Sociedade

Médicos chineses e cubanos realizaram a 1ª cirurgia vascular por ultrassom em STP

As equipas médicas da China e de Cuba em missão no arquipélago santomense uniram conhecimento e tecnologia, e fizeram história no passado dia 14 de Dezembro terça feira.

Yang Yi, cirurgião vascular e chefe da 17ª missão médica da China em São Tomé e Príncipe juntou-se à médica cubana Lilibet, e juntos realizaram pela primeira vez em São Tomé e Príncipe, uma cirurgia de injecção e vedação de agente esclerosante com espuma guiada por ultrassom.

A cirurgia realizada no centro policlínico da cidade de São Tomé teve como objectivo tratar de varizes em membros inferiores. A paciente que foi operada, é segundo a equipa médica da China, um exemplo de centenas de pessoas que padecem de varizes no país, e que não encontram tratamento.

«As varizes dos membros inferiores são uma das doenças vasculares periféricas mais comuns no ser humano. Existe um grande número de doentes com varizes das extremidades inferiores em São Tomé e Príncipe», afirmou o cirurgião vascular Yang Yi.

Segundo o médico especialista chinês, o sistema nacional de saúde apresenta muitas deficiências para o tratamento das varizes dos membros inferiores. «Até mesmo alguns médicos são-tomenses acreditam que as veias varicosas são um fenómeno comum e que não precisa de nenhum tratamento», revelou Yang Yi.

Por isso acrescentou o cirurgião vascular chinês,« a grande maioria dos pacientes com varizes de membros inferiores não recebe tratamento oportuno e correto, levando ao agravamento do quadro, que então evolui para úlceras venosas graves, de longa duração, o que afecta seriamente a qualidade de vida dos pacientes com infecções graves e até amputações dos membros inferiores».

No entanto as 15 horas do dia 14 de Dezembro de 2021, a equipa médica da China, em parceria com uma médica cubana destacada em São Tomé, começou a mudar o cenário melhorando a qualidade de vida dos cidadãos que padecem de varizes nos membros inferiores.

Através da técnica de injeção e selagem de agente esclerosante, e a utilização da tecnologia de ultrassom em cirurgia vascular, «a espuma guiada por ultrassom pode garantir punção venosa precisa, melhor distribuição de medicamentos na veia de tratamento e evitar que haja complicações graves entre as veias e as artérias profundas», precisou o cirurgião da China.

Um método de cirurgia considerado pelos médicos da China e de Cuba como sendo mais seguro e eficaz no tratamento das varizes dos membros inferiores. Pouco invasiva, a equipa médica garantiu que a cirurgia realizada no centro policlínico na cidade de São Tomé foi bem sucedida.

Para além dos médicos da China e de Cuba, os enfermeiros do centro de saúde da capital São Tomé, desempenharam papel determinante no sucesso da primeira intervenção cirúrgica do género no país.

De acordo com a equipa médica, durante o tratamento, o Dr. Yang Yi e a Dra. Lilibet trocaram muitos detalhes técnicos, como proporção de drogas, punção e injecção de drogas em diferentes condições, e também demonstraram a distribuição intravenosa de esclerosante de espuma por ultrassom.

A equipa médica chinesa prometeu cooperar com as autoridades de Saúde de São Tomé e Príncipe, e com a equipa médica cubana, para no futuro breve fornecer tecnologia médica avançada e serviços de alta qualidade ao povo de São Tomé e Príncipe.

«No futuro continuar a inovar, inovar e inovar mais projetos para melhor servir o povo de São Tomé e Príncipe», conclui  Yang Yi.

Cooperação médica da China promete trazer para São Tomé e Príncipe as tecnologias mais modernas e menos invasivas de cirurgias e tratamento médico.

Abel Veiga

6 Comments

6 Comments

  1. Sem+assunto

    17 de Dezembro de 2021 at 17:47

    China e Cuba, Comunistas/Socialistas até a medula, fazedores da diferença!
    Enquanto isto um tal Tio Sam só pensa em petróleo, petróleo, ataque aos territórios alheios e outras bassuras.

  2. Lucas

    18 de Dezembro de 2021 at 8:05

    Africano cobaia

    • santola

      21 de Dezembro de 2021 at 7:05

      Errado! Não tem nada de cobaia, esse tipo de cirurgia já se faz há mais de 15 anos na Europa e EUA, e eu já fiz uma semelhante em 2007, em Angola. Também com médico cubano!!
      Há outras coisas em que realmente tentaram fazer dos Africanos cobaias, mas esta não é uma delas!!

  3. Mepoçom

    19 de Dezembro de 2021 at 22:16

    Meus senhores, temos que assumir a nossa incompetência. As varizes não é grave, mas se se tivéssemos capacidade de minimizar o mal seria bem vindo, ajudaria o paciente e teria mais vitalidade. Se não temos capacidade é melhor estar calado do que comentar asneira

  4. Ralph

    20 de Dezembro de 2021 at 5:24

    Este é um bom exemplo do que pode acontecer quando há cooperação multi-nacional e transferência de habilidades entre profissionais médicos. O que será importante agora é assegurar que os médicos locais possam desempenhar as mesmas operações depois de terem acompanhado os médicos estrangeiros ao fazerem os tratamentos. Se isso se realizar, o uso dos médicos chineses e cubanos terá sido uma muito boa e produtiva iniciativa.

  5. santola

    21 de Dezembro de 2021 at 7:01

    Abel Veiga/Tela Non
    Vi que leram meus dois comentarios para corrigir “evasivas” por “pouco invasivas”. Leram e apagaram – ou nem publicaram!!
    Por acaso, eu tenho algum conhecimento sobre o tema porque já tive problemas cardio-vasculares, já me foi tirada uma veia safena e algumas varizes com recurso a essa tecnologia (mas sem a espuma) e precisamente por cirurgião cubano.
    Errar acontece, ninguem nasce ensinado. Mas ainda assim, agradeço a correcção e explicação ;-)!! Alguém tem de agradecer, né? já que voces se esqueceram de o fazer…. Saúde, paz, e muita alegria, são meus votos de Natal para todos voces

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

To Top