Sociedade

Governo procura solução para garantir refeição escolar para mais de 40 mil crianças

O Programa Alimentar Mundial – PAM, que há vários anos vem garantindo refeição nas escolas e jardins do país, decidiu pôr fim a assistência alimentar. Um quebra-cabeças para o governo que decidiu em conselho de ministros, buscar soluções para assegurar a refeição escolar para mais de 40 mil crianças.

A partir de 2011, cabe ao governo são-tomense encontrar financiamento para garantir a refeição escolar. O PAM já anunciou o fim da assistência ao alimentar que há vários anos tem dado as escolas e jardins, mas não só. A ajuda alimentar do PAM, sustentava também crianças desnutridas e os idosos.

O governo não tem solução imediata para o problema, mas em conselho de ministros orientou os titulares das pastas da Educação Cultura e Formação, da Saúde e Assuntos Sociais, do Plano e Desenvolvimento, das Finanças e Cooperação Internacional, e dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, «no sentido de proporem ao governo formas alternativas para fazer face a situação, tendo em conta a necessidade de alimentação de cerca de 40 mil crianças, as quais se juntam crianças desnutridas, certas categorias de doentes e pessoas idosas», diz o comunicado do conselho de ministros, lido na televisão são-tomense pelo secretário de estado da Juventude e Desporto Abnildo de Oliveira.

Note-se que a merenda escolar, tem sido ao longo dos anos, um dos grandes incentivos para o aumento da população escolar, e também para o rendimento das crianças.

Abel Veiga

    22 comentários

22 comentários

  1. Matabala

    8 de Outubro de 2010 as 11:49

    Diz-se que em São Tomé não se passa fome… não é? Agora chegou a hora de se mostrar isso, curiosamente, o Governo pediu opinião de vários sectores mas eu não vi aí o sector da AGRICULTURA, porquê? Será que esta fora de hipótese a produção local? Lamento pelas crianças que já estavam acostumadas a estas refeições diárias e pelos idosos, mas é bom fazer o país mover-se pelos seus próprios meios…e meios que possam garantir a alimentação, não faltam ao nosso país…podem crer…

    • XYZ

      9 de Outubro de 2010 as 7:27

      Sector da AGRICULTURA agora é igual ao Plano e Desenvolvimento.

      • SUBÁ

        11 de Outubro de 2010 as 22:40

        Senhor XYZ, o matabala sabe muito bem disso e sabe que sector de Agricultura foi ouvido tambem.
        Mas como oposição é sempre oposição, deixa ele fazer a parte dele e pouca vergonha de oposição.
        Bem haja.

  2. Matabala

    8 de Outubro de 2010 as 11:55

    Diz-se que em São Tomé não se passa fome… não é? Agora chegou a hora de se mostrar isso, curiosamente, o Governo pediu opinião de vários sectores mas eu não vi aí o sector da AGRICULTURA, porquê? Será que esta fora de hipótese a produção local? Lamento pelas crianças que já estavam acostumadas a estas refeições diárias e pelos idosos, mas é bom fazer o país mover-se pelos seus próprios meios…e meios que possam garantir a alimentação, não faltam ao nosso país…podem crer…

  3. Jorgek

    8 de Outubro de 2010 as 12:17

    grande desafio para o governo.
    nao se deixe abater. trabalhe com responsabilidade porque crianças somos todos nós.

  4. Zé Maria

    8 de Outubro de 2010 as 13:57

    Agora eu quero ver o discurso dar lugar a ação e adequação para a cobra não fumar.

    É hora de se pensar na diversificação e fortalecimento da agricultura e deixar de lado o discurso corrente no país de que o nosso clima não é propício.

    Aliás, o Brasil apesar de não ser o país de 1º mundo já conseguiu provar ao mundo que o clima não é impecilho para a agricultura.

    É um país de clima diversificado, regiões com clima semelhante ao nosso, mas, cultiva-se de tudo que se possa imaginar.

    É só pensarmos com a mente e não com o intestino como vem sendo feito que tiraremos isso de letra.

    Pedir ajuda do Brasil, não para nos dar dinheiro para ser desviado novamente pelos gatunos que dirigem o país, mas sim, nos dar conhecimento e tecnologia.

    Usar a tecnologia para a plantação. Refino-me a transgênicos, plantações que adaptem a qualquer clima.

    A alguns economistas de plantão que acham que não temos território suficiente para plantação em grande escala, sugiro que se informem a respeito com as ilhas Maurícias.

    Pergunte a Embrapa brasileira se existe dificuldade quando existe vonte e determinação.

    A Embrapa deixa para tras muitos países europeus.

    Sr.Patrice Trovoada,
    Eu sei que o Sr. é um homem culto, informado, teve a sua formação num país de 1ºmundo.

    Sugiro que peça apoio tecnologico a Brasil que esta potencia em desenvolvimento pode nos ajudar com o seu vasto e expressivo conhecimento sobre a área.

    Peça a ajuda, não o dinheiro porque o dinheiro certamente eles não irão dar depois do que os gatunos que estiveram no poder até antes da sua eleição fizeram com os dólares que foram emprestados.

    Aliás, ninguém da sã consciência emprestaria São Tomé e principe dinheiro depois daquele triste episódio [
    e como se não bastasse o Supremo Tribunal de Justiça parece estar de mãos atadas]…

    Peça apoio biotecnológico que em 5 anos se houver seriedade começaremos a ver o sucesso dessa parceria.

  5. De Longe

    8 de Outubro de 2010 as 14:45

    Não quero deixar de acreditar neste nem nos próximos governos, tenham a cor partidária que tiverem. Acredito que se os governanates passarem a manifestar preocupação com o bem estar da população a longo prazo, será mais fácil város pais começarem ter mais respeito pela formação e manutenção da FAMÍLIA. A condução ao desenvolvimento será mais eficaz.

    Quando se fala em encontrar formas de financiamento estar-se-á a pensar em quem pedir?
    Queríamos e ainda queremos ou nunca quereremos ser independentes?
    Eu ainda quero ser de um país independente.
    Força, nossos políticos vamos tentar todos ir em frente. Podemos!
    Quando iniciaremos uma acção conjunta para o bem de um só povo? O NOSSO!
    De longe faremos perto.
    De Longe

  6. Edson Costa

    8 de Outubro de 2010 as 20:46

    Eu acredito que se reduzissem os elevadissimos subsidios aos nossos politicos (incopetentes) e se começassem a investir seriamente na agricultura o governo encontraria soluções para a refeição escolar. Não podemos depositar todas as esperanças na PAM!

  7. Chinha

    9 de Outubro de 2010 as 2:21

    SAO TOME E PRINCIPE, E RICO E GENEROSAMENTE VERTIL O SEU SOLO. AQUI NAO HA NEHUM QUEBRACABECA NO QUE DARA DE COMER AS CRIANCAS NAS ESCOLA, E OS IDOSOS NO LAR.

    E SO ENCONTRAR UM TERENO, OU SEJA GLEBA E CULTIVAR O ORTALICAS TURBECULOS, ETC.. E DE LADO TER UM ESPACO PECUARIO, O PAIS E UMA ILHA, HA PEIXE NO MAR.
    E SO USAR UM POUCO DE IMAGINACAO, E VONTADE DE TRABALHAR. DE CESERTEZA, HAVERA CUMIDA PARA DAR E VENDER.
    EU PESSAOLMENTE ESTAREI DESPOSTA EM AJUDAR MESMO A DISTACIA NO QUE POSSO COMO POR EX:COM AS SEMENTES.
    HA COISAS, QUE NAO HA NECESSIDADE DE ESPERAR POR AJUDA EXTERIOR. (CELA NO VUGU UBUE NEMQUEMUE)

  8. Chinha

    9 de Outubro de 2010 as 3:44

    SR. Ze MARIA,

    PERDOA-ME POR OSADIA. PENSO QUE O TRANSGENICO, NAO E A SOLUCAO AO NIVEL AGRICULTURA MAS, SIM UMA PRAGA. HA MUITAS CONTRAVERCIA AO NIVEL DESTE TIPO DE PLANTAS QUE SAO GENETICAMENTE MUDIFICADAS(OGM) ACHO QUE ISTO JA NAO E COMIDA E TUDO SINTETICO E INDUSTRIAL E E LABO. PODE, SE VER PELA SAUDE FISICA DOS AMERICANOS EU QUANDO CHEGUEI CA FIQUEI E AINDA ESTOU EM CHOQUE E RIDICULO. MILHO, O SALMAO A SOJA, ETC, SAO UM DOS EX DA MANIPULACAO LABOTORIAL. TER UM CRECISMENTO EM CURTO PRAZO E SEM QUALIDADE PARA O ORGANISMO HUMANO.O QUE ESTAS EMPREZAS QUEREM LUCRAR AO MAXIMO, E TER O CONTROLO E SER ELES O DONO DAQUILO, QUE FOI DADA PELA MAE NATUREZA
    biorege.weblog.com.pt/…transgenicos/index.html – Cached – Similar
    OBRIGADA

  9. DONADOCE/ frança

    9 de Outubro de 2010 as 6:49

    Em stp temos sorte de ter um bom clima para agricultura por exemplo a Criação e gestão de uma horta escolar!! Os investimentos em nutrição e educação são essenciais para quebrar o ciclo de pobreza e desnutrição:

    SUGESTÕES PARA A AÇÃO

    Consultar professores sobre a idéia de uma horta da escola.

    Decida quem será o líder do jardim .

    Saiba como as autoridades de educação, saúde, serviços agrícolas e do Conselho Local de Apoio jardim da escola, incluindo possibilidades de financiamento.
    Explorar as possibilidades de formação para os funcionários da escola.

    Iniciar discussões informais sobre um jardim escola com funcionários da escola, pais, da comunidade e da escola serviço de refeições. Anote ideias e fazer uma nota de sentimentos e medos sobre o trabalho de jardim.

    Avantagens de ter uma horta escolar: Produz fundos, alimentos favorece aulas da ciência agricola, marketing e trabalho em equipe
    exemplo d’uma horta em Zimbabwe. O jardim tem árvores de manga, pata-pata, um limoeiro e áreas “Com o tomate, repolho e outros vegetais. O jardim fornece fundos para a Escola de artigos de papelaria e equipamentos: a escola venda do produto ao mercado e às famílias locais a metade do preço. O trabalho é organizado por uma “equipe de jardim” professores utilizam o Jardim como um recurso para o aprendizado de matemática, biologia.
    temos que cuidar da saude das nossas crianças eles sao o futuro de stp.
    Fico revoltada com essa ONG que se limitou a financiar a alimentaçao das escola sem pensar num desemvolvimento local e duravel!! nosso pais tem que sair desse systema de dependencia externa o mais rapido que possivel!
    P.s/ desculpa aos leitotores de tela-non por essa longa escrita.

  10. xnove

    9 de Outubro de 2010 as 22:23

    Eu tenho uma solução que se passa por diminuir salario e cortar beneficios dos dirigentes em prol das crianças que nao têm culpa de nascer nessa arruaça,um bem haja pelos anjinhos…

  11. Andrade Catanhede

    10 de Outubro de 2010 as 7:57

    A retirada do PAM das escolas primárias e jardins de STP e outros sectores constituirá um grande desafio para o Governo nos próximos anos. Esta retirada visa reforçar as ajudas a outros Países onde a fome dos seus habitantes é um autêntico flagelo.
    Todavia, o encerrar do escritório do PAM não era novidade para os Governos que antecederam o actual, pois há uns anos atrás já se tinha anunciado o tal encerramento, inclusive, em parceria com alguns técnicos nacionais nomeados para o efeito e colaboração de 1 consultor internacional, estudaram e apresentaram vários cenários ou alternativas para a solução do problema.
    Assim sendo, aconselharia ao actual Governo, através do Ministro da Educação, da Saúde e Assuntos Sociais, do Plano e Desenvolvimento que retomasse este processo, o mais urgente possível, pedindo ao Escritório do PAM os estudos e relatórios elaborados na altura, onde já se encontram propostas de alternativas para este problema. MEUS SENHORES NÃO PERCAM TEMPO!… APROVEITEM O BOM QUE JÁ ESTÁ FEITO. Se for necessário actualizar, que se actualize.
    Caso contrário, a ausência das cantinas nas escolas e jardins, como já acontecera na década de 90, provocará a desistência maciça dos alunos das escolas primárias, pois a cantina escolar constitui, sem margem para dúvidas, um dos maiores incentivos para que as crianças, sobretudo as do meio rural, frequentem as escolas e transitem no fim do ano para a classe seguinte. Em suma, se hoje a taxa de frequência as escolas a nível do primário ronda uns 80%, com a saída do PAM este valor poderá baixar consideravelmente, fazendo que tenhamos, no futuro, o aumento da taxa de analfabetismo, o que seria um autêntico desastre educacional, social, cultural e económico para STP.
    Um exemplo a seguir: O PAM também já deixou de apoiar as escolas primárias cabo-verdianas e o Governo daquele País estava preparado para esta retirada. País com muito pouca água e com o solo desértico na maior parte das ilhas. O Primeiro Ministro José Maria Neves foi recebido, se não me falha a memória, na sede do PAM em Roma, com honrarias pelos resultados alcançados.
    Também podemos. Acredito!…

  12. A OUTRA VIA

    10 de Outubro de 2010 as 9:08

    Pode ser simplesmente a consequencia duma politica externa anuncida previlegiando os paises Africanos. Se for o caso, espero que nao se estenda a ida de doentes para tratamento na Europa, por exemplo. Qual pais Africano que receberia os nossos doentes, por muita boa vontade que tenha? Quando se trata de politica externa, um Dirigente deve ter muito cuidado com aquilo que diz perante os microfones. Trata-se apenas duma reflexao e esperemos que nao passe disso mesmo.

    • Peter

      12 de Outubro de 2010 as 16:23

      Não ecredito que seja esse o motivo da retirada do PAM nas Ilhas de São Tomé e Príncipe. Deixemos de inventar razões que não existem na tentativa de travar o vento com as mãos. Um dos leitores deu exemplo de Cabo Verde em que o PAM também deixou de prestar assistência nas escolas. E assim também dirias que é o reflexo de da política externa? Pelo contrario, Cabo Verde é bem visto a nível internacional pela boa governação e uma excelente política externa. Contudo o PAM deixou de prestar assistencia nas escolas. O problema é que existem países com maiores necessidades ao qual as ajudas devem ser direccionadas. Mas, o que está em causa é encontrar a solução prara este problema. Os dirigentes Cabo-verdiano encontraram, cabe aoa governo santomense fazer o mesmo.
      Também discordo com a apreciação da leitora Chinha quanto a implementação dos OGMs(Organismos Geneticamente Modificados) em São Tomé, em que diz que o mesmo é prejudicial para a saúde, quero lhe fazer umas perguntas: a 1ª é, existe alguma prova científica de que os OGMS são prejudiciais para a saúde?,a 2ª é, será que os santomenses são mais saudáveis do que os Americanos? a 3ª é, quem te garante que os produtos importados para STP não são OGMs? Não perdendo de vista o tema, tenho as seguintes sugestões:
      – Inveredar pelos emprestimos para uma possivel imporatação desses géneros alimentícios não será a solução tendo em conta a fragilidade económica do País.
      – A solução passa por uma aposta na agricultura e pecuária como forma de sermos auto-sustentável.
      – Temos de algum modo a semelhança climática com o Brazil como aguém se referiu anteriormente, cooperemos com os brazileiros de modo a aprendermos a biotecnologia para implementarmos na agricultura.
      – O Governo se não estou equivocado, deve ser ainda proprietários de algumas roças, pede financiamento e investe sériamente numa das roças tanto na agricultura quanto na pecuária de modo a fornecer as crianças leite fresco e géneros alimentícias proveniente da agricultura. É tão simples quanto isto, ou eu me engano. O certo é que as crianças não podem ficar sem a merenda escolar sob pena de abandono escolar consideravel, sobretudo as crianças desfavorecidas.

  13. Amiga de ALERTA ALERTA

    11 de Outubro de 2010 as 1:25

    Temos que proteger as nossas crianças custe o que custar.

    Se a europa, o banco de Suica, outros devolver todo o dinheiro roubado d’Africa, e deixar a nossa riqueza em paz, iremos ter dinheiro sufuciente para incentivar os nossos quadros para regressarem de Europa para Africa. E assim, com esse dinheiro posto em dividas, poderiamos comprar mais equipamentos, instrumentos, medicamentos, e outros produtos de necessidade medica. Nao precisamos de Europa. Existe outra via sem exploradores. Suga sangue, e deixa-nos na pobreza, obrigado com ajuda de corruptos como Rafael Branco. Pessoas com este, nao serve–so atrasar o desenvolvimento da nossa terra. Rafael, A OUTRA VIA, e outros inimigos do povo sao todos ladroes e traidores da patria. Abaixo!

    Temos que proteger as nossas crianças custe o que custar.

    Nossas Crianças; homens e mulheres de amanha–saudaveis, inteligentes, activos, activas, para defenderem o patrimonio nacional contra os fantoches destruidores da riqueza popular.

    Algo vai ser feito contra os maus.

    STP esta’ protegido por Decu Santome’ Poderoso, mesmo que os bandidos tentar o maximo destrui-lo. Nao ira acontecer porque agora o povo Santomense esta’ vivo e alerta.

  14. Digno de Respeito

    11 de Outubro de 2010 as 4:27

    Alguém ou alguns dos antigos alunos da antiga escola “Vaz Monteiro” actual Maria de Jesus e os antigos alunos da ex-preparatória ainda lembram-se do “SELADO” (pão com açucarinha)?

    – Ainda se lembram de FUBA COM CAVALA?

    Pois, é os tempos que se foram e os alunos e estudantes ainda tinham algo para comer. Espero que as crianças de hoje não sejam as de ontem. Se naqueles tempos ainda se comia rasuávelmente bem, hoje é tempo de lhes arrajar alimentação mais cuidada e mais digna porque todos precisam de se alimentar correctamente e não de apenas “comer”. Parecendo que não, a má alimentação ou a falta dela, pode influenciar nos estudos.

    Por isso, acho bem que o governo se preocupe e faça um apelo a todas as empresas e empresários nacionais no sentido de também contribuirem no dsenvolvimento educativo das nossas crianças.

    Entendo que é também o papel da sociedade civil apoiar com pequenas iniciativas (que não seja nacional mas ao nivel local, pode alavancar novo espírito social).

  15. Osama bin Laden

    11 de Outubro de 2010 as 16:17

    Peçam ao Delfim os 5 milhões de dólar que ele e os seus amigos roubaram do país. Assim teremos dinheiro mais que suficiente para comprar comida para os meninos que muito precisam.

  16. DÁ e DÓI

    11 de Outubro de 2010 as 22:45

    Leve leve se chega lá.

  17. Estados Unidos de America

    12 de Outubro de 2010 as 1:05

    Presently, Africa is the number one continent, in the world, where half of the entire population is below 15-year-old.
    Africa might have some promising future….
    Give these kids good education, good training and outstanding instruction, and well balanced diet; rich meals filled with proteins, phosphorus, multivitamins, minerals such as Calcium, Potassium, Iron, etc. Organic vegetables, organic milk and dairy products, natural juices, fibers, along with plenty exercises, rigorous study time, and play time. Focus the kids’ studies in Mathematics, sciences, languages, social studies, and most importantly, African History.
    Africa might have some promising future…. Africa is the continent where half of the entire population is below 15-year-old. Go Africa! You can do it!
    Africa is the future of this world.

    • Mimi

      13 de Outubro de 2010 as 12:50

      Por favor! Escreva em portugues…

  18. Madalena

    13 de Outubro de 2010 as 17:09

    Temos que andar com os nossos proprios pés!
    Ja fomos povo hospitaleiro, demos apoio aos Biafrenses na luta tribal, hoje este enclave vive bem, porque razão não ajudar as nossas crianças. São apenas 40 mil!
    Os Santomenses da diáspora podem ser chamados, apenas 1 ou 2 Dolares, por mês faz muita diferença. Outra iniciativa é criar horto escolar em todas escolas do país, destacar um técnico M.Plano e Desenvolvimento para acompanhar esta actividade. Deixem a PAM e FAO se lixarem. Desde 1945 que estas organizações surgiram para combaterem a pobreza e a fome. Nós não deviamos precisar de apoios desta envergadura, coisas mais soft. A cabeça é senhor do corpo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo