Política

Trabalhadores prevêem colapso e implosão do sistema de Segurança Social de STP

Os funcionários e trabalhadores do Instituto de Segurança Social de São Tomé e Príncipe, entregaram ao Téla Nón, uma cópia do seu manifesto. O documento que deu entrada no gabinete do Ministro do Trabalho, Solidariedade, Família e Formação Profissional, detalha um conjunto de problemas que deixaram enfermo o sistema nacional de segurança social.

A morte do sistema é previsível, caso, segundo os funcionários, o Governo não avance com acções urgentes e imediatas.

O manifesto denuncia que os benefícios da segurança social não chegam a todos os cidadãos com direito aos mesmos, e não incluem prestações relacionadas com a saúde.

Mais grave é que «a própria instituição viola a letra e o espírito da lei de segurança social», denunciam os funcionários do Instituto Nacional de Segurança Social.

Gestão financeira, é outro grande quebra-cabeças do Instituto Nacional de Segurança Social de São Tomé e Príncipe. «Há dinheiros públicos aplicados à ordem da Segurança Social, em investimentos mal parados», refere o manifesto dos funcionários e trabalhadores.

A instituição perdeu cerca de 2 milhões de euros, em consequência da falência de um dos bancos comerciais da praça financeira santomense. «Sem que se verificasse qualquer reacção por parte do Estado», pontua o manifesto.

A justiça santomense é chamada para o debate. Os funcionários e trabalhadores do Instituto Nacional de Segurança Social, denunciam também decisões dos tribunais em favorecimento de partes, que acabaram por ter a possibilidade de “sacar” importantes fundos a segurança social.

Um instituto que em pleno século XXI não tem um sistema informático funcional. Os trabalhadores e funcionários, denunciam que o serviço informático recentemente instalado (2015) e que custou 400 mil euros, «revela-se actualmente inútil».

Os funcionários e trabalhadores do Instituto Nacional de Segurança Social, garantem que «se o governo não resolver, vai haver um colapso de todo o sistema nacional de segurança social contributiva».

O leitor deve conferir na íntegra a denúncia feita pelos quadros profissionais do Instituto Nacional de Segurança Social, para melhor entender, a iminência do colapso e da implosão no sistema nacional de segurança social.

Clique – MANIFESTO-SEGURANÇA-SOCIAL

Abel Veiga

    6 comentários

6 comentários

  1. Pascoal Carvalho

    22 de Julho de 2020 as 22:45

    quem precisa, precisa sempre.
    quem dá nem sempre pode.
    é de todo inadmissível em todos os sentidos.
    apenas mais um grão de areia nos já apertados sapatos nossos.

  2. Vexado

    23 de Julho de 2020 as 7:11

    Se o próprio subscritor Hernani, o famoso dono do instituto, proferi decisões contrárias a lei prejudicando os cidadãos.
    Ele próprio recebe uma fortuna enquanto inspector mor, pelo que deviam reduzir esses salários chorrudos.

    Se perderam valores com banco Equador deviam ficar com o edifício e serem mais célere na atribuição das prestações sociais que as pessoas têm direito.

    A sra. Nani recebeu formação de informática ela devia actualizar o sistema.

  3. pais real

    23 de Julho de 2020 as 10:12

    Em primeiro lugar felicito os funcionários da segurança social pela coragem que tiveram em denunciar tais situações que provam o desmando total nas instituições da República que são lideradas por pessoas sem competencia nenhuma apenas por serem camaradas de partido e que vão para os sectores para delapidar e subtrair o que existe. Outro aspeto é a decisão ilegal do Tribunal Supremo em reconhecer os direitos de alguns trabalhadores das alfândegas que receberam uma fortuna da Seguranca Social sem fazer esforço nenhum.Houvi muita gente a comentar sobre este caso em SãoTomé. Temos que parar com estas brincadeiras. A sensação com que fico é que o País funciona para alguns chamados de Chicos-Espertos. Esses inventam uma serie de direitos que mesmo ilegais são até reconhecidos por tribunais. Enfim só com Cristo porque não tem tenho esperança no Jesus de Sao Tome…

  4. Sempre atento

    23 de Julho de 2020 as 10:58

    Agora é que vai… Problema grave dos sucessivos governos. Benefícios dos reformados em risco. Vamos lá ver se é desta vez que vão chamar a responsabilidade os grandes corruptos que lá passaram, mas creio que não porque em São Tomé toda estas situações dá em nada 0. Ninguém chama ninguém porque todos têm rabo na estrada os tribunais são manipulados. Mais um caso para depois ser evaporado. Infelizmente os nossos políticos estão todos infernos, impotentes e sem autoridade. Esse manifesto vem num momento muito mau em que a pandemia afundou a economia (mãos atadas). Quando em casa falta pão ninguém tem razão. O que vai ser desse país e do povo? Até quando? Eleições após eleições, governo entra governo sai o toque muda e a música é a mesmo. Misericórdia.

  5. Crisotemos Café

    23 de Julho de 2020 as 14:45

    Os políticos santomenses pensam que aquilo é carteira da Mãe Joana. Sempre enviam para lá seus comissários políticos, sem experiência, capacidades nem autoridade.

    Este individuo, é um caso, houve mais incompetentes que lá estiveram, pessoas que nem conseguiam diferenciar o Norte do sul.
    Tristeza

  6. Joni de cá

    23 de Julho de 2020 as 18:20

    Viva Stp independente…….

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo