Sociedade

Desaparecidos “ad aeternum”

8 homens são-tomenses, 8 pais, 8 Chefes de Família são-tomense, não puderam celebrar o natal com os seus enti-queridos. Não puderam sentar na cabeça da mesa na noite da ceia do natal. Dezenas de outros chefes de famílias também não puderam fazê-lo, por doença, ou porque a morte que é certa enquanto há vida, os arrebatou para o descanso eterno.

Mas, o caso dos 8 chefes de família são-tomense, que o artigo retrata é insólito. Desde 19 de junho que se fizeram ao mar ao bordo do Navio Santo António, transportando mercadorias para a ilha do Príncipe. Não chegaram ao destino, e nunca mais foram vistos. Nem os 8 tripulantes, nem o navio Santo António.

Foram dados como desaparecidos pelo Governo. 6 meses depois da partida do Navio Santo António do porto de São Tomé rumo ao Príncipe, os 8 cidadãos nacionais continuam na lista de desaparecidos.

O Ministro da Defesa e Administração Interna, Arlindo Ramos, prometeu em Agosto passado encontrar uma explicação para o caso. O Ministro garantiu que no mês de Outubro, um navio hidrográfico estaria nas águas nacionais para descobrir se o navio Santo António está no fundo das águas nacionais. «Portugal em Outubro vai nos enviar um navio hidrográfico para nos permitir, se esse navio estiver no fundo do mar, localizar este navio», afirmou o Ministro Arlindo Ramos num esclarecimento prestado na Assembleia Nacional. Pode ouvir as declarações do ministro Arlindo Ramos.

1 –

2 –

Outubro passou, e oficialmente nunca foi anunciado a presença de qualquer navio hidrográfico nas águas nacionais em busca do desaparecido Santo António. O Ministro da Defesa e da Administração Interna, também nunca mais falou sobre o caso. Arlindo Ramos nunca mais disse ao país se o navio hidrográfico ainda está a caminho, ou se já vasculhou as águas nacionais. Se encontrou o Santo António desaparecido, ou se afinal o que disse no parlamento nunca se realizou de facto.

2017 está no fim, os familiares dos 8 membros da tripulação do desaparecido navio Santo António, celebraram o dia de natal-dia da família, com lágrimas nos olhos. A angústia persiste, porque é mais fácil aceitar a morte, do que o desaparecimento sem pistas e parece ser para eternidade.

Onória Gomes, esposa de Angelo Gomes contramestre do navio Santo António e dado como desaparecido pelas autoridades, expressou para o Téla Nón, a angustia de passar o dia do natal com os seus 4 filhos, sem a presença do pai. Está dado como desaparecido, desde junho passado. «Não tivemos natal. Estou com 4 filhos e sem apoio de nenhuma instituição», afirmou Onória Gomes.

Enfim, São-tomenses desaparecidos e o silêncio do Governo indicia que pode ser para sempre.

Abel Veiga

 

 

    9 comentários

9 comentários

  1. Carlos Queirós Filho

    26 de Dezembro de 2017 as 19:56

    Meus Senhores. Vocês acreditam no que este Governo diz? Estão a perder vosso tempo. Um Governo que quer até mudar o fuso horário de STP, coisa que existe a seculos e é mesmo assim porque estamos na Latitude e Longitudes zero, para passar para +1. Nós não somos nem Gabão nem Angola. Porquê +1? Alias isto deveria ser uma Lei passada pelo Assembleia e não Governo. E mais aonde estão os estudos que a sustentam? Muda só? è casa de Mãe Joana? Estamos f.didos

    • Maria Silva

      26 de Dezembro de 2017 as 23:44

      É a casa do pai do patrice trovoada, por isso “ muda “só sim , quem não gostou que se mude de país !!!

      • Sem Complicaçao

        26 de Janeiro de 2018 as 16:13

        Concordo, que deixam o homem trabalhar,todos os partidos ja mandaram ,e o que fizeram nada, entao sò assistem e nao comentem

    • MIGBAI

      27 de Dezembro de 2017 as 12:36

      Devia era ser acrescentadas 4 horas a mais.
      Só assim se trabalharia mais em favor de uma evolução que tarda em existir.
      Que o atual governo tenha coragem e altere como deve ser o horário e ponha mais quatro horas e não uma só.

  2. Vicente

    27 de Dezembro de 2017 as 12:56

    Meus caros amigos, comentários não tenho, mas lá dizia o meu AVÔ:Nganha cu zela cu passá bê óssó mendê ni liba duro.

  3. Daniela

    27 de Dezembro de 2017 as 20:26

    S.Tomé não é empresa de nenhum governo o país é do povo santomense,ñ é herança do primeiro ministro! Não! Governa sim com e justiça é isso que o país é o povo povo precisa

  4. Antonio

    28 de Dezembro de 2017 as 12:54

    Nas próximas eleições serão reeleitos pelo povo saotomense

    • VM

      2 de Janeiro de 2018 as 15:33

      Com maioria absoluta ou qualificada. Como disse alguém em tempos,e acrescento, o povo santomense é como relógio sem cabeça….

  5. Rapaz de Riboque

    4 de Janeiro de 2018 as 11:44

    Este pais foi e sera sempre governado por corruptos desde que se tornou independente ainda nao trve ninguem honesto a governar o MLSTP foi governo a tantos anos nao fez nada para o desenvolvimento do pais entrou este so sabe os seus membros roubar mas o povo merece porque por algumas dobras sao cspazes de se venderem, pena sao os inocentes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo