Sociedade

Alcoolismo crescente põe NÍQUEL no sangue dos são-tomenses

O consumo excessivo do álcool e das drogas ilícitas em São Tomé e Príncipe, principalmente no meio escolar, é um dado adquirido e comprovado por estudo científico realizado no terreno e divulgado a nível internacional.

Isabel de Santiago, cidadã são-tomense e quadro da faculdade de medicina de Lisboa, liderou o estudo, que decifrou o alcoolismo como problema de saúde pública no país.

Diagnisticado o problema que ameaça o futuro de São Tomé e Príncipe, decidiu empenhar-se na promoção de acções preventivas, que possam desviar os jovens são-tomenses do caminho sem futuro que é o consumo excessivo do alcool. « Se o teu filho te ver a beber de pequenino, ele vai fazer igual. Por isso é que eu quero retirar-lhes de casa, com apoio das equipas dos escuteiros e de outros voluntários», afirmou Isabel de Santiago.

Segundo a investigadora da Faculdade de Medicina de Lisboa, muitas famílias pobres castigadas pelo alcoolismo, já se manifestaram disponíveis para dar outro rumo de ida aos jovens. «Tenho uma lista vastíssima para começar a retirar as crianças do contexto das famílias e com a autorização dos pais», assegurou.

Ao mesmo tempo deve ser lançado em todo o país um programa de sensibilização da população para o perigo que o álcool e as drogas ilícitas, representam para a saúde pública e para o futuro da juventude. «Estou a fazer um projecto para mobilizar a sociedade neste capítulo de sensibilização e educação para saúde», acrescentou Isabel de Santiago(na foto).

O caso é sério. O estudo realizado pela faculdade de medicina de Lisboa sobre a prevalência do álcool no meio escolar em São Tomé e Príncipe, permitiu recolher amostras de bebidas que são consumidas em algumas regiões do país.

Segundo Isabel de Santiago(na foto), a análise das amostras nos laboratórios de referência em Lisboa, indicou a presença de Níquel. «No caso de Lembá(distrito ao norte da ilha de São Tomé), já tenho resultado das análises dos álcool que recolhi em duas roças, e que foram analisadas no laboratório de estudos farmacêuticos e posteriormente enviados para o laboratório nacional de engenharia civil em Portugal. E confirmaram a presença de níquel nos álcool», anunciou a investigadora da faculdade de medicina de Lisboa.

Segundo os estudos, Níquel, é um metal pesado que normalmente se encontra nas baterias(pilhas). «É um catalisador», explicou Isabel de Santiago.

Os estudos prosseguem, para desvendar o impacto que o niquel pode ter, sobretudo na mente do homem. «Neste momento está um toxicologista da minha universade a medir o impacto que isto tem na cabeça de um ser humano», frisou Isabel de Santiago.

O estudo que reflecte o consumo excessivo do álcool em São Tomé e Príncipe, já gerou alguma polémica no arquipélago, sobretudo no seio da classse dirigente do país. «Ninguém me vai conseguir parar. Desde logo porque sou são-tomense. São realidades que nos assolam de tal forma, em que os jovens estão a entrar num consumo desviante causado pelos traficos», declarou Isabel de Santiago.

Alcoolismo se apresenta como u problema de saúde pública em São Tomé e Príncipe, mas não só. É também um problema de justiça para as autoridades competentes resolverem.

A investigadora da faculdade de medicina de Lisboa, que é cidadã são-tomense, faz questão de colocar a disposição dos leitores as suas referências profissionais, para dissipar quaisquer dúvidas sobre a credibilidade do Estudo realizado no país.

Clique – 2018_02_10_PhD CAML_CV candidato_Isabel Maria Rodrigues Fernandes de Santiago_IDS_PT

Téla Nón

    11 comentários

11 comentários

  1. SEABRA

    15 de Fevereiro de 2018 as 13:01

    Conheço muitos adultos que bebem como um funil…muitos dirigentes politicos e responsàveis politicos, também sao atingidos pelo alcoolismo e certos produtos ilicitos…eis a maneira que o recém mulçumano (convertido pelo casamento com a Lalla a maliana), Patrice TROVOADA, encontrou para embaralhar as mentes sao-tomenses, que estarao num estado de inconsciência total/com as memorias adormecidas paralizadas pelos alcool e droga. Assim, o senhor GATUNO-VAGABUNDO, com a sua Clyde (como socia do “larapionismo”), poderà servir à altura o seu Boney….é o casal Boney and Clyde (dos mais RELES do novo mundo )da Africa, que roubam sem serem tromentados pelo POVO, que é tao MOLE e IGNORANTE , que se deixa TORTURAR sem reagir (contra factos nao hà argumentos).

  2. O Adventista

    15 de Fevereiro de 2018 as 15:50

    Qdo eramos os unicos a falar sobre o uso de Bebida alcoolica, alguns dizem que um pouco nao faz mal, outros falam k o corpo precisa de alcool artificial, outros ainda pk Jesus fez milagre transformando agua em vinho…em quê que os nossos jovens precisam acreditar? O porque de campanhas contra o uso de Alcool…Precisamo refletir no mal k fizemos as futuras gerações

  3. ANCA

    15 de Fevereiro de 2018 as 16:48

    É de louvar o estudo e as ações desenvolvidas ou que virão a ser desenvolvidas para sensibilizar a população e juventude, cidadã nacional Isabel de Santiago.

    Sabendo de que jamais dispomos de instituições que possam dar apoios e abrigo aos jovens, fica a questão mediante o que está escrito acima;

    “« Se o teu filho te ver a beber de pequenino, ele vai fazer igual. Por isso é que eu quero retirar-lhes de casa, com apoio das equipas dos escuteiros e de outros voluntários», afirmou Isabel de Santiago.”

    “«Tenho uma lista vastíssima para começar a retirar as crianças do contexto das famílias e com a autorização dos pais», assegurou.”

    Vai lhes enviar ou colocar onde? Com que permissão institucional/familiar?
    Penso que o País Território/População/Administração dispõe de um Ministério de Segurança Social, de um Ministério de Saúde, embora não haja nenhuma instituição de proteção de menor.

    Não obstante a causa nobre, os estudos e investigação a sensibilização, quando se trata de retirar crianças a famílias, por iniciativa somente de um cidadão cidadã, sem envolvência das instituições nacionais, os responsáveis, os Ministérios da Saúde, Ministério da Justiça, Ministério da Segurança Social, a Policia Nacional, a PIC, o Presidente da República, o Primeiro Ministro, a sociedade civil organizada, deveríamos procurar inteirar da situação.

    De notar que as palavras da cidadã nacional Isabel de Santiago

    “Por isso é que eu quero retirar-lhes de casa, com apoio das equipas dos escoteiros e de outros voluntários», afirmou Isabel de Santiago.”

    “«Tenho uma lista vastíssima para começar a retirar as crianças do contexto das famílias e com a autorização dos pais», assegurou.”

    Se se existe um plano para esta ação é de conhecimento publico institucional nacional?

    Atenção trata-se de menores, jovens, merecem proteção pública institucional, das nossas instituições e do País, devemos envolver saber profundamente as razões os planos de retirada das crianças as famílias.

    Quero ressalvar que é uma boa causa a investigação, os estudos, a sensibilização, mas quando se trata de retirar crianças a famílias, sem saber para onde elas vão, que acompanhamento das instituições nacionais vão ter, deve envolver as instituições nacionais de direito, a sociedade civil organizada.

    Porquanto devemos proteger as nossas crianças, pois julgo que se os pais bebem também devem ser algo de atenção e sensibilização jamais somente as crianças e jovens.

    Depois sabemos das redes de tráficos de menores que existem por este mundo fora para exploração, quantos crimes se cometem com menores e jovens( na Igreja, religião católica, o recente casso na academia do desporto do EUA, dentre outros por este mundo fora) por este mundo fora em nome de causas nobres, tenhamos muita atenção e cuidados, quando se evoca tais causas e ações, é de louvar mas deve envolver instituições nacionais, sobre tudo o Ministério da Justiça, o Presidente da Republica.

    Quando a esmola é demais o santo desconfia por quanto até hoje o santos da casa nunca fizeram milagres nesta matéria, sem ofensa para a cidadã Isabel Santiago.

    És de São Tome e Príncipe, acredita em ti, és capaz

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deusa abençoe São Tomé e Príncipe

  4. ANCA

    15 de Fevereiro de 2018 as 17:50

    A problemática dos menores jovens SãoTomenses, põe cerne da questão os problemas no seio da sociedade e Famílias SãoTomenses enquanto pilar da sociedade.

    Os problemas de nascimento prematuro, risco de morte no parto, má nutrição infantil, maus tratos infantis, meninos de rua, de violência domestica, violência sobre menor e jovens, prostituição infantil e jovem, gravidez na adolescência, o alcoolismo, o tabagismo, o consumo de drogas, trabalho infantil,o rendimento das famílias SãoTomenses, etc, etc,… são problemas sociais, existente dentro da família SãoTomenses, logo com reflexo na sociedade SãoTomense, julgo ser de conhecimento público das instituições nacionais.Existem estudos, existem números estatísticos, existem dados, existem factos.

    São questões de saúde pública, de pobreza, de miséria, de fome, de falta paz social, atraso cultural, questões de rendimento, questões de educação, questão de justiça.

    A respostas para todas estas questões jamais deve ser de ordem somente particular ou particularizada, ou individual, pois trata-se das questões de cidadania de menores e jovens, sendo de conhecimento institucional público, deve merecer envolvimento, conhecimento das instituições públicas local, regional, nacionais, da sociedade civil organizada, jamais somente de iniciativa de um cidadão ou cidadã nacional

    É de louvar toda a investigação esforço de sensibilização ação que se desenvolve para dar respostas as estas problemáticas sociais culturais.

    Mas quando um cidadão diz

    “« Se o teu filho te ver a beber de pequenino, ele vai fazer igual. Por isso é que eu quero retirar-lhes de casa, com apoio das equipas dos escuteiros e de outros voluntários», afirmou Isabel de Santiago.”

    “«Tenho uma lista vastíssima para começar a retirar as crianças do contexto das famílias e com a autorização dos pais», assegurou.”

    Pois que as respostas a estas problemáticas deve ter em conta e envolver instituições publicas nacionais, jamais somente autorização dos pais ou familiar par efeito, pois que envolve direitos dos menores, direitos deveres garantias dos cidadãos, proteção dos menores é uma questão de Estado de Direito.

    Para citar somente um exemplo de relembrar o caso da casa Pia em Portugal, quando se trata de proteção de menores, as instituições nacionais, o Presidente da República, o Ministério da Justiça, os Tribunais, Ministério da Saúde, o Ministério da Defesa Ordem Administração Interna, Ministério da Segurança social, a sociedades civil organizada, devem ser chamados a envolver.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

  5. Sandwiche

    15 de Fevereiro de 2018 as 20:41

    Alcoolismo crescente põe NÍQUEL no sangue dos são-tomenses, com destaque para um conhecido ex juiz, que passou a ser um dos maiores “bisneiros” da sociedade santomense. Ja não consegue trabalhar sem beber, e quando bebe não consegue trabalhar.

  6. aam

    16 de Fevereiro de 2018 as 17:50

    estou alarmada com a decisao da dra isabel,com que autoridade a dra isabel santiago vai tirar os filhos de saotomenses e de casa ? porque nao se preocupa em criar programas de apoio as familias com varias equipas multidisciplinares e em fazer a recuperaçao das familias apoiando os pais e restantes familiares a deixar de beber , a terem uma orientaçao em educar os seus filhos para serem ambos cidadaos com cidadania sem terem de serem expostos a autoridade de alguem que faz investigaçao , que é de louvar, mas o modo de continuar o projecto é muito basico e redutor.assustador.

    para onde orientaria essas crianças , a quem seriam entregues , serao mais felizes em casa com a familia em programa de recuperaçao e inserçao ou com desconhecidos ? os pais e adultos podem embebedar-se que nao ha problema , nao podem sair de casa?,ficam presos , nao ha recuperaçao para os adultos?em portugal existe os amigos alcoolicos que sao programas de recuperaçao

    quando se afirma de modo tao perentorio aquelas tomada de posiçao direi que a esmola é muito ,mas mesmo muito pobre para o problema , modo facil de resolver _ tirei .entreguei e fico com consciencia tranquila ou completei a minha investigaaço

    todos sabemos que paises em que nao ha grande probabilidade de emprego , o orçamento do estado é de 130 milhoes ,muito menos do que alguns politicos em portugal sao acusadose estao em tribunal, bem como algumas empresas . de desviar e pelo que andam em tribunais ,muito menos do que o apagao das finaçsa deixou voar 10 mil milhoes de eurosem minutos , em que o ensino basico e preprimaria ,secundario tem muitas deficiencias , em que a escola portuguesa funciona isolada como privada , que apoio dao aos professores sao tomenses?qual a participaçao e inclusao dos sao tomenses e exigencia no ensino?

    tem uma faculdade em que interfere na dinamica do país? e sai de ter uma atitude como tem na europa cada um que se arranje’porque nao faz programas de voluntariado e dinamiza , educa os jovens com programas que lhes possa ser util para desenvolver projectos para serem autosuficientes , uma vez que ha muito tempo de lazer .

    quando a participaçao dos cooperantes for exigente para os formandos e lhes exigir responsabilidade e saber, talvez tudo mudo ,porque o facilitarismo nao ajuda nada, cria preguiça e pior ainda da a sensaçao que se sabe e nao se sabe mesmo nada

    porque os parlamentares sao alguns tao sem postura a discutir os problemas do pais ,porque nao participam tambem na formaçao dos jovens ,e adultos ,criam escola de diplomacia

    dra isabel santana deixou -nos em alerta e com taquicardia

    • Sandwiche

      16 de Fevereiro de 2018 as 21:40

      Alarmada ou alarmado?
      hichichic

  7. Matrusso

    16 de Fevereiro de 2018 as 22:38

    Claro e evidente. O resultado do aumento de impostos as bebidas alcólicas certicadas surgio mais rapido que esperava. É verdade que aumentou consumo de bebidas feitas em casas, sem qualquer controlo e segurança, sem certificado e de graduação desconhecida. Esses está a trabalhar, mad para aniquilar este povo. Voces ainda vão sofrer mto. Tenho pena.

  8. Matrusso

    17 de Fevereiro de 2018 as 4:39

    Há aqui uns parvos a querer corrigir o que não esta errado. Lamento Sandwiche, mas é triste o seu parecer.

    • Sandwiche

      18 de Fevereiro de 2018 as 11:13

      As raparigas dizem alarmadas mas os rapazes devem dizer alarmados.Certo?
      E Matrusso antes de andar por ai a delirar procura ser mais inteligente. E verdade que quando se tem apenas um neuroneo e ainda por cima a funcionar mal, a capacidade de raciocínio é praticamente zero, mas também….

  9. Clemilson Brasileiro

    17 de Fevereiro de 2018 as 17:08

    Eu bebo sim e estou vivendo e tem gente que não bebe esta morrendo ? kkkkk

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo