Política

3 dias de luto nacional a partir deste sábado 27 de abril

A decisão foi tomada pelo Conselho de Ministros. Num comunicado publicado esta noite, o Governo anunciou que o conselho de ministros decretou «luto nacional de 3 dias a contar do dia 27 do corrente mês, salientando que no decorrer deste período a bandeira nacional será hasteada a meia haste e ficam suspensas todas as actividades culturais, e recreactivas de carácter oficial», diz o comunicado do conselho de ministros.

O comunicado acrescenta que os dirigentes do Estado são-tomense viajam este sábado para a ilha do Príncipe, para se reunirem com o Governo Regional. O Presidente da República Evaristo Carvalho, o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus, e os deputados da nação, fazem parte da delegação do Estado que segue este sábado para a ilha do Príncipe.

O Comunicado do Conselho de Ministros, adianta mais elementos sobre o momento de luto que o país vive, assim como medidas que estão a ser tomadas, para apurar responsabilidades pelo naufrágio do navio Amfitrit, e as soluções para reatar a ligação marítima entre as duas ilhas.

Leia o comunicado do Conselho de Ministros – CM Extraordinário

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Diáspora

    26 de Abril de 2019 as 21:41

    MUITO bem SR primeiro ministro. Só Conselho não envia dinheiro para grupo do Tó ZÉ CASSANDRA eles comem tudo. A quando da cheia em Outubro todo dinheiro que foi enviado pelo governo Central eles comeram tudo. Vem entregar as coisas pessoalmente.

  2. Ernestina

    26 de Abril de 2019 as 21:53

    Proponho que os políticos se desloquem de barco. Porque não?

  3. Dar César o que é de César

    26 de Abril de 2019 as 22:01

    Um AVISO não envia dinheiro para Tó ZÉ CASSANDRA, eles não entregam.comem todo ferro.

  4. Suite

    27 de Abril de 2019 as 6:02

    Muita coragem…

  5. Paulo Cruz

    28 de Abril de 2019 as 5:15

    Muinto bem. Só acho triste, que estando nós num mesmo Estado, e sofrendo do mesmo mal, o Tó Zé, la porque acha que tem Autonomia, avance sem se articular com o Governo Central e dá Luto no seu quintal. Isto não dev ser assim. è preciso primeiro se concertar uns com os outros, e depois tomar as devidas medidas.

    Espero que na proxima, não haja esta falta de lealdade institucional.

    • sol

      7 de Maio de 2019 as 8:03

      O Primeiro Ministro devia ser o primeiro a decretar luto e só o fez depois de alguém ter bombardiado isto na internet.
      FRANCAMENTE.-

  6. Sankara

    3 de Maio de 2019 as 15:46

    Eu compreendo um manifesto de solidariedade…
    Eu compreendo um apelo as instituicoes nacionais e regionais para resolver o problema de ligacao entre as ilhas…
    Eu compreendo que se apurem responsabilidades e ate se estude e acabe con o negoceu de exploracao de pessoas e mercaderías que “pissa”as líneas vermelhas e provoca accidentes cuando de enriquecimentos ilícitos se trata.
    Nao concordo; nao aceito que o manifesto apenas seja um ataque emotivo contra o Governo central, até porque debe ser feita, primeiramente, uma autocrítica em Principe. Nao se entende a maa gestao regional do tema da ligacao entre ilhas, até porque nunca reclamou o Gobernó regional os dos barcos que, numa passeata marítima, fora anunciado que agora sim tinhamos 2 barcos para unir por mar as ilhas. Que fiz o Governo regional com aqueles barcos? Porque nunca falou nada?
    O problema e que, até que nao temos accidentes mortais, preferimos o negoceu da exploracao de pessoas e mercadorias. Depois choramos e culpamos aos outros

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo