Opinião

Apelo de uma mãe, diante dos impactos de um crime ambiental oficializado

Se o mundo todo parou por causa do vírus da Covid-19, se o mundo todo sensibilizou-se com o perigo desta doença, por favor escutem o apelo desta mãe, desta cidadã, que todos os dias assiste, em primeira pessoa, a partir das 18:00 até as 7:00 horas da manhã do dia seguinte, o sofrimento dos seus filhos e do seu povo que se asfixiam e morrem lentamente por causa da queima oficial e irresponsável, a céu aberto, de lixo na Lixeira da Penha.

Sim, morrer lentamente… muitos estão a contrair doenças crónicas, cancerígenas e a morrer sem um diagnóstico ou investigação específica das verdadeiras causas.

A problemática da queima indiscriminada e até criminosa de toneladas de lixos na Penha é sobejamente conhecida por todos, e ao longo dos anos tem vindo a agravar-se mais e mais, particularmente nas últimas semanas, com a ausência das chuvas,  gerando um ambiente onde as pessoas nem sequer conseguem respirar, onde as casas são totalmente invadidas pela fumaça tóxica e incómoda durante toda a noite, que afecta, sem excepção, segundo a direcção do vento, por um lado, populações que vivem nas localidades da Penha, Boa Morte centro e baixo, Ponte Graça, Mato Quitxibá, Rua Padre Martinho Pinto da Rocha, Budo-budo, São João da Vargem, Oquê-del-Rei, Água Porca baixo, Fundação Popular e toda a Baía de Ana Chaves e arredores da Cidade de São Tomé, e durante o dia, por outro lado, os que vivem nas localidades da Penha, Palmar, Água Porca cima, Boa Morte cima, Correia, Bobo Forro, inclusive, com relatos de queixas, até arredores da Trindade, no interior da ilha.

Senhores governantes, meu povo, o coronavírus mata…sim, mata e temos todos que nos prevenir, mas a fumaça que resulta da queima imprudente e à céu aberto de toneladas de lixos tóxicos e de toda espécie, incluindo os da própria Covid-19, matam de forma ainda mais evidente e generalizada.

Tenho a consciência que somos um país com poucos recursos financeiros, mas as vezes me pergunto que país não consegue, em mais de 45 anos da sua história como nação independente, construir uma infra-estrutura que garanta a sustentabilidade na gestão dos seus próprios resíduos sólidos? A construção de um centro para incinerar e tratar adequadamente e sem riscos ambientais as toneladas de lixo que diariamente são transportadas para a zona da Penha, talvez possa parecer utopia para alguns, mas é preciso sabermos definir prioridades nos investimentos públicos que realmente interessam e tenham benefícios visíveis para toda a população. Quanto dinheiro gasto na aquisição de Renault’s Laguna, Toyotas prado, Mitsubishis Pajero e outros topos de gama, para beneficiar alguns governantes, o Estado não teria utilizado nestes 45 anos para a construção de um centro adequado para o tratamento de lixo?

Desenganem-se aqueles que pensam que o problema da Lixeira da Penha é apenas um problema de uma pequena comunidade. O ar que respiramos está presente em todos os lados, inclusive misturado com o aparente conforto proporcionado pelas viaturas topo de gama e pelas casas climatizadas que poucos de nós ostentamos nas Ilhas.

Mas também costuma-se dizer que o dinheiro não é tudo na vida e as acções e comportamentos positivos também podem fazer a diferença. Ainda que não possamos construir um centro para a incineração do lixo, porque não incentivar e insistir nas campanhas para a sua correcta separação?

Hão de me dizer que o problema é complexo, sobretudo, quando está em causa o comportamento das pessoas e a mudança de mentalidades. Mas também hão de concordar que alguma coisa deve ser feita, para que não sejamos todos vítimas, inocentes, culpados e cúmplices ao mesmo tempo, deste grande crime.

Povo de Penha, Palmar, Água Porca, Fundação Popular, Correia, Boa Morte, Oquê-del-Rei, Ponte Graça, Mulundo, Rua Padre Martinho Pinto da Rocha, Budo-budo, São João da Vargem e todas outras localidades directa ou indirectamente afectadas, juntos podemos dizer basta ao fumo de Penha. Queremos criar nossos filhos livres do fumo e das doenças respiratórias, não podemos comprometer a saúde e o futuro de um povo por um problema oficialmente causado pela acção ou inacção de pessoas e instituições públicas.

Por tudo isso, uma vez mais, imploro em nome e pelo povo de São Tomé e Príncipe ao Governo, à Autarquia de Água Grande, Parceiros de desenvolvimento e outras ONG’S para que utilizem os seus poderes, forças, prioridades, agendas, meios e acções para a resolução deste grave problema ambiental no nosso país, cujas consequências e impactos ao nível da saúde pública nem sequer conhecemos.

Aproveito para manifestar o meu agradecimento a todos os que têm levantado as suas vozes e palavras para alertar e sensibilizar sobre o problema da Lixeira da Penha e fazer um voto público para a união e concertação de todos os actores em busca de uma solução urgente para este grande descalabro ambiental e social, de modo que amanhã não seja tarde demais, particularmente para as crianças e pessoas inocentes que, hoje, pouco ou nada podem fazer.

Boa Morte, 13 de Fevereiro de 2021

Eurídice Semedo Medeiros

    11 comentários

11 comentários

  1. Guanivaro Barbosa

    14 de Fevereiro de 2021 as 10:28

    O mal é que esses apelos a lamentos surgem quando os mencionados beneficios não estão do nosso lado. Estamos habituados com esse tipo de políticos nesta água parada.
    De qualquer forma, sensibilizo-me com esta problemática.
    Mas agora pergunto, aonde andam as pessoas que todos os dias convivem com isso ? Respiram este ar poluído 24/24H ?
    Anh, lenbrei-me! Andam a espera da campanha para pegar migalhas dos malditos que a 45 anos nos governam.
    Revolto-me quando vejo um povo sofredor, cego, mendigo, inactivo, que de tempos em tempos são enganados com banho, grades de cerveja, arroz 13 dobras, promessas de dubai, promessas industrialização e não aprendem.
    Se esses politicos soubessem o que penso deles escusavam-se de me buzinas quando passam, porque a minha vontade é que batessem no poste e morressem carbonizados no inferno.
    Desculpa qualquer coisa, mas este país é revoltante!

  2. Lima

    14 de Fevereiro de 2021 as 11:04

    Pois é,nao posso so dizer que a senhora tem razao porque essa frase minha nao tem valor nenhuma.Mas como apoiar-la?Como santomense que sou da-me impressao que estamos de maos presas.Esse grito tem que ser imediatamente atendido.O gouverno ,cada membro disso que se chama gouverno deve imediatamente tomar uma decisao para resolver isso que tambem podemos considerar como uma pandemia un crima contra humanidade. Nao é so o lixo mais tambem todas as lexivas para roupa que normalemente na europa sao utilizadas nas maquinas e que a agua é canalizada para um deposito onde vai ser tratada ,em STP essa agua utilizada corre no chao e mata todos os animais,todos os micro sytema.Ninguem diz nada.Aceitam a comercializacao desses produtos como muitos outros.As fraldas para bebe como para as senhoras que se deita nos rios,etc,etc. Uma solucao é,mobilizar-se pedindo apoio a aqueles que teem transporte e levar esse lixo todo com fogo ou sem fogo e deixar ficar a frente dos ministerios todos inclusive a frente do palacio.Como é palacio do povo entao o lixo do povo pode ocupar esse espaco.Os altos caros oferecidos ou comprados com, a digamos ajuda internacional que faz com que nenhum responsavel ja nao pode fazer um passo a pe sem ser vehiculado tem que parar.Rever a constituicao para que haje uma outra politica que concretamente protege o povo e a NACAO é uma das solucoes.Nao permitir que um qualquer membro do gouverno se enriqueca de maneira abusiva sem pensar naqueles e aquelas que necessitam.Eles devem apresentar a riqueza que possuem,essas altas casas,essas rocas,essas piscinas,antes de aceitarem um posto gouvernamental e,quando um dia deuxarem esse estatuto de homem publico devem apresentar de novo o que possuem.Santomense ja nao tem aquilo que le protegia antigamente quer dizer vergonha.Passam o tempo a dizer ,a espalhar fazendo propaganda que STP é uma ilha maravilhosa.Onde esta esse maravilho?Onde esta essa verdura,ou ilha chamada de Verde?Santomenses membros ou nao do gouverno tenham vergonha,saibam respeitar se uns aos outros e tambem a natureza.Santomenses em geral, pais como filhos,jovens como velhos tenhamos educacao,respeitemos uns aos outros,respeitemos aquilo que nao é nosso,aquilo que nao é so nosso a saber o nosso pais,a nossa Nacao,a nossa terra.Ha muito que dizer desse grito que foi lancado porque é o pais todo que esta mal.Quando se aceita venda de mercadorias a frente e muitas vezes dentro dos ministerios ja se ve o grau de respeito para com o pais.Quando se aceita venda de roubos sejam eles bens roubados nos domicilios ou bens agricolos quer dizer que se esta num mundo sem leis,sem ordem ,publica.Qaundo se aceita matar sem que haje justica,quer dizer que estamos num pais sem codigo penal,sem juizes,sem advogados.
    Senhore:PINTO DA COSTA,MIGUEL TROUVADA,FRADIQUE MENENZES,EVARISTO CARVALHO o que fizeste, fizeram da nossa,vossa terra?
    A Alda do Espirito Santo escreveu um “grito”:quem matou o rio da minha terra. Entao eu pergunto-vos porque mataram SAO TOME E PRINCIPE porque mataram o vosso, nosso pais?
    Oh minha senhora Euridice Semedo Medeiros desejo-lhe forca e coragem associe-se aos outros à todos aqueles e aquelas que teem consciencia.Esses que nao penssam so neles de maneira egoista.Mas bom, podemos tambem dizer que sao ignorantes,nao conhecem o valor das coisas.Sao aqueles da galinha de ovos de ouro.So surem aproveitar de uma so vez e nao sabem tambem que quem tudo quer ,tudo perde.
    Quando da independencia uns apoderaram-se das casas dos colonos e como naunca tinham visto uma banheira e entao nao sabiam para que servia .Pois,utilizaram aquilo como cama ou como lugar par criar porcos.Nao estou com a nostagia da colonizacao mas tambem como se diz:de mais é molestia.Chega de ignorancia.

  3. matabala

    14 de Fevereiro de 2021 as 11:49

    Bravo cara cidadã!!!Há muito que falo sobre isto, sou da zona e não se aguenta. Admira pessoas que tambem vivem na zona e com alguma influencia politica-comandante geral e alguns ministro- zona da Penha, Boa Morte e Correia sobretudo! Lixo hospitalar, com os perigo que isso acarreta pois não sabemos que tipo de quimicos estão a queimar, lixo da Camara de Água Grande que recolhe das ruas, crianças que brincam junto da lixeira, cães que chafurdam tudo e espalham mais o lixo até á estrada. Muito nevoeiro do fumo na zona, cheiro que não podemos ter janela aberta com esse calor, ninguem faz um estudo ou tira uma amostra para analisar que o que estamos a respirar é veneno!!! Outra coisa são as constantes explosões que também ocorrem pois queimam tudo sem separar o lixo doméstico de lixo industrial!Um dia ocorre uma tragédia e depois então é kidaléoooooooooo!!!Façam alguma coisa ou população vai fazer!!!

  4. Lucas

    14 de Fevereiro de 2021 as 11:51

    Essa de na banheira criar porcos eu vi
    É verdade
    Agora qual a solução pro País ?
    Já vimos que ponham a governar quem ponham (mesmo com eleições)não funciona em benefício do povo mas sim em benefício dos mandantes
    Logo,passados mais de 40 anos não será altura das forças vivas e independentes dizerem basta?
    Por acaso já buscaram o sentido da palavra *federação*?
    Tambem sei que dificilmente ou mesmo impossível será encontra alguem das chamadas forças vivas que não tenha beneficiado dessa mão suja da corrupção
    Sendo assim está tudo dito
    Há os corruptos há as forças vivas que são ou foram corruptiveis pelo que não resta outra saída que a grande saída para fora do país
    O ultimo a sair decerto nem a luz apaga

  5. Neide Pires

    14 de Fevereiro de 2021 as 11:58

    Levanto minha voz
    Apoio essa causa
    O perigo tão evidente,porém a maioria ignora ou “simplesmente se acostuma”
    Passei minha infância e adolescência convivendo com isso. Lixos hospitalares e outros sendo queimados ao ar livre poucos metros da minha casa. colocando todos em perigo dia pós dia, como gotas de veneno diário. contraindo ou agravando doencas pre existentes, passando de resfriados comuns à infecções pulmonares mais graves.
    Até quando?
    Já temos um serviço de saúde precário, precisamos usar os recursos para conservar /preservar nossa saúde
    Atenção!!!!

  6. Miguelinho

    14 de Fevereiro de 2021 as 15:33

    Os meus parabéns Euridice para levantar esse grave problema de saúde pública que incrivelmente parece não se prioridade nacional. Acho que deveríamos criar um movimento popular para sensibilizar e pressionar o governo a tomar medidas sérias sobre o assunto da gestão do lixo em São Tomé. Estamos todo a morrer ontoxicados.

  7. Paloma

    14 de Fevereiro de 2021 as 18:36

    De facto, essa é uma situação preocupante que a todos nos aflige. Creio ser um problema de saúde pública que vem se arrastando sem uma solução à vista. Já muito foi dito, não querendo ser repetitiva, junto-me às vossas “vozes” apelando às populações das zonas limítrofes da lixeira, em particular, e aos demais cidadãos do Distrito de Água Grande no geral, que junto ao Governo façamos algo pensando numa solução capaz de erradicar este flagelo. Esse é um problema que reclama resposta conjunta (cidadãos, poder local e o governo central). O que é preciso é que haja políticas públicas integradas e eficazes.

  8. Carlos Manuel

    14 de Fevereiro de 2021 as 19:00

    Boa noite,

    Senhora deputada. Quero primeiro que tudo felicita-la pelo artigo que realmente espelha uma preocupação de todos.
    Os Santomenses devem ficar orgulhosos por ver o que escreve.

    A senhora já tentou junto da sua bancada parlamentar, apresentar um projecto para discutir/solucionar esse problema?
    Talvez esse seja o caminho mais eficaz, o instrumento mais adequado para se fazer ouvir por aqueles que decidem.

    Parabéns pelo artigo.

  9. Leonel Silva Almeida

    14 de Fevereiro de 2021 as 20:48

    Os governantes a que tomar uma medida para por cobro essa situacao que e um problama de todos apelamos cautela porque ha vidas em riscos

  10. Victorino Andre

    15 de Fevereiro de 2021 as 11:05

    45 anos de suberania
    Mas 45 anos de marcha à traz
    Se nao ajuntarmos e pensar em avançar iremos distruir sao tomé e Principe
    Falo do hospitais pra hospital.de areia das praias pra o rapeitos de pedras falo de energia falo de agua falo de licheira ou residios liquidos e residios solidos
    Cada um por si assim vamos ao pique em vaz de tijolo de argila todo mundo extai arreia esta acabar com praias em vez tratar residio joga em ceu aberto em vez de energia limpa é energia á gazolio em vez etares agua de xixi corre pra rio
    Temos o paíz de cabeça pra baixo
    Sao tomé vai de mal à pior Credo é

  11. Nita

    15 de Fevereiro de 2021 as 13:47

    Boa iniciativa. Continue por favor…vamos todos apoiar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo