Política

Parlamento elegeu 5 novos juízes para o TC

A Assembleia Nacional elegeu na tarde de quinta – feira esta 5 novos juízes para o Tribunal Constitucional. Após vários adiamentos, a maioria parlamentar que sustenta o governo, garantiu a eleição dos 5 novos juízes conselheiros.

O maior partido da oposição a ADI, que tinha a possibilidade de apresentar 2 candidatos para o cargo de juiz conselheiro do Tribunal Constitucional, recusou indicar nomes para a eleição.

A resolução da Assembleia Nacional aprovada pela maioria parlamentar(MLSTP e a coligação PCD-MDFM-UDD), nomeia os 5 novos juízes do Tribunal Constitucional que deverão ser investidos nos próximos dias também pela Assembleia Nacional. Os 5 novos juízes do Tribunal Constitucional  são :

António Tomé Reffer Raposo que desempenha as funções de Procurador da República, Maria Alice Carvalho actualmente Juíza Conselheira do Supremo Tribunal de Justiça, Pascoal Daio ex-Presidente do Supremo Tribunal de Justiça e actualmente advogado, Carlos Stock Juiz Conselheiro cessante do Tribunal Constitucional, e Leopoldo Marques juiz conselheiro cessante do Supremo Tribunal de Justiça.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Madredeus.igreja

    14 de Fevereiro de 2019 as 22:29

    Porquê tanta pressa em eleger os juízes?

    Quando temos situações graves para ser resolvido.

    Quando é que o parlamento vai eleger alguém que tire lixo da cidade?

    Esses políticos, não resolvem nada da família Santomense

  2. Lino

    15 de Fevereiro de 2019 as 7:51

    Esta vergonha do caso rosema tem que ser resolvido
    Se nao resolver pela justica vai ser resolvido pela populacao de neves
    Temos menos de 15 dias para fecharmos estrada

    • apavorado

      15 de Fevereiro de 2019 as 10:02

      Se tentarem fechar a única estrada de Neves desta vez, irão ser borraçados, o país não poderá continuar sempre assim , com insubordinados que querem fazer o que lhes apetecem, deve haver autoridade do estado , esse governo deverá ser muito intransigente com indivíduos ou grupos alheios a norma e ética civil. Tentem organizar alguma sabotagem e virão o que acontecerá.

  3. Grupo Me-Zedo

    15 de Fevereiro de 2019 as 8:33

    Pelos vistos o Stok nao deu bolas ao ADI e foi em frente.
    Creio que essas peças que se vao saltando do ADI, e que nao sao poucas, vao mesmo deixar essa empresa ADI bem falida. A titulo de exemplo enquanto o Abnilde Oliveira deputado do ADI enquanto discursava na Assembleia seus colegas de bancada zombavam com ele em sussuros dizendo, tu és muito miudo vai com calma porque o PT nao vai te aturar a vida toda.
    Portanto o Stok realmente pensou em si, na instituição e nao no ADI. Ao menos que o problema de defesa de tachos nao deixa de atingir os adeistas.

  4. Alvaro Marques Cravid

    15 de Fevereiro de 2019 as 9:36

    O actual governo andou a criticar o anterior nesta matéria e está a fazer o mesmo. Isso é consumação da hipoteca do sistema judiciário pela assembleia nacional

  5. José Carlos Moreno Ribeiro

    15 de Fevereiro de 2019 as 14:07

    O poder judicial precisa sempre de se renovar!! Com profisionais é o que se recomenda. Força ao Direito e a esta carreira tambem na RDSTP. Descubramos com os novos eleitos esta especialidade: a Constituição e os seus meandros doutrinais aplicados à realidade juridico-legal neste país. Pelo cidadão pode haver sempre uma educação sublime nesta área. Parabens ao Parlamento (AN) e aos vencedores do concurso. Em Angola, outro país da CPLP, médicos licenciados em concurso para vagas são avaliados com valores de «1.6 a 18» sobre vinte…segundo notícias da Ministra da Saúde, na imprensa local. Um inquérito foi recomendado!!! A ver vamos como diz o Santo Tomé.

  6. Kwatela

    16 de Fevereiro de 2019 as 18:40

    Boa noite. Ao tela non lanço um desafio.
    Contratem um constitucionalista para nós explicar alguns contornos da nossa lei mãe.
    Alguém pode me explicar de quem é a competência para nomear juízes?

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo