Política

Governo retoma o projecto da “Nova Cidade” que tinha sido lançado em 2014

O Governo de São Tomé e Príncipe anunciou através do Conselho de Ministros, que decidiu retomar processo de construção da nova cidade de São Tomé, na zona de Gongá.

O projecto que se baseia no alargamento da actual cidade de São Tomé, que é a mais antiga do espaço lusófono em África com mais de  400 anos de idade, foi lançado no mês de Outubro do ano 2014.

A empresa chinesa “Guangxi Hidroeclectric Contruction Bureau”, que ganhou no ano 2014, o concurso público aberto pelo Governo são-tomense para a construção da Nova Cidade , assinou acordo com o Estado são-tomense, e lançou a primeira pedra para o início das obras(a fotografia confirma a assinatura do acordo).

Um elemento importante a destacar, é que a empresa de construção civil da China, assinou o acordo com o Governo são-tomense e deu o início as obras, numa altura em que São Tomé e Príncipe ainda não tinha retomado as relações diplomáticas com a República Popular da China. ( Processo que só aconteceu no ano 2016).

Quando fez o lançamento da primeira pedra, a empresa chinesa Guangxi Hidroeclectric Contruction Bureau, prometeu concluir os trabalhos de edificação da Nova Cidade de São Tomé, em 58 meses.

O artigo seguinte publicado pelo Téla Nón no ano 2014, dá mais pormenores sobre o início das obras de construção da Nova Cidade de São Tomé :

 

Empresa chinesa Guangxi constrói a nova cidade de São Tomé

O actual ministro das Obras Públicas Osvaldo Abreu, foi um dos arquitectos do projecto. Era ministro das Obras Públicas a partir do ano 2012, tendo deixado o cargo, alguns meses antes do lançamento da primeira pedra para o alargamento da capital São Tomé.  O jurista Fernando Maquengo membro do partido MLSTP na altura no poder, foi o substituto de Osvaldo Abreu.

O projecto tinha como objectivo primeiro, o alargamento da cidade de São Tomé, que já se apresentava congestionada. Em segundo objectivo, desenhou-se a edificação paulatina da nova cidade na zona de Gongá. Um processo que deveria evoluir durante 20 anos.

Os artigos publicados na altura pelo Téla Nón, conferem os dados :

Nova cidade de São Tomé se expande por mais de 211 hectares

Mas em Dezembro do ano 2014, o projecto de alargamento da cidade de São Tomé, foi travado. O Novo Governo de maioria absoluta saído das eleições de outubro de 2014, anunciou que o alargamento que daria lugar a uma Nova Cidade de São Tomé, não era sua prioridade.

Patrice Trovoada chumba projecto da nova cidade de São Tomé e não só

A partir dos finais do ano 2016, o Governo de São Tomé e Príncipe, decidiu retomar as relações diplomáticas com a República Popular da China.

Dois anos depois, a expressão popular nas urnas, recolocou no governo, as forças políticas que haviam firmado no ano 2014, o acordo com a empresa Guangxi Hidroeclectric Contruction Bureau, da China, para construir por via de alargamento a Nova Cidade de São Tomé.

O projecto continua a ser prioritário para a família política que une o MLSTP, o PCD, o MDFM, e a UDD. O Conselho de Ministros do Governo sustentado por essas forças políticas e liderado pelo MLSTP, garante que o projecto vai ser retomado, e que a Nova Cidade pelas mãos da empresa Chinesa, vai sim nascer em Gongá.

Abel Veiga

    10 comentários

10 comentários

  1. Coerência

    28 de Janeiro de 2020 as 6:53

    Esperemos que esse desiderato se concretize. Uma nota curiosa, percebe-se claramente a militância do jornalista Abel Veiga para com o MLSTP. A forma de desenvolvimento da notícia evidência isso.

  2. Marito Trovoada

    28 de Janeiro de 2020 as 8:40

    Muito bem Governo do meu país…
    Apesar de eu ser de uma família politica que não seja da chamada Nova Maioria, eu comungo seus princípios e seus ideais.
    Colocar o povo e a satisfação dos seus ideais acima de interesses politico partidários.
    A retoma desse projeto de construção da nova cidade é incondicionalmente uma vontade do povo santomense que se sente sufocado com o aperto cada vez mais crescente da velha cidade de S.Tomé
    A agir assim, serei forçado a dar razão ao senhor Alcino Ponto quando em entrevista a Radio Nacional no ultimo fim de semana no programa para Frente STO, disse que 2020 poderá ser o ano de descolagem desse país.
    Se efetivamente for o ano de descolagem, todos teremos que nos por de acordo em torno dos grandes projetos.
    Felicito na verdade o Governo de JBL, mas não posso deixar de Felicitar o senhor Evaristo carvalho Presidente da Republica por estar a se aperceber que o país tem oportunidades de melhorar a sua performance e assim esta a agir como um estadista responsável apesar das pressões que ele vem recebendo por parte do seu partido ADI.
    Felicito também o senhor Abel Veiga pela retrospetiva que fez desse mesmo assunto.

  3. Arménio Camblé

    28 de Janeiro de 2020 as 10:51

    45 anos depois da independência, parece que finalmente o meu país de nome santo tem um governo com objetivos e metas.
    Antes tarde do que nunca.
    Que Deus abençoe o nosso país, que abençoe todos os santomenses.

  4. Albertina lluciano

    28 de Janeiro de 2020 as 12:47

    Sinto feliz por essa decisao corajosa do governo do meu País .
    Parabens.
    Mas peço que fiquem muito alerta nessas obras ,feitas pelos chneses para que elas sejam perfeitas e seguras.No mundo de construçoes feitas por chineses ja se observou muitas irregurdades nas construçoes feitas por chineses sao muito falsas e a falta de profissionalidades. Vejam o exemplo de construçoes que fizeram em Angola hoje 80% delas irao ser demolidas para refeze-las de novo. ALERTA… É BOM QUE EXPECCONEM CORRETAMENTE SEEAS OBRAS. Com chineses : É tudo muito bonito mas no fundo é tudo frazil e sem resistencia.
    Obrigado.

  5. TJ

    28 de Janeiro de 2020 as 15:05

    Uma cidade nova enquanto a velha está a cair aos bocados! Se o centro comercial continente é prova das capacidades de construção dos chineses, Deus nos acuda! Porque é que os pretos nunca conseguem fazer nada com inteligência ou qualidade? Porquê??

  6. Frederico Ferreira Major

    28 de Janeiro de 2020 as 15:24

    O povo está cansado de ler e ouvir anúncios de projectos concebido que nunca foram concretizados, chega de muito demagogia, não se deve confiar com o ovo na cloáca da galinha. São apenas cadernos de intenções, para agradar os menos atentos.

  7. SEMPRE AMIGO

    28 de Janeiro de 2020 as 15:26

    Senhor(a) COERÊNCIA!Pelo conteúdo do seu comentário sou forçado a concluir que você pretende plantar no ABEL VEIGA as suas eventuais cargas partidária.ABEL VEIGA não é a” perfeição profissiona”l.E todavia do melhor que ainda temos em matéria de informação .Rigor,imparcialidade,são os pilares orientadores da sua política editorial.Melhor que isso, talvez só no DUBAI. SEMPRE AMIGO

  8. Adeliana Nascimento

    28 de Janeiro de 2020 as 15:29

    A ideia é boa, mas. Quem foi que disse que esta centralidade terá que ser lá? Existem estudos que as sustentam?

  9. Mepoçon

    28 de Janeiro de 2020 as 17:51

    Sinceramente, como se não bastaste as asneiras feitas com o campo de milho, ainda querem estende-la gonga; a cidade de São Tomé precisa da obra requalificação e não da deslocação. Sair do litoral para interior, numa ilha de 964 km2? Depois de toda asneira feita com o projecto de alargamento da cidade num limite de ponte-graça, riboque,chacara, santo António, pantufo, agora estão sem norte. Se houvesse um pensamento de construir uma nova cidade em São Miguel e abandonar a cidade actual e transferisse todo serviço, incluindo o palácio e o governo, diria bem pensado, de modo a acabar toda esta mentalidade de concentrar tudo a cidade e assim criaria uma nova vida e nova gente, nova mentalidade, nova decência…

  10. Vanplega

    29 de Janeiro de 2020 as 6:49

    Xi eh sa projecto ni san tome cu principe, non tudaxi bele. Cume gelu so.

    Mais um projecto eeeeee, dinheiro desaparece, so fica projecto, e igual a tantos que ficou no papel.

    Aquela casa( planificacao ou cadastro) nao e de estado? Ta cair aos bocado eeeeee, nada fazer

    EU estou como SAO TOME, ver para crer

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo