sala. «Isso é de tamanha gravidade e irresponsabilidade, não se colocar a disposição dos Tribunais o que é deles por direito. Inventou-se competências e poderes discricionários inexistentes, ignorou-se o juízo de execução de penas, o que revela uma autêntica e grosseira falta de respeito do órgão de soberania Governo para com o órgão de soberania os Tribunais e ainda grosseiro desrespeito as leis da república que se jurou cumprir, respeitar e defender», frisou José Bandeira.

Aplausos da plateia composta maioritariamente por magistrados judiciais, complicaram o estado de choque do Primeiro-ministro Gabriel Costa, que condenou a intervenção do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, tendo dito que nunca na história da abertura do ano judicial se registou um ataque deste nível.

A intervenção fulminante do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, marca o novo ano judicial, que foi aberto pelo Presidente da República Manuel Pinto da Costa. «Esta cerimónia não pode e, sobretudo, não deve ser apenas um mero ritual cheio de formalidade mas vazio de conteúdo e sem consequências concretas. Não podemos continuar, ano após ano, a fazer desta cerimónia um mero somatório de palavras que se esgotam em si próprias e que pouco ou nada produzem na realidade da justiça santomense», afirmou o Chefe de Estado são-tomense, num discurso de 15 páginas que o leitor pode consultar- CLIQUE –Discurso do PR

Abel Veiga

    41 comentários

41 comentários

  1. Me Zemé

    12 de Maio de 2014 as 8:03

    Isso é mesmo assim, para umas coisas, cumpre-se as leis, para as outras contorna-se. Assim vai a vida do nosso querido país.
    Efectivamente esse dinheiro resultante da venda do petróleo que estava dentro do barco, nunca foi claro o seu destino…certamente estão nos cofres dos partidos da troika para as eleições.

  2. arroz podre

    12 de Maio de 2014 as 8:50

    A coisa vai muito mal.
    Até o 1º. Ministro (jurista de profissão) viola a Lei?
    O País está em mau lençol.
    É bom que o Presidente da República ouviu directamente uma reclamação na pessoa do 4º. Orgão de Soberania, assim Ele sinta culpado de tudo que está a acontecer, para que, marca as eleições o mais rápido possivel.

  3. Benedito Costa

    12 de Maio de 2014 as 9:01

    Será mesmo que os tribunais têm direito á dez por cento desse valor?
    Isto não me parece. Sou leigo nestaas questões de direito, mas não me parece que seja assim. o Governo é o gestor dos fundos do país e é o governo que coloca montantes para o Orçamento dos Tribunais para o fazer funcionar. Os tribunais cobram coimas, multas e mais multas e não entrega nada para o OGE mas continua querando viaturas novas, agua paga, luz paga, comunicações etc e etec. Mais ainda, sabe-se que nos trinunais por cada reunião (em média 3 por mês) os magistrados recebem por cada senha de presença cerca de vinte milhões de dobras. Isto sim é que precisa ser clarificado.
    No entanto isto não iliba do Senhor Gabriel de informar as instancias do Estado de direito sobre o montante da venda da carga dos navios.

  4. Consciência

    12 de Maio de 2014 as 9:25

    Penso que tela non precisa de selecionar melhor os extratos do discurso do presidente do tribunal Supremo, pois há outras passagens extremamente, declarações que devem suscitar investigação, pois que ouviu-se o presidente do Tribunal Supremo dizer que o poder anda a instrumentalizar a justiça, para perseguir políticos, de modo a tirar proveitos partidários e políticos. Disse ainda que a justiça não está ao serviço de políticos nem do interesse partidário. Disse mais: Onde não se respeita o princípio de separação de poderes, está a se encaminhar para um estado de tirania e ditadura! mas era bom que se procurasse investigar a acusação do presidente do Supremo Tribunal, sobretudo no que diz respeito a instrumentalização dos tribunais para a perseguição política aos cidadãos: A pouco e pouco estamos a saber de tudo! Mundo é de Deus!

    • H. Borges

      12 de Maio de 2014 as 15:43

      Muito bom comentário. Muito obrigado Sr/a Conciencia, pois tirou-me as palavras da boca. É exactamente neste ponto em reside a fronteira entre o jornalismo parcial e imparcial. Pois, a comunicação social que deu a conhecer estes trechos que cita do discurso do Presidente do STJ, por esta e por outros está conotada como “parcial”. Falo, claramente da RDP África. Mas agora pergunto, como conotar também quem esconde partes significativas e talvez mais sonante do discurso do representante máximo de um órgão de soberania? Onde pará a parcialidade ou imparcialidade daqueles que simplesmente tentam branquear declarações “bombásticas” de grande actores nacionais e, no entanto, em relação a outros casos é o sensacionalismo ao qual têm nos acostumado. Acho que o bom senso e o raciocínio coerente dos santomenses está mais doente do que a desonestidade intelectual de alguns dos nossos mais “conhecidos” profissionais.

  5. joana

    12 de Maio de 2014 as 11:34

    Querem 10% ? As decisões dos Tribunais são ditadas pela preocupação dos juízes obterem dinheiro para o cofre?. Algum jurista pode explicar-nos isso. O Tribunal tem que arrecadar receitas? Isso não é crime? O funcionamento do tribunal não depende do orçamento geral do Estado? Caso assim for, o cidadão corre sérios riscos a ver uma decisão a ser proferida pelos tribunais mediante os cálculos prévios de 10%. Isso é um perigo publico!!!

    • Manuel Vicente Sousa

      12 de Maio de 2014 as 18:39

      Consultar o código de custas judicias. Essa prática é corrente em todos os tribunais, variando apenas em percentagens.

    • djambatutu

      6 de Setembro de 2014 as 17:29

      Saudades Joana. Continuas a exercer a medicina no Porto?
      Tens ido à França? Noticias da Camélia? Que tens feito? Os teus filhotes estao bem? Cumprimentos ao teu marido Jorge Bonfim.
      A Zaidinha està na Guiné Bissau (no misterioso pais …), hà dias lembràmo-nos de novo de ti…nunca vamos esquecer-te, porque fazes parte da nossa vida. Lembras-te quando ela recebeu-te em casa dela , em Montreuil, em França? Enfim, sao recordaçoes! Saudades

  6. FEXA PATA

    12 de Maio de 2014 as 11:38

    Quando 1 ministro estava fora como advogado falava tanto de corrupção hoje é ele que esta metido 1000%. será que vão deixar passar essa msg?

  7. zeme Almeida

    12 de Maio de 2014 as 12:28

    Quando se entra no inferno transforma-se em diabo.Este primeiro ministro tanto criticou o seu antecessor,hoje, a cometer o mesmo ou pior?Aonde anda o senhor presidente da republica!Um primeiro ministro que falou tanto de corrupcao,hoje, está metido nisto de pé a cabeca?Nao acredito,muita vergonha

    • ASSASSINO

      16 de Maio de 2014 as 15:52

      Hoje, não. Sempre esteve!

  8. Martelo da Justiça

    12 de Maio de 2014 as 13:44

    Isto realmente está muito mal. Nunca ouvi um discurso tão violento proferido publicamente e dirigido a outro Órgão de soberania presente. Acho que o Presidente do Tribunal Supremo excedeu porque, poderia dizer as mesmas coisas, mas noutras palavras e no outro tom.
    Aos olhos de toda gente, a justiça vai muito mal em São Tomé e Príncipe. Insisto que deverá haver um consenso político para que se resolva essa questão fundamental para o desenvolvimento do Pais, antes que seja tarde. Não sei se ainda lembram-se da auditoria que foi feita aos cofres da justiça e que, segundo informações houve muitas anomalias e coisas mal esclarecidas. Seria bom que esse assunto fosse analisado para que o cidadão soubesse concretamente a que é que se passa. Agora, não acho bem que algumas pessoas estejam a tentar tirar proveito político dessa situação porque eu garanto-vos, se a situação de justiça não for resolvida, hoje é Gabriel Costa, futuramente poderá ser outro Primeiro-Ministro qualquer.

    • Maria não dá? Será?

      16 de Maio de 2014 as 15:59

      Não há duvidas que a justiça vai mal, pois ela está capturada pelo poder politico, mais concretamente por certos políticos nossos. Por isso praz-me muito esse discurso do Presidente dos Tribunais, espero que os Juízes agora, se firmem para defenderem a honra desta nobre profissão que está na “lama”, devido a ganancia dos políticos Santomenses e também de certos juízes que se deixaram “comprar”.

  9. Martelo da Justiça

    12 de Maio de 2014 as 14:03

    Acho que se deve resolver o problema dos 10% do valor da venda do crude, se bem que acho excessivo. Mas se está previsto na Lei tem que ser aplicado. Mas acho também que se deve resolver todos os outros problemas que padece a justiça. Porque o que se entende do discurso do Presidente do Tribunal Supremo é que o grade pecado do Primeiro-Ministro Gabriel Costa é ter tentado por a justiça em ordem, coisa que nenhum outro Governo fez apesar de toda gente reconhecer que as coisas vão muito mal nesse sector.

  10. Deçu Ça Tamem

    12 de Maio de 2014 as 15:05

    Senhor Zeme Almeida, não concordo em partes consigo quando tenta comparar este 1º ministro ao seu antecessor. Nada a ver! O seu antecessor fora acusado de forma instrumentalizada e injuriosa para que, quer o actual 1º ministro, quer os seus aliados tirassem proveitos políticos para ver se o povo afastasse do homem. Mas como verdade é verdade, por mais o queiram subvertê-la, o povo não se lhe virou costas e cá está: finalmente quem é ladrão: É aquele que foi acusado de ladrão, ou aquele que disfarçado em sério andou a chamar o outro de ladrão?? Já sabemos quem é ele: Agarre-o!!Agarre o Gabi, Agarre-o….

  11. joana

    12 de Maio de 2014 as 16:11

    Essa ministra da Justiça também não diz NADA sobre a Justiça. Senhora Ministra, a forma de resolver esse dilema é acabar com a pratica de emolumentos no Tribunal. Nos países Europeus e mesmo em Portugal isso não existe. Quem quer ser juiz sabe a priori que é uma função muito nobre, mas que, não conduz a nenhuma acumulação primitiva do capital. Essa gente só quer dinheiro. Como assim gente!!!

  12. Xuxanti

    12 de Maio de 2014 as 19:51

    Onde a fumassa a fogo com dinheiro nao se brinca isto ira aumentar a percentagem para ser gasto nas campanhas eleitorais que se avizinham depois querem culpa o Patrice Trovoada.

  13. mana

    12 de Maio de 2014 as 21:31

    É para saber!! De alice, leite, roberto ou bandeira, qualquer um pode ser presidente do supremo tribunal, procurador geral. Agora aguentam!!! Pedem ajuda ao camarada posser. Fui…

  14. pascoa

    13 de Maio de 2014 as 9:35

    É uma vergonha nacional o que o Presidente do STJ disse. Numa cerimónia desta natureza não se pode atacar desta maneira um 1.º Ministro, é necessário ter sentido de estado, mas não o Juíz Bandeira vem á Praça Pública demonstrar o nível medíocre e baixo do Presidente do STJ do nosso país e ficamos a saber que ele não tem nível para estar onde está.

    A justiça com tantos problemas e o discurso do presidente do STJ se resume à dinheiro, até apetece cantar a música ” oh oh oh oh djêlo bô ná buá fá”.

    Juízes Corruptos, juíz acusado de abuso de criança, continua a andar na Rua com carro de estado, se fosse o coitado do cidadão, nesta altura estaria preso, eles se protegem e não prestam contas à ninguém.

    O mais grave é que o presidente do STJ não tem razão!!!!!
    Sabiam que o tribunal andou a pedir descobertos bancários nos bancos comerciais?

    E sabem para que foi utilizado o dinheiro? Para comprar viagens dos senhores juízes, para pagar as senhas de presença dos senhores juízes,para comprar cabazes de Natal no valor de 14.000.000,00 para os senhores juízes.

    Agora eu pergunto: um tribunal deve pode pedir dinheiro emprestado na rua? A resposta é não. O Tribunal financia-se com o dinheiro do OGE e com o dinheiro que os cidadãos pagam por causa dos processos (e que é muito).

    Os juízes não são sérios, nem o seu presidente.

    Agora imaginem: se o banco que eles devem dinheiro tiver um processo em tribunal, acham que o tribunal será imparcial? Claro que não.

    Antes dos juízes exigirem que o 1.º Ministro cumpra a lei eles têm que ser os primeiros a cumprir a lei.

  15. pascoa

    13 de Maio de 2014 as 9:38

    Sabem qual é o valor do descoberyo bancário que os tribunais têm em banco comercial???????????

    4 biliões de dobras!!!!!!!!!!!!!

    E ainda reclamam 10% para irem distribuir como fizeram com o dinheiro da Rosema.

    Façam-me o favor!!!!!!!

  16. zeme Almeida

    13 de Maio de 2014 as 11:17

    Pelo que vejo atualmente em STP,é que está desposto niguem a falar da má governacao do senhor primeiro ministro Gabriel Costa,por medo de {reprezalia}.O negócio da venda do petroleo nunca o primeiro ministro se pre-dispos em clarificar do resultado da venda do petroleo dos barcos?O que me admira tanto aparecer gentes nestes espacos de comentários a defenderem este primeiro ministro de garras e unhas!

  17. Tribunal de Injustiça

    13 de Maio de 2014 as 11:25

    Sei perfeitamente que o rapazzzzz, esqueci o nome dele, haaaaaa, Gabinho Costa, deve exclarecer o parader do dinheiro da venda de mais de 8 mil toneladas de combustivel, mas ha outra coisa aqui, para o tribunal exigir isso deve Haver honestidade a partir do próprio tribunal onde vive muita impusera.
    É de recordar que algum tempo atras veio o antigo director da TVS Oscar Medeiro anunciar vários gastos feitos pelo diversos juízes, gastos esses sem justificativo por escrito, mencionando diversos juízes. me diz uma coisas como e que terminou aquelas afirmações, foi esclarecida o paradeiro dos justificativos, saiu pra que, com que finalidade, com que autorização, em beneficio de quem, será que e do povo santomense. não será que os juízes do tribunal, são aqueles que também querem fazer parte da equipa de corrupção que esta a crescer de forma assustadora principalmento no partido da troika, onde podemos encontrar 90 à 95 por cento dos corruptos deste pais, numa lista a liderar os cabeceiros desta troica.
    preocupam tanto com Patricio T., se ele merece cortar um dedo, na troika ha quem merece cortar um braço, se ele merece cortar um braço na troika a quem merece cortar pescoço e nao esta a ser cortado.
    Pra terminar, tribunal seja cumpridor da lei e depois para exigir os outros a comprirem.

    • SEABRA

      14 de Maio de 2014 as 11:58

      O nome dele, do 1° ministro de STP é Gabriel da COSTA.
      Em principio, nao é o TRIBUNAL quem decidi do que o governo deve fazer. Quer dizer que todo este discurso do Sàbio jurista, é um pouco pretencioso, porque nao tem cabimento, nem sentido, senao de atacar o 1° ministro, que alàs , é o objectivo do discurso…quando digo PM devia dizer, a pessoa do Gabriel, mais do que o chefe do governo.Trata-se de uma BIRRA simplesmente.
      Toda a razao é bôa e justificada, pela Mà Fé, para tentar destabilizar o Gabriel da Costa” c’est peine perdue…”!
      Gabriel nasceu com um grande carisma e vai sempre avançando, seja como fôr…serà ele um dia o presidente de STP, isto é uma certeza!!! Ele tem uma alta proteçao dos amigos do pais da força GB!!!

      • Maria não dá? Será?

        16 de Maio de 2014 as 16:09

        Que carisma, que quê? Um complexado, isto, sim!

        • mandja

          16 de Julho de 2014 as 0:37

          Maria, o que de que ele lhe fez…você também já lhe pertenceu…? Deixou-lhe, porque nao tinha estatura para estar com ele? Não é preciso se vingar. Maria chora muitíssimo e com muitos….

  18. Noite Escura

    13 de Maio de 2014 as 12:06

    Acham que o senhor Dr. José Bandeira, no cargo que ocupa iria falar da receita de venda do petróleo do célebre navio, em que cabia ao governo depositar os 10% dessa receita no cofre de justiça se não tivesse a certeza que está legislado? Deixemos da brincadeira! Por essas e por outras, STP está como está. Ninguém sabe nada, ninguém dá explicações. Só se sabe que a meia dúzia está cada vez mais rico e o pobre, cada vez mais pobre. Isto é que é Kuá non?

  19. estudante

    13 de Maio de 2014 as 17:31

    PREVARICATIO dos Juízes !!! Querem todos construir mansões e quintas na veste de funções públicas de administrar a justiça em nome do povo. Se dizer direito consiste em proferir uma decisão judicial, ignorando todos os recursos possíveis e imagináveis e ficar na espera dos 10%, acho que, a melhor decisão deste governo seria a de privatizar os tribunais. Assim, cada Juiz pode livremente fixar os seus porcentos em função da decisão que prolatar. Fui….

  20. Eusébio Pinto

    14 de Maio de 2014 as 7:56

    Autentica “lavagem de roupa suja na praça pública”!

    Tratando-se de dois órgãos de soberania, representados ao seu mais alto nível na mesma mesa, num fórum dessa natureza, em nada ficaria o Sr. Presidente do Supremo Tribunal a perder, se primasse por um pouco mais de cortesia e diplomacia, na abordagem do assunto que elegeu como parte do objecto da sua intervenção, ao invés dos violentos ataques proferidos contra o governo, na pessoa do Sr. Primeiro Ministro. Ainda que estivesse coberto de toda a razão (que me parece situar-se do seu lado), o momento requereria, da parte do Sr. Presidente do Supremo Tribunal, um elevado controlo emocional e grandeza de personalidade.

    Julgo que entre os dois órgãos de soberania em questão, existem canais apropriados, através dos quais o assunto poderia ser tratado de forma institucional.

    Mais do que as querelas ou “zangas de comadres”, os homens ao representarem os interesses do Estado, devem saber estar, procurando preservar sempre, em primeiro lugar, a própria imagem do Estado em causa, abdicando-se de manifestação de qualquer tipo de ódios ou rancores.

    Cumprimentos,
    Eusébio Pinto
    Luanda – Angola

    • Lua

      14 de Maio de 2014 as 22:27

      Senhor Eusébio Pinto! Esta gentinha infelizmente não sabe o que é institucionalismo. São pessoas que fizeram um curso e cairam de paraquedas em altos cargos do Estado para os quais não têm vocação nem aptidão. Num país sério este homem nunca seria o presidente de um órgão desta grandeza? Temo que ele não saiba ler e escrever em condições pela forma como se exprimia de forma emotiva e pouco racional com tiques de oralidade primitivos próprios de quem desejava mais uma peleja do que uma cerimónia daquela grandeza. Como ele, infelizmente, há umas tantas dúzias na república que repetidamente reproduzem estes desmandos convencidos que estão a dar um ótimo contributo para a causa da república e do institucionalismo. Não percebo o que é que pode dar uma pessoa na cabeça para representar o de mais negativo que pode ser exprimido, por palavras e gestos, numa cerimónia daquela natureza com alcance internacional. Ele deve estar totalmente convencido da grandeza do seu gesto e ato que deve estar pronto para voltar a reproduzi-lo noutras situações em prol da defesa dos seus pares. O pior é que a moda já pegou um pouco por todo o lado cá na república. Como é possível uma pessoa reproduzir um espetáculo tão degradante convencido que está a preservar a imagem da instituição que representa? Enfim!!! Só peço a Deus que livre os meus filhos e netos desta autêntica calamidade institucional e política e sobretudo desta gentinha tão impreparada.

      • Maria não dá? Será?

        16 de Maio de 2014 as 16:18

        Tens toda razão. Pois num país serio, Gabriel Costa nunca seria o Primeiro Ministro.
        Num país serio, os Tribunais não teriam sentenciado da forma que fez sobre os barcos!
        Num país serio, o governo teria respeitado as leis, depositando os 10% no cofre do estado, como instituído.

        Num país serio, muitos juízes não o seriam!

        Num país serio, o Presidente da Republica teria marcado as eleições.

        Num país serio, os políticos não encomendam as sentenças contra os seus opositores!
        Num país serio, os juízes seriam inspecionados.

        • Maria não dá? Será?

          16 de Maio de 2014 as 16:24

          Quis dizer, ” no cofre dos tribunais”

        • Almeida

          18 de Maio de 2014 as 11:25

          Tens razão!

          Num país sério um primeiro-ministro não andaria metido em lavagens de dinheiro.
          Num país sério um ex-primeiro-ministro e líder de um partido não andava fugido no exterior da justiça.
          Num páis sério um líder de um partido não andava fugido no exterior só regressando ao mesmo para concorrer às eleições.
          Num país sério um líder parlamentar não decreataria morte aos opositores em prol de defesa de interesses políticos.
          Num país sério um ex-primeiro-ministro que anda fugido no exterior teria que explicar como encontrou meios financeiros que fazem dele um dos mais ricos do continente estando a viver em condomínios privados que ciustam milhões de dólares sendo que ele nunca trabalhor para ter rendimentos desta grandeza.

          • Dias

            26 de Maio de 2014 as 9:46

            sitas inúmeros casos relacionados supostamente com uma só pessoa, mas não de muitas outras que que hoje são ricas e tiveram a haver com muitos casos? seja imparcial rapaz. Será que tens proveito doutros lados?

  21. augusta quaresma

    14 de Maio de 2014 as 10:39

    Se nem o Presidente do Supremo sabe do valor e se calhar do paradeiro deste dinheiro, que dirá o povo? Não era suposto este dinheiro entrar para o cofre do Estado para o benefício do cidadão?Amém sizu.

  22. PETER

    14 de Maio de 2014 as 13:07

    se fosse Patrice Trovoada o caso teria ido aos tribunais, porque lavou dinheiro, porque e traficante porque… porque.. Este caso deve se a justice, o primeiro ministro deve responder perante o tribunal e informar o povo sobre a venda desde petroleo,.
    caro Man Gabi da do cezar o que e do cezar, isto e uma das muitas palavras que aprendi te te na altura que eras o nosso chefe, agora fazes o acontrario? MXM

    • djambatutu

      6 de Setembro de 2014 as 17:34

      …sai deste corpo Afonso Varela, que a JOTA jà nao te quer, porque foste comprado pelo Patrice Trovoada. Jà nao és mais o pretendido homem dejusto e correcto. Estàs envenenado, podre…Varela nao dà mais, como a Maria!!!

  23. malebobo

    15 de Maio de 2014 as 10:15

    isto que aconteceu no tribunal, na abertura do ano judicial, pelas declarações do sr.jb, foi uma humilhação para o sr.1º ministro

  24. JOAO ALMEIDA

    15 de Maio de 2014 as 18:12

    Para começar, SAO TOMÉ nao é do senhor primeiro ministro e seus pares.Isso é mais uma prova q sao tomé esta de pernas para o ar. Se o primeiro ministro q é jurista nao cumpre as leis, o q se pode esperar do povo. SEJA COMO FOR ELE TEM Q EXPLICAR AO PAIS A ONDE É Q ESTÁ O DINHEIRO. O presidente da republica deveria intervir. É mmo uma maldiçao. Ate quando teremos afrente do governo um dirigente minimamente honesto?

  25. Riboqueano

    16 de Maio de 2014 as 9:37

    irem este Bandeira dai. A conduta deste homem não é recomendável para ocupar funções num órgão com esta cracterística. Ele será mesmo formado em ciências jurídicas? É difícil acreditar que alguém com este tipo de comportamento tenha uma formação deste género mais compatível para a argumentação racional do que para guerra como este senhor quer. Onde já se viu uma coisa desta? É isto que envergonha o povo e o país. Se ele não dá conta do recado vai fazer outra coisa em que ele seja mais capaz. Está na hora de começarmos a colocar os incopetentes e arruaceiros na rua e meter jovens cultos e com outra perspetiva nestas funções.

  26. Mario Francisco

    16 de Maio de 2014 as 14:58

    O problema dos 10% é sem sombras de dúvidas muito mais profundo. Hora vejamos, todos sabem que 10% de 5 milhões são quinhentas mil. O problema é que nem sabem o valor da venda, porque os documentos que confirmam o valor da venda ainda não apareceram.
    Se os tribunais tivessem competências para deixar cair o governo, quem sabe assim, já teriam recebido os seus 10% ou muito mais por via de chantagem. Uma pergunta frontal a que se fazer, se os tribunais tivessem recebido a sua percentagem será que o povo saberia o valor recebido?
    Em um governo, que elegeu a transparência e combate a corrupção como imagem de marca, não se entende como os destintos órgão não sabem nem sequer o valor da venda, muito menos o paradeiro do mesmo monto. Queremos transparência a todo nível.

  27. mandja

    16 de Julho de 2014 as 0:43

    É vo e Joana, à médica, amiga da Camelia, que esteve de passagem em França? Aquele que tomou o noivo da Zaida? Como é que o mundo é pequenino…ela está na Guiné e pensa muito em si Joana. Boa sorte, que Deus lhe dê vida para criar os seus filhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo