Eleições presidenciais

Observação eleitoral da União Africana e da CEEAC garante que as eleições foram livres, justas e transparentes

A União Africana enviou 22 observadores às eleições presidenciais de 5 de Setembro. A CEEAC(Comunidade Económica dos Estados da África Central), também enviou 10 observadores.

As equipas de observação eleitoral do continente africano, consideram que a segunda volta das eleições presidenciais decorreu de forma tranquila e pacífica. «Não houve qualquer incidente de importância no dia do voto», precisa o relatório da missão de observação eleitoral da União Africana.

Tanto a União Africana como a CEEAC deram nota positiva ao acto eleitoral do último domingo, e consideram que correspondeu ao standard internacional. O povo de São Tomé e Príncipe foi felicitado pelas duas organizações africanas, por mais esta demonstração de maturidade.

Como recomendação política, a União Africana desafiou os actores políticos santomenses a se absterem de qualquer atitude que ponha em causa a estabilidade política, e as «conquistas democráticas do país».

Para os observadores internacionais, as eleições de 5 de Setembro, segunda volta do escrutínio presidencial, que consagrou Carlos Vila Nova como o quinto Presidente da República de São Tomé e Príncipe, foram livres, justas e transparentes.

Abel Veiga

    2 comentários

2 comentários

  1. Tiberio

    7 de Setembro de 2021 as 13:44

    E com muito banho!!!

    • Guiducha

      7 de Setembro de 2021 as 15:04

      Valido…com muito BANHO, como é de costume com o guru ADIsta Patrice TROVOADA e os seus marmanjos.
      Mas o RESPONSÁVEL é o POVO. Amanhã não se queixem,vocês terão a BÚSSOLA que merecem…tal POVO, tal PRESIDENTE.
      Bem haja !

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo