Eleições presidenciais

Vila Nova votou e prometeu seguir de perto todo processo eleitoral

«Defendemos a transparência total neste acto eleitoral», declarou o candidato após ter exercido o direito de voto, por volta das 10 horas e 30 minutos, nas instalações da ex-escola Viana da Mota.

No quadro do compromisso de ética eleitoral, assinado entre os dois candidatos e a Comissão Eleitoral Nacional, Carlos Vila Nova, deverá estar presente nas instalações da CEN, para seguir de perto tanto o processo de contagem de votos nas Assembleias distritais.

«As preocupações e os rumores existentes merecem da nossa parte alguma preocupação pelo que iremos acompanhar o processo todo. Desde o decurso da votação, a contagem dos votos nas mesas e mesmo o transporte das urnas para lugares seguros, para que tudo corra bem… », garantiu.

Questionado pela imprensa sobre os rumores, o candidato foi preciso e directo.

«Rumores de fraudes…alguns de vocês que estiveram aqui na primeira volta, recordam que na manhã do dia 19 dissemos que haviam actos poucos claros, e pedimos explicações. Depois vieram a confirmar-se. Quando anunciaram os resultados definitivos da primeira volta,  a nossa percentagem subiu 4%, quer dizer que tínhamos razão. Houve explicações da Comissão Eleitoral Nacional, mas isso não nos tranquilizou… », afirmou.

A fraca afluência dos eleitores às urnas durante o primeiro período, pode ser prenúncio de aumento da abstenção.

No entanto, Carlos Vila Nova, acredita que durante o segundo período a afluência às urnas vai aumentar. Segundo o candidato, o cansaço e o desgaste provocados pelo atraso na realização da segunda volta, pode estar na base da tendência de abstenção que se verifica nesta manhã de 5 de Setembro em São Tomé.

Acompanhe na íntegra as declarações de Carlos Vila Nova após ter exercido o seu direito de voto.

Abel Veiga

    1 comentário

1 comentário

  1. Ralph

    6 de Setembro de 2021 as 2:33

    A afluência tende a ser maior quando se tem confiança no processo eleitoral, que o não seja suscetível à corrupção. Tem a ver também com a qualidade dos candidatos. Quando há candidatos de qualidade, isso dá ao povo uma razão para afluirem às urnas para fazer uma escolha. Se as pessoas estejam desiludidas com as escolhas, estariam mais dispostas a ficar em casa e não ir votar.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo