Política

Arroz ofertado pelo Japão financia a democracia e projectos sociais em STP

O governo considera o Japão como um dos principais financiadores do sistema democrático do país. Através do arroz que oferece ao arquipélago, o Japão criou um fundo de contrapartida, que financia diversos projectos sociais e económicos e garante a realização de todos os actos eleitorais em São Tomé e Príncipe.

Todos os anos o Governo do Japão assina com São Tomé e Príncipe um acordo de donativo alimentar. Esta terça – feira 2 de Agosto foi mais um dia marcante. Centenas de toneladas de arroz são ofertados ao arquipélago. Para 2022 são 1150 toneladas de arroz.

Um donativo avaliado em 1 milhão e 500 mil euros. A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Edite Ten Jua, declarou na cerimónia de assinatura do acordo de donativo, que «a ajuda alimentar do japão representa uma assistência que ultrapassa o alimento, na medida em que os fundos provenientes da venda do produto, germina meios financeiros, tão importantes para a economia de São Tomé e Príncipe», precisou a ministra.

Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Edite Ten Jua
Assinatura do acordo de assistência alimentar no Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação

O donativo em arroz é vendido ao preço de 13 dobras o quilo, equivalente a cerca de 50 cêntimos do euro. Noguchi Shuji embaixador do Japão, definiu a ajuda alimentar nipónica como um contributo para segurança alimentar das populações mais desfavorecidas.

«Apoia o governo são-tomense no reforço da segurança humana num contexto socioeconómico difícil afectado pela pandemia da Covid-19 e pelo aumento dos preços dos cereais», declarou o embaixador Noguchi Shuji.

Para além de financiar diversos projectos sociais e económicos, com impacto na melhoria das condições de vida das populações, o fundo resultante da venda do arroz, tem sido o principal garante do exercício da democracia no país.

«Esta abordagem permitiu ao Governo do Japão financiar projectos tais como a organização de eleições legislativas, autárquicas e regionais, bem como a organização das eleições presidenciais na República de São Tomé e Príncipe», reforçou o embaixador do Japão.

Dados apurados pelo Téla Nón, indicam que nas eleições presidenciais de Julho do ano passado, e através do fundo de contrapartida da venda do arroz, o Japão concedeu 760 mil euros, para organização e realização das eleições.

Assinatura do acordo de assistência alimentar para o ano 2022

A Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Edite Ten Jua, confirmou o papel da cooperação japonesa como garante do financiamento aos actos eleitorais no país.

«O japão tem sido um parceiro fundamental neste processo na medida em que os fundos de contrapartida gerados destes acordos de assistência alimentar, têm provido sucessivos apoios institucionais à Comissão Eleitoral Nacional, os quais têm sido essenciais para a plena realização dos processos eleitorais», referiu a chefe da diplomacia são-tomense.

Para as eleições legislativas e locais de 25 de Setembro, o governo já solicitou mais apoio do Japão, para financiar as actividades da Comissão Eleitoral Nacional.

Abel Veiga

FAÇA O SEU COMENTARIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top