Cultura

Estreia do documentário “Sombras do Poder” na UCCLA

Conflitos de liderança e de poder nas etapas do processo político de São Tomé e Príncipe estão retratados no documentário “Sombras do Poder” de Nilton Medeiros e Jerónimo Moniz, que terá estreia em Portugal e será apresentado no auditório da UCCLA, no dia 18 de janeiro, às 17 horas.

A apresentação estará a cargo de Augusto Nascimento e Alcídio Montoya, com música de Tonecas Prazeres.

O documentário “Sombras do Poder” está inserido no Projeto “São Tomé e Príncipe Retalhos de uma História”, da autoria de Nilton Medeiros e Jerónimo Moniz. Relata um conjunto de acontecimentos que a sociedade santomense e não só, têm refletidos durante mais de 40 anos. Muito se tem escrito e dito, algumas vezes marcado por preconceitos ideológicos, outras simplesmente pelo oportunismo do politicamente correto. No documentário “Sombras do Poder” cada personagem tem a sua verdade, sem pretender ser a verdade absoluta.

A entrada é livre. Não falte!
Morada:

Casa das Galeotas

Avenida da Índia, n.º 110 (entre a Cordoaria Nacional e o Museu Nacional dos Coches), em Lisboa

Autocarros: 714, 727 e 751 – Altinho, e 728 e 729 – Belém

Comboio: Estação de Belém

Elétrico: 15E – Altinho

Coordenadas GPS: 38°41’46.9″N 9°11’52.4″W

    3 comentários

3 comentários

  1. SEMPRE AMIGO

    17 de Janeiro de 2020 as 10:49

    Minha gente, credo!Não entendi a razão da “estreia”(?), nesta altura do campeonato ,do documentário”SOMBRAS DO PODER”.Não seria mais á propósito “inaugurar” a “estreia” á partir do segundo trimestre de 2021???Estou ansioso por ouvir o compatriota MONTOIA.

  2. SEMPRE AMIGO

    19 de Janeiro de 2020 as 21:03

    Dr Nilton Medeiros!Jerónimo Moniz! Porque é que vocês não convidaram o ex-Presidnte PINTO DA COSTA? O mesmo encontra-se,neste momento em LISBOA.Seria até uma presença que iria de certeza contribuir para iluminar duma vez para sempre as SOMBRAS DO PODER.Além do mais não precisavam gastar tanto dinheiro com as passagens dos figurantes trazidos de SÃO TOMÉ.Um investimento sem retorno.Será que ,neste preciso momento em que SÃO TOMÉ E PRINCIPE se confronta com uma situaçãoeconómica , política e social tão complicada ,è a altura mais apropriada,e o espaço mais adequado,para a abordagem de assuntos do passado,na ausência dos principais protagonistas???Afinal de contas o que é que se pretende? Ao que parece,para os promotores o objectivo imediato deve ter a ver com a sobrevivência e para os comendadores……2021.

  3. Mepoçon

    21 de Janeiro de 2020 as 19:46

    Quem não viveu e nem sofreu as consequências têm toda razão de ignorar, mas quero lembrar que história não se constrói sem passado. Hoje toda gente aparece como Salvador da pátria e os seus lambibotas questionam pela ocultação da história. Congratulo com todos que tenham coragem de trazer toda verdade a toda, força meus conterrâneos amantes da verdade

Deixe um comentário

Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo