Política

“País está calmo”, e a reivindicação dos militares foi satisfeita

Jorge Bom Jesus garantiu que o país está calmo, depois do confronto verbal que marcou a actualidade nacional entre o Presidente da República Evaristo Carvalho e o Governo.

O Presidente anunciou a convocação do conselho do Estado, para alegadamente travar a sistemática e premeditada subversão da ordem institucional no país. Uma ameaça para mostrar cartão vermelho ao governo, que mereceu resposta do Primeiro Ministro.

Jorge Bom Jesus, disse à Evaristo Carvalho, que tais acusações ou expedientes para convocação do conselho de Estado, só poderiam ter o objectivo de encobrir a a operação de luta contra a corrupção, em que estão envolvidas pessoas que se enriqueceram, enquanto o povo vive na miséria.

Um clima tenso, que segundo Jorge Bom Jesus está ultrapassado. «Tiramos ilações, há coisas a corrigir em nome da dignificação do Estado são-tomense. Em resumo o país está calmo, está bem, as instituições estão pacificadas, o entendimento existe. Temos o orçamento do Estado promulgado. Temos é que trabalhar, e relegar para o segundo plano as especulações», enfatizou Jorge Bom Jesus.

Na  última semana, depois de terem atiçado com as suas declarações públicas, as chamas de uma iminente crise política, o Presidente da República e o Primeiro Ministro, reuniram-se no Palácio do Povo, para fumarem o cachimbo da paz.

Para Jorge Bom Jesus enquanto primeiro ministro, a acalmia tornou-se mais evidente, após as negociações financeiras esta semana com as chefias militares. «Naturalmente que nós dissemos aos militares que sim», afirmou Jorge Bom Jesus.

O sim dado aos militares tem a ver com a actualização dos salários. O novo diploma remuneratório dos militares foi definido no ano passado pelo anterior governo, com o compromisso de ser implementado a partir de janeiro de 2019. «Os compromissos são para honrar em nome da continuidade do Estado. Este governo vai assumir as heranças, isto é como no casamento…., o bom e o mau. Há muitos compromissos que foram assumidos no ano passado em termos salariais, para começarem a ser materializados a partir de janeiro de 2019», explicou o primeiro ministro.

A actualização do salário dos militares, implica um aumento de 15 % para os oficiais e cerca de 25% para os sargentos. « São os militares, as várias promoções feitas, mas não só. Temos a Polícia Judiciária, os funcionários da Assembleia, temos o sector da estatísticas, a lista é grande», acrescentou.

A realidade económica do país, não permite aumentos dos salários. Aliás o FMI recomendou ao Governo, que congelasse todos os salários a nível da função pública.

FMI avisou que São Tomé e Príncipe vive uma enorme pressão, e Jorge Bom Jesus, pode ficar encurralado. Os funcionários da função pública querem respirar de alívio, face a enorme pressão económica e financeira. «Vamos todos trabalhar para arrecadar as receitas necessárias, mobilizar os financiamentos possíveis para concretizarmos aquilo que são os compromissos, e sempre conscientes de que as nossas receitas não cobrem as nossas despesas. Tem que haver o esforço contínuo do Governo no saneamento das finanças públicas para que possamos reduzir o défice do saldo primário», concluiu.

Abel Veiga

    9 comentários

9 comentários

  1. Alligator

    18 de Abril de 2019 as 15:55

    So as reivindicações salariais dos militares serão satisfeitas? e do resto do povo trabalhador, e que vive na miseria? Estes não merecem ver as sua vidas melhoradas, Sr Primeiro Ministro? Os militares têm armas e portanto são prioridade, e isto? Mas lembre-se que não foram so os militares que o elegeram. E alias os militares deixam muito a desejar, o que eles produzem para o bem de STP?

  2. Vanplega

    18 de Abril de 2019 as 17:59

    Se não chega senhor 1 ministro, arrombamos o cofre!

    Pega Pinta Cabra, o pai dele, Delfim Neves, Maria das Neves, Posse, Rafael,Quintas, os Pintos, uma corja deles que tenhem o bem do povo

    PJ, que faça um levantamento e veja o que podemos recuperar

    Eles estão carregado do bens que não lhes pertencessem

    Preende-los será um alívio a sociedade

  3. Separação de poderes violada

    18 de Abril de 2019 as 22:23

    Então ja pode começar a governar e por em prática o seu discurso de alavancar o país, ve se começa mesmo a alavancar alguma coisa porque so prender dirigentes de ADI não chega.

  4. Eu sou a mensagem

    19 de Abril de 2019 as 11:01

    Quanto ao aumento salarial dos militares, não há razões para isso. Os militares não têm o mau salário e sem contar com as regalias que têm. Conheço bem a história dos militares. Os que vivem ao redor do quartel não pagam a água e nem a luz. Tudo é o estado que paga. Os filhos deles têm transportes grátis para ir a escola. Os militares beneficiaram de todas as casas e compraram a tuta e meia, onde estavam hospedados os médicos cubanos, chineses e os antigos soviéticos no bairro militar. Tem combustível do quartel até para as suas viaturas particulares. São subvencionados em muitos serviços do estado. Usam a força para intimidar muita gente e viverem bem. Conheço muito bem a vida desses oficiais no quartel. Estão todos gordos. É só viver a custa do estado. O shr primeiro ministro devia antes, fazer um balanço dessa situação para averiguar se realmente merecem. Desde oficial até o sargento. Um bando de boa vida neste quartel. Uma vergonha. Não fazem absolutamente nada. Nem existe exercícios militar para tirar essas barrigas que eles têm. Peço ao primeiro ministro para não temer as suas intimidações. Manda-os ir trabalhar na roça e aumentar o salário àqueles de que realmente necessitam. Conheço muitos que trabalham e dão de todo o seu esforço para o bem do país e têm um salário de miséria. O shr primeiro ministro precisa de fazer um trabalho neste sentido, para avaliar, quem merece e quem não merece.
    Um bem haja a todos.
    Que Deus abençoe STP.

  5. Eu sou a mensagem

    19 de Abril de 2019 as 17:25

    Shr primeiro ministro, estou muito satisfeito com o seu trabalho de implementar muitas medidas que são necessárias para o país. Fiquei também satisfeito da maneira como o ministro da defesa desmantelou aquele exército do PT que um país como esse não tem condições. Já que o shr primeiro ministro disse
    que temos que arregaçar as mangas, ficaria ainda mais satisfeito se pusesse o shr ministro da defesa a trabalhar e fazer um levantamento das condições de vida que têm os militares deste país. S. Tomé e Príncipe não tem guerra, chamam tantos jovens desamparado para exercer o dever militar, da mesmo forma que entram assim saem. Não existe uma formação ou algo mais benéfico para que quando saem do quartel tenham onde pegar. A única coisa que fazem é mesmo a cerimónia para o juramento de bandeira. Restante do tempo, não fazem nada e o país deve bancar com todos os encargos. O shr grigadeiro Orácio teve um acordo que foi reivendicado. Mas será que foi apresentado as despesas desde os soldados até as altas patentes? O shr ministro da defesa tem a obrigação de lhe apresentar esses valores exorbitantes com a defesa. Já foi antes o ministro da defesa, conhece bem e tem experiência suficiente para fazê-lo. Num país tão pequeno como o nosso as forças armadas devia ter alguma rentabilidade. Não tem, ainda estão todos a viverem a custa do estado. As medidas têm que ser equitativas, porque é para todos. Um bando de gente que não faz nada. Conheço muitos que trabalham e dão o seu melhor para o bem de todos e infelizmente têm um salário de miséria. Não tenho partido político algum e nem sou simpatizante de algum. Mas da maneira que está a ir com essas decisões tão desequilibradas, não vai se dar bem.
    Se é para trabalhar, vamos a isso.
    Coisa séria, agora acabaram-se as brincadeiras.
    Um bem haja a todos.
    Que Deus abençoe STP

  6. Porto

    19 de Abril de 2019 as 23:49

    Refer o Sr. Primeiro Ministro que “Os compromissos são para honrar em nome da continuidade do Estado. Este governo vai assumir as heranças, isto é como no casamento…., o bom e o mau”.

    Isso é bonito de se ouvir mas revela uma grande falsidade e pouca seriedade da sua parte, que quando não lhe interessa, faz de conta que não é nada consigo.

    O homem que o Sr. protegeu, o Juiz Silva Cravid, regressou ao poder e desfez tudo o que os seus antecessores fizeram, inclusive, anulou um concurso já realizado. Onde é que o Sr. estava nessa altura, Sr. P. Ministro? Que vergonha.

  7. Porto

    19 de Abril de 2019 as 23:55

    *Refere

    Correção – havia referido que o Silva Cravid anulou tudo. Devo dizer que mantiveram-se as decisões/acórdãos elaborados pelos anteriores colegas pois, isso dava muito trabalho e como todos sabemos,
    O Silva não quer nada com trabalho, só quer mandar e fazer-se de importante.

  8. Manuel do Rosario

    20 de Abril de 2019 as 3:46

    Depois de resolver o problema salarial dos militares, seria bom rever o salário de base dos professores, desde jardim ao ensino secundário. Não é muito admissível aquele que forma o cidadão, desde simples funcionarios ao Presidente da República, seja gratificado de modo tão injusto como tem acontecido no nosso país. Não é preciso fazer como a “Chanceler Angela Merkel”. Mas é necessário reconhecer o esforço que fazem para garantir uma equitativa educação inclusiva, de qualidade e que conduza a resultados de aprendizagem relevantes e eficazes, mas que na velhice quase sobrevivem de esmola. Senhor Dr. Bom Jesus foi o melhor Ministro da Educação que a história de São Tomé e Príncipe conheceu desde nossa independência em 1975 e actualmente como primeiro ministro, é claro que irá estender as suas mãos à está classe, não obstante outras e grandes responsabilidades que tem pela frente.
    Já que falo da classe educativa estendo a outros fazedores. Senhor Primeiro-ministro sabia que há escolas em que encarregados e encarregadas de limpeza iniciam as suas atividades desde 06 horas da manhã e só saem as 18 ultrapassando 8 horas legais. Será que estas horas suplementares são compensadas ao magrito salário que auferem?

  9. Seabra

    29 de Abril de 2019 as 23:34

    No téla nón , só se manifestam os falsos perfis desde que ADI perdeu as eleições. ..os oposantes ADI são cambalacheiros e falsos em tudo. Estes bandidos da banda mafiosa do guru criminoso Patrice Trovoada.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo